Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Chineses pedem investigaçao sobre repressao de 1989


Do Diário do Grande ABC

29/05/2000 | 11:10


Familiares das vítimas da repressao da Praça da Paz Celestial (Tianamen) pediram nesta segunda-feira ao regime chinês que realize uma investigaçao ``independente'' sobre a repressao do exército contra os manifestantes em favor da democracia, na madrugada de 4 de junho de 1989.

``Mais de dez anos transcorreram e, no entanto, o governo continua perseguindo quem exige justiça, amordaçando a história para impedir que surja a verdade'', denunciaram as famílias, em carta aberta ao presidente Jiang Zemin e ao primeiro-ministro Zhu Rongji.

A carta foi transmitida pela organizaçao nova-iorquina Human Rights na China e está assinada, entre outros, pelo professor Ding Zilin, porta-voz das famílias, cujo filho morreu com um tiro nas costas disparado pelo exército, em junho de 1989.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Chineses pedem investigaçao sobre repressao de 1989

Do Diário do Grande ABC

29/05/2000 | 11:10


Familiares das vítimas da repressao da Praça da Paz Celestial (Tianamen) pediram nesta segunda-feira ao regime chinês que realize uma investigaçao ``independente'' sobre a repressao do exército contra os manifestantes em favor da democracia, na madrugada de 4 de junho de 1989.

``Mais de dez anos transcorreram e, no entanto, o governo continua perseguindo quem exige justiça, amordaçando a história para impedir que surja a verdade'', denunciaram as famílias, em carta aberta ao presidente Jiang Zemin e ao primeiro-ministro Zhu Rongji.

A carta foi transmitida pela organizaçao nova-iorquina Human Rights na China e está assinada, entre outros, pelo professor Ding Zilin, porta-voz das famílias, cujo filho morreu com um tiro nas costas disparado pelo exército, em junho de 1989.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;