Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 29 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Inovadora, Eurocopa começa hoje

Torneio mais tradicional, valioso e badalado do Velho Continente promete ser histórico


Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

08/06/2012 | 07:00


O torneio mais importante da Europa começa hoje. A Eurocopa, competição que abriga as principais potências do Velho Continente entra na 14ª edição com favoritos (como Itália e Alemanha), e zebras (como Holanda e Grécia) que tradicionalmente podem surpreender.

A competição será disputada em dois países que não tem grande tradição futebolística, a Polônia e a Ucrânia. Mesmo assim, as torcidas de ambos os países prometem fazer a diferença. E a empolgação das duas nações por serem a sede do torneio pode ser vista pelas obras. As reformas nos estádios que vão abrigar as partidas geraram custo de aproximadamente 25 bilhões de Euros (cerca de R$ 63 bilhões).

Serão 16 equipes, divididas em quatro grupos. As duas melhores colocadas garantem vaga para a segunda fase. Nesta etapa, inicia-se o mata-mata, que prosseguirá até a decisão, marcada para o dia 1º de julho.

Se duas equipes terminarem a primeira fase com o mesmo número de pontos dentro do grupo, o critério de desempate será o confronto direto entre ambos os times, seguido pelo melhor saldo de gols. Nas fases decisivas, caso as equipes empatem, o vencedor será definido na prorrogação ou nas cobranças de pênalti.

As novidades do torneio começam pela bola. A organização escolheu o modelo mais clássico já visto na história das competições internacionais. A bola Tango, usada na Copa do Mundo de 1978, volta ao circuito futebolístico.

No Grupo A, composto pela anfitriã Polônia, Grécia, Rússia e República Tcheca, a aposta recai sobre os gregos. Campeã em 2004 da Eurocopa, a Grécia montou time forte e tem como referência no ataque o bom centroavante Gekas.

O Grupo B é considerado o da morte. As quatro seleções têm tradição e costumam fazer bonito no torneio. A Holanda, vice-campeã mundial, aposta na base que disputou a Copa do Mundo em 2010 para buscar o título. Robben e Sneijder dispensam comentários.

A Alemanha tem na edição de 2012 a última oportunidade para consagrar a geração que vem defendendo o país nos últimos anos. Somam-se aos dois favoritos Portugual, do artilheiro Cristiano Ronaldo e a Dinamarca, do armador Eriksen.

No Grupo C, a Espanha manteve boa parte da equipe que conquistou a Copa do Mundo e entra como favorita. A segunda vaga deve ficar com a Itália, Apesar dos problemas extra-campo, causados pelo escândalo da Calcioscommese - acusação de apostas envolvendo jogadores - o time tem na velha tradição da Azurra a esperança de ir longe, Por fim, no Grupo D, França e Inglaterra são as favoritas, embora a Suécia seja o azarão da chave e a Ucrânia pense apenas em não fazer feio em casa.

POLÍTICA

A prisão por abuso de poder e o mau tratamento concedido a ex-primeira ministra da Ucrânia, Yulia Timoshenko, que chegou, inclusive, a fazer greve de fome nos últimos dias, interferiu na presença de lideranças políticas durante a Eurocopa.

Representantes de países da União Européia negaram acompanhar as partidas das seleções que forem disputadas no território ucraniano em protesto ao que aconteceu com Yulia. O presidente da França, François Hollande, além de lideranças de outros países, afirmaram que boicotarão o torneio.


Polônia e Grécia iniciam a competição

Polônia e Grécia abrem a edição 2012 da Eurocopa hoje, às 13h (de Brasília), no Estádio Nacional. Com o apoio da torcida, os poloneses sabem que dificilmente podem ir longe na competição. Mas não querem fazer feio em casa. Por isso garantem: garra e determinação não vai faltar em campo.

Na semana que antecedeu a estreia, a torcida fez a festa, aplaudiu os jogadores durante os treinos e prometeu empurrar a equipe diante dos gregos. O resultado desta união entre público e atletas, como não poderia ser diferente, foi imediato.

