Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Baer: Yellen no Tesouro deve levar a inflação e inclinação da curva de juros



24/11/2020 | 15:57


A escolha do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, de indicar a ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) Janet Yellen como secretária do Tesouro deve se traduzir em inclinação da curva de juros dos títulos do país, na avaliação do Julius Baer. Isso porque, segundo o banco, ela deve trabalhar pelo aumento de gastos para recuperação do mercado do trabalho, o que deve levar ao aumento da inflação.

Em relatório, a instituição lembra que Yellen é conhecida por defender que a melhor maneira de conter tendências desinflacionários é com a promoção da demanda sobre a oferta. "Nesse sentido, espera-se mais gastos do governo com infraestrutura pública, educação e saúde. Com ênfase na política fiscal e não na repressão financeira, a curva de juros do Tesouro está se inclinando, enquanto o mercado de crédito viu um aperto ainda maior dos spreads", explicou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Baer: Yellen no Tesouro deve levar a inflação e inclinação da curva de juros


24/11/2020 | 15:57


A escolha do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, de indicar a ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) Janet Yellen como secretária do Tesouro deve se traduzir em inclinação da curva de juros dos títulos do país, na avaliação do Julius Baer. Isso porque, segundo o banco, ela deve trabalhar pelo aumento de gastos para recuperação do mercado do trabalho, o que deve levar ao aumento da inflação.

Em relatório, a instituição lembra que Yellen é conhecida por defender que a melhor maneira de conter tendências desinflacionários é com a promoção da demanda sobre a oferta. "Nesse sentido, espera-se mais gastos do governo com infraestrutura pública, educação e saúde. Com ênfase na política fiscal e não na repressão financeira, a curva de juros do Tesouro está se inclinando, enquanto o mercado de crédito viu um aperto ainda maior dos spreads", explicou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;