Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Alemanha investiga caso de profanação de morto por soldados


Da AFP

25/10/2006 | 09:12


O ministro alemão de Defesa, Franz Josef Jung, anunciou nesta quarta-feira ao jornal Bild a imediata abertura de uma investigação após a publicação de fotos mostrando soldados alemães profanando um morto no Afeganistão.

"Está claro que tal comportamento de parte de soldados alemães não pode ser tolerado em nenhum caso", declarou o ministro democrata cristão, acrescentando que as imagens são "detestáveis e absolutamente incompreensíveis".

Por sua vez, a promotoria de Potsdam, perto de Berlim, abriu uma investigação penal sobre desconhecidos por "perturbar a paz dos mortos", informou um porta-voz do ministério público da cidade, onde está baseado o Estado-Maior das forças de intervenção alemãs.

Segundo um membro das forças armadas citado pelo Bild, as fotos foram tiradas na primavera (do hemisfério norte) de 2003 na região de Cabul por uma patrulha de soldados alemães membros da Isaf (Força Internacional de Assistência à Segurança), comandada pela Otan no Afeganistão.

O Bild publicou na primeira página uma foto, de um total de cinco, mostrando um soldado alemão em roupa de combate posando com um pedaço de crânio humano na mão direita.

Se as acusações se confirmarem, advertiu o ministro alemão, "serão adotadas medidas disciplinares apropriadas e também serão adotadas medidas penais com maior dureza."

Pelo menos 2.750 soldados das forças armadas alemães, a Bundeswehr, se encontram em Cabul e em várias cidades do norte do Afeganistão (Mazar-i-Sharif, Kunduz e Faisabad), região onde a Alemanha exerce o comando da Isaf.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alemanha investiga caso de profanação de morto por soldados

Da AFP

25/10/2006 | 09:12


O ministro alemão de Defesa, Franz Josef Jung, anunciou nesta quarta-feira ao jornal Bild a imediata abertura de uma investigação após a publicação de fotos mostrando soldados alemães profanando um morto no Afeganistão.

"Está claro que tal comportamento de parte de soldados alemães não pode ser tolerado em nenhum caso", declarou o ministro democrata cristão, acrescentando que as imagens são "detestáveis e absolutamente incompreensíveis".

Por sua vez, a promotoria de Potsdam, perto de Berlim, abriu uma investigação penal sobre desconhecidos por "perturbar a paz dos mortos", informou um porta-voz do ministério público da cidade, onde está baseado o Estado-Maior das forças de intervenção alemãs.

Segundo um membro das forças armadas citado pelo Bild, as fotos foram tiradas na primavera (do hemisfério norte) de 2003 na região de Cabul por uma patrulha de soldados alemães membros da Isaf (Força Internacional de Assistência à Segurança), comandada pela Otan no Afeganistão.

O Bild publicou na primeira página uma foto, de um total de cinco, mostrando um soldado alemão em roupa de combate posando com um pedaço de crânio humano na mão direita.

Se as acusações se confirmarem, advertiu o ministro alemão, "serão adotadas medidas disciplinares apropriadas e também serão adotadas medidas penais com maior dureza."

Pelo menos 2.750 soldados das forças armadas alemães, a Bundeswehr, se encontram em Cabul e em várias cidades do norte do Afeganistão (Mazar-i-Sharif, Kunduz e Faisabad), região onde a Alemanha exerce o comando da Isaf.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;