"Queremos agradecer a todos os jogadores por esta preparação, a todos os fãs que vão estar aqui. Não é nada objetivo, mas obrigado por todo esse período. Estamos com a atenção muito alta", disse o capitão Jakub Blaszczykowsi, jogador mais experiente da equipe.

Segundo ele, há estresse pela necessidade de vitória, mas às vezes assim é melhor porque o país tem grandes expectativas. "O jogador esperou toda a carreira para jogar um grande torneio, em um grande estádio e com milhares de fãs. Isso agora se torna realidade, vamos realizar esses sonhos", admitiu.

Se na economia, a vida da Grécia não foi nada fácil com as crises recentes, no futebol os gregos querem entrar em campo dispostos a levar alegria ao povo.

"Estamos aqui para fazer algo concreto, aproveitar nossa participação em 100%. Queremos dar alegria a todas as pessoas na Grécia, é o que pensamos em fazer e estamos interessados apenas nisso, não no que dizem os outros", afirmou o meia Karagounis, um dos três remanescentes do elenco grego campeão da Eurocopa em 2004.

Se depender do retrospecto nos últimos jogos antes do início da Eurocopa, a Polônia leva vantagem. Em 11 partidas disputadas, a equipe foi derrotada uma única vez.


Boa fase embala Rússia diante dos Tchecos

O segundo jogo do primeiro dia de disputas da Eurocopa acontece às 15h45, entre Rússia e República Tcheca. no Estádio Miejski. Os russos vêm embalados pela boa fase que passam. O time está há oito jogos sem perder, nos quais marcou oito gols e não sofreu nenhum.

A equipe comandada pelo treinador Dick Advocaat tem dois pilares por onde passam todas as jogadas de ataque: o meia Arshavin, do Arsenal, e o atacante Shirokov, que atravessa boa fase no Zenit. Soma-se a esses dois talentos outro veloz atacante, Roman Pavlyuchenko, do Lokomotiv, que foi artilheiro da equipe na surpreendente campanha de 2008, quando a Rússia eliminou a holanda e só parou nas semifinais.

"Temos de vencer na sexta (hoje) a todo custo. Teremos missão complicada para chegar aos mata-matas. Para isso temos que vencer. Claro que será tão complicado agora que o futebol europeu ficou tão nivelado, mas temos de conseguir o resultado positivo de qualquer jeito", comentou o veterano atacante.

Duas boas notícias animaram o treinador às vésperas do duelo. Izmailov e Anyukov, recuperados de lesão, podem começar a partida no banco de reservas.

Do lado da República Tcheca, o desfalque mais provável é do atacante Baros. Ele sofreu estiramento na coxa e dificilmente estará em campo. Caso não possa atuar, as opções para o setor são Pekhart e Lafata. Ou então, o técnico Michael Bilek terá de mudar o esquema de jogo.

Mas a boa notícia fica por conta do retorno do capitão Rosicky, jogador do Arsenal, e principal nome da equipe. Além dele, Bilek conta com nomes desconhecidos, mas confia na boa fase do goleiro Petr Cech, vencedor da Liga dos Campeões da Europa pelo Chelsea. "Não somos favoritos a nada, mas a surpresa pode fazer a diferença. É como o Chelsea", comparou o arqueiro.


Árbitros encerrarão jogos em caso de racismo

Uma das novidades do torneio gerou polêmica. A Uefa autorizou que todos os árbitros, caso presenciem casos de racismo, possam paralisar ou encerrar as partidas. A medida tem como objetivo proteger os atletas deste problema.

"Os árbitros poderão terminar as partidas na hora. Eles têm o poder em caso de racismo. O que penso é a melhor maneira de proteger o jogo contra o preconceito. Minha responsabilidade é fazer algo. E nós temos mudado os regulamentos para mudar a situação. Nós os ajudamos, fizemos muito contra o racismo, mas não posso ser responsável pela sociedade", afirmou Michel Platini, presidente da entidade.

A preocupação sobre o racismo na Eurocopa aumentou depois que um programa de TV da rede inglesa BBC exibiu, no mês passado, atos de discriminação durante jogos de clubes realizados na Polônia e na Ucrânia.

Na ocasião, o ex-zagueiro da seleção inglesa Sol Campbell, que é negro, chegou a participar da atração e pediu aos torcedores ingleses que não viajem até os países-sede desta Euro, como forma de protesto e precaução contra atos racistas.


Prostitutas estudam futebol para atrair clientes na Euro

Os chamados tempos modernos impressionam cada vez mais em relação à busca das pessoas por dinheiro. Para atrair mais clientes durante os jogos que acontecerão na Ucrânia, as prostitutas locais passaram a estudar sobre futebol e a cultura das seleções participantes.

Sabendo que muitos torcedores de outros países estarão nas duas sedes do torneio, as garotas inciaram trabalho de conhecimento sobre o esporte e como agem os admiradores. "Elas (prostitutas) estão se preparando ativamente para o Euro-2012", diz um site que oferece serviços sexuais na Ucrânia. A página ainda afirma que algumas profissionais chegaram a estudar ‘a história dos países participantes no Euro-2012 e sobre futebol', para atrair clientes.

"Todos os homens são iguais. Para eles o futebol e a cerveja são o mais importante, mas eles não vão passar todas as noites bebendo", disse uma das garotas locais.

A prostituição não é legalizada na Ucrânia, mas calcula-se que cerca de 52 mil a 83 mil mulheres exerçam essa prática na ex-república russa. Entre essas, 11 mil situam-se na capital Kiev, segundo estimativas da ONG Aliança Internacional HIV/AIDS.

As outras três cidades anfitriãs do país são Donetsk e Kharkiv (Leste), onde existem mais de 3.000 e em Lviv, localizado a cerca de 60 km da fronteira polonesa, onde estão cerca de 2.500.


Elencos das 16 seleções somados valem R$ 9,4 bi

Considerada a segunda Copa do Mundo para os europeus, a Eurocopa terá durante seus jogos a presença de muitos jogadores renomados no futebol mundial. Craques que desfilam talento nas equipes de ponta, principalmente da Europa, darão o tom da disputa.

Entusiasmados com a conquista do último título mundial, os espanhóis passaram a ser bastante valorizados no futebol mundial. A Fúria tem no elenco os jogadores mais caros somando-se os valores dos concorrentes.

Juntando todo o grupo, a Espanha atinge a marca de 653 milhões de euros (R$ 1,6 bi), o que dá a média de 28,4 milhões de euros (R$ 71,7 milhões) por atleta.

Na sequência, aparecem Alemanha (R$ 1,1 bi) e Inglaterra (R$ 984 milhões). Somadas, as três seleções mais valiosas equivalem a 40% do valor total do campeonato. Para se ter uma idéia em comparação ao futebol brasileiro, se a Seleção nacional participasse do torneio, seria o quinto time mais valioso, contando o valor de mercado de 386 milhões de euros (R$ 975,1 milhões).

A Irlanda é a equipe com o menor valor: 72 milhões de euros (R$ 181 milhões), equivalente ao Corinthians, o quarto time mais valioso do Brasil. O Santos, atualmente a equipe mais valiosa do Brasil (R$ 361,2 milhões), tem elenco um pouco inferior ao da Croácia, nona mais valiosa da Euro.


Novos craques esperam gravar nome na história

A Eurocopa já revelou muitos craques que, posteriormente, brilharam com a camisa das seleções. Foi assim com Van Basten (1988), Peter Schmeichel (1992), Pavel Nedved (1996), Francesco Totti (2000), Wayne Rooney (2004) e Xavi e Andrés Iniesta (2008).

Apontar este ou aquele jogador não é fácil. Porém, levando-se em consideração as últimas atuações por seus países, alguns atletas podem fazer a diferença na competição.

Javi Martinez, da Espanha, vem de ótima temporada no Athletic Bilbao e busca espaço entre as estrelas do time campeão mundial para comprovar a boa fase que passou na última temporada.

Robert Lewandowski (Polônia), autor de 22 gols pelo Borussia Dortmund na Bundesliga, é a esperança de gols dos donos da casa. Seu companheiro de clube na Alemanha, o meia Mario Gotze também pode surpreender atuando pelos germânicos. Titular no Ajax, o jovem dinamarquês Christian Eriksen (20 anos) quer ser o estraga-prazeres dos favoritos Holanda e Alemanha, além de Portugal no Grupo B.

A Inglaterra está longe do futebol que a consagrou como uma das melhores equipes do mundo, mas o meia Ashley Young quer recuperar o prestígio do English Team.

Baixinho, o italiano Sebastian Giovinco, meia que também se arrisca como atacante, mostrou na última temporada que tem tudo para brilhar na Eurocopa. Apesar de ainda não ser titular da Azzurra, o jogador pode ser a esperança da equipe quando entrar em campo.

A Croácia não deve ir longe na competição, mas o atacante Mario Mandzukic é outro que vive bom momento em seu clube (Wolfsburg - Alemanha) e quer repetir o sucesso com a camisa do seu país.

A França não foi nada bem na Copa do Mundo de 2010. E o insucesso se repetiu nas últimas atuações da equipe. Mas para mudar de vez, o time tem em Yohan Cabaye a esperança de dias melhores.

Desde o primeiro ano pelo Newcastle (Inglaterra), o jogador chama atenção por causa da habilidade com a bola nos pés. E aos 26 anos, quer despontar na Eurocopa para alcançar ainda mais espaço no cenário mundial.

Se os garotos entram com força total, por outro lado, os veteranos querem mostrar que não estão por baixo e ainda tem muita lenha para queimar.

São os casos dos atacantes Klose (Alemanha) e Shevchenko (Ucrânia), os meias Xavi (Espanha) e Pirlo (Itália), além do volante Mark van Bommel e o zagueiro Ricardo Costa (Portugal). A revelação russa, o meia Alan Dzagoev também entra na disputa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Inovadora, Eurocopa começa hoje

Torneio mais tradicional, valioso e badalado do Velho Continente promete ser histórico

Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

08/06/2012 | 07:00


O torneio mais importante da Europa começa hoje. A Eurocopa, competição que abriga as principais potências do Velho Continente entra na 14ª edição com favoritos (como Itália e Alemanha), e zebras (como Holanda e Grécia) que tradicionalmente podem surpreender.

A competição será disputada em dois países que não tem grande tradição futebolística, a Polônia e a Ucrânia. Mesmo assim, as torcidas de ambos os países prometem fazer a diferença. E a empolgação das duas nações por serem a sede do torneio pode ser vista pelas obras. As reformas nos estádios que vão abrigar as partidas geraram custo de aproximadamente 25 bilhões de Euros (cerca de R$ 63 bilhões).

Serão 16 equipes, divididas em quatro grupos. As duas melhores colocadas garantem vaga para a segunda fase. Nesta etapa, inicia-se o mata-mata, que prosseguirá até a decisão, marcada para o dia 1º de julho.

Se duas equipes terminarem a primeira fase com o mesmo número de pontos dentro do grupo, o critério de desempate será o confronto direto entre ambos os times, seguido pelo melhor saldo de gols. Nas fases decisivas, caso as equipes empatem, o vencedor será definido na prorrogação ou nas cobranças de pênalti.

As novidades do torneio começam pela bola. A organização escolheu o modelo mais clássico já visto na história das competições internacionais. A bola Tango, usada na Copa do Mundo de 1978, volta ao circuito futebolístico.

No Grupo A, composto pela anfitriã Polônia, Grécia, Rússia e República Tcheca, a aposta recai sobre os gregos. Campeã em 2004 da Eurocopa, a Grécia montou time forte e tem como referência no ataque o bom centroavante Gekas.

O Grupo B é considerado o da morte. As quatro seleções têm tradição e costumam fazer bonito no torneio. A Holanda, vice-campeã mundial, aposta na base que disputou a Copa do Mundo em 2010 para buscar o título. Robben e Sneijder dispensam comentários.

A Alemanha tem na edição de 2012 a última oportunidade para consagrar a geração que vem defendendo o país nos últimos anos. Somam-se aos dois favoritos Portugual, do artilheiro Cristiano Ronaldo e a Dinamarca, do armador Eriksen.

No Grupo C, a Espanha manteve boa parte da equipe que conquistou a Copa do Mundo e entra como favorita. A segunda vaga deve ficar com a Itália, Apesar dos problemas extra-campo, causados pelo escândalo da Calcioscommese - acusação de apostas envolvendo jogadores - o time tem na velha tradição da Azurra a esperança de ir longe, Por fim, no Grupo D, França e Inglaterra são as favoritas, embora a Suécia seja o azarão da chave e a Ucrânia pense apenas em não fazer feio em casa.

POLÍTICA

A prisão por abuso de poder e o mau tratamento concedido a ex-primeira ministra da Ucrânia, Yulia Timoshenko, que chegou, inclusive, a fazer greve de fome nos últimos dias, interferiu na presença de lideranças políticas durante a Eurocopa.

Representantes de países da União Européia negaram acompanhar as partidas das seleções que forem disputadas no território ucraniano em protesto ao que aconteceu com Yulia. O presidente da França, François Hollande, além de lideranças de outros países, afirmaram que boicotarão o torneio.


Polônia e Grécia iniciam a competição

Polônia e Grécia abrem a edição 2012 da Eurocopa hoje, às 13h (de Brasília), no Estádio Nacional. Com o apoio da torcida, os poloneses sabem que dificilmente podem ir longe na competição. Mas não querem fazer feio em casa. Por isso garantem: garra e determinação não vai faltar em campo.

Na semana que antecedeu a estreia, a torcida fez a festa, aplaudiu os jogadores durante os treinos e prometeu empurrar a equipe diante dos gregos. O resultado desta união entre público e atletas, como não poderia ser diferente, foi imediato.

"Queremos agradecer a todos os jogadores por esta preparação, a todos os fãs que vão estar aqui. Não é nada objetivo, mas obrigado por todo esse período. Estamos com a atenção muito alta", disse o capitão Jakub Blaszczykowsi, jogador mais experiente da equipe.

Segundo ele, há estresse pela necessidade de vitória, mas às vezes assim é melhor porque o país tem grandes expectativas. "O jogador esperou toda a carreira para jogar um grande torneio, em um grande estádio e com milhares de fãs. Isso agora se torna realidade, vamos realizar esses sonhos", admitiu.

Se na economia, a vida da Grécia não foi nada fácil com as crises recentes, no futebol os gregos querem entrar em campo dispostos a levar alegria ao povo.

"Estamos aqui para fazer algo concreto, aproveitar nossa participação em 100%. Queremos dar alegria a todas as pessoas na Grécia, é o que pensamos em fazer e estamos interessados apenas nisso, não no que dizem os outros", afirmou o meia Karagounis, um dos três remanescentes do elenco grego campeão da Eurocopa em 2004.

Se depender do retrospecto nos últimos jogos antes do início da Eurocopa, a Polônia leva vantagem. Em 11 partidas disputadas, a equipe foi derrotada uma única vez.


Boa fase embala Rússia diante dos Tchecos

O segundo jogo do primeiro dia de disputas da Eurocopa acontece às 15h45, entre Rússia e República Tcheca. no Estádio Miejski. Os russos vêm embalados pela boa fase que passam. O time está há oito jogos sem perder, nos quais marcou oito gols e não sofreu nenhum.

A equipe comandada pelo treinador Dick Advocaat tem dois pilares por onde passam todas as jogadas de ataque: o meia Arshavin, do Arsenal, e o atacante Shirokov, que atravessa boa fase no Zenit. Soma-se a esses dois talentos outro veloz atacante, Roman Pavlyuchenko, do Lokomotiv, que foi artilheiro da equipe na surpreendente campanha de 2008, quando a Rússia eliminou a holanda e só parou nas semifinais.

"Temos de vencer na sexta (hoje) a todo custo. Teremos missão complicada para chegar aos mata-matas. Para isso temos que vencer. Claro que será tão complicado agora que o futebol europeu ficou tão nivelado, mas temos de conseguir o resultado positivo de qualquer jeito", comentou o veterano atacante.

Duas boas notícias animaram o treinador às vésperas do duelo. Izmailov e Anyukov, recuperados de lesão, podem começar a partida no banco de reservas.

Do lado da República Tcheca, o desfalque mais provável é do atacante Baros. Ele sofreu estiramento na coxa e dificilmente estará em campo. Caso não possa atuar, as opções para o setor são Pekhart e Lafata. Ou então, o técnico Michael Bilek terá de mudar o esquema de jogo.

Mas a boa notícia fica por conta do retorno do capitão Rosicky, jogador do Arsenal, e principal nome da equipe. Além dele, Bilek conta com nomes desconhecidos, mas confia na boa fase do goleiro Petr Cech, vencedor da Liga dos Campeões da Europa pelo Chelsea. "Não somos favoritos a nada, mas a surpresa pode fazer a diferença. É como o Chelsea", comparou o arqueiro.


Árbitros encerrarão jogos em caso de racismo

Uma das novidades do torneio gerou polêmica. A Uefa autorizou que todos os árbitros, caso presenciem casos de racismo, possam paralisar ou encerrar as partidas. A medida tem como objetivo proteger os atletas deste problema.

"Os árbitros poderão terminar as partidas na hora. Eles têm o poder em caso de racismo. O que penso é a melhor maneira de proteger o jogo contra o preconceito. Minha responsabilidade é fazer algo. E nós temos mudado os regulamentos para mudar a situação. Nós os ajudamos, fizemos muito contra o racismo, mas não posso ser responsável pela sociedade", afirmou Michel Platini, presidente da entidade.

A preocupação sobre o racismo na Eurocopa aumentou depois que um programa de TV da rede inglesa BBC exibiu, no mês passado, atos de discriminação durante jogos de clubes realizados na Polônia e na Ucrânia.

Na ocasião, o ex-zagueiro da seleção inglesa Sol Campbell, que é negro, chegou a participar da atração e pediu aos torcedores ingleses que não viajem até os países-sede desta Euro, como forma de protesto e precaução contra atos racistas.


Prostitutas estudam futebol para atrair clientes na Euro

Os chamados tempos modernos impressionam cada vez mais em relação à busca das pessoas por dinheiro. Para atrair mais clientes durante os jogos que acontecerão na Ucrânia, as prostitutas locais passaram a estudar sobre futebol e a cultura das seleções participantes.

Sabendo que muitos torcedores de outros países estarão nas duas sedes do torneio, as garotas inciaram trabalho de conhecimento sobre o esporte e como agem os admiradores. "Elas (prostitutas) estão se preparando ativamente para o Euro-2012", diz um site que oferece serviços sexuais na Ucrânia. A página ainda afirma que algumas profissionais chegaram a estudar ‘a história dos países participantes no Euro-2012 e sobre futebol', para atrair clientes.

"Todos os homens são iguais. Para eles o futebol e a cerveja são o mais importante, mas eles não vão passar todas as noites bebendo", disse uma das garotas locais.

A prostituição não é legalizada na Ucrânia, mas calcula-se que cerca de 52 mil a 83 mil mulheres exerçam essa prática na ex-república russa. Entre essas, 11 mil situam-se na capital Kiev, segundo estimativas da ONG Aliança Internacional HIV/AIDS.

As outras três cidades anfitriãs do país são Donetsk e Kharkiv (Leste), onde existem mais de 3.000 e em Lviv, localizado a cerca de 60 km da fronteira polonesa, onde estão cerca de 2.500.


Elencos das 16 seleções somados valem R$ 9,4 bi

Considerada a segunda Copa do Mundo para os europeus, a Eurocopa terá durante seus jogos a presença de muitos jogadores renomados no futebol mundial. Craques que desfilam talento nas equipes de ponta, principalmente da Europa, darão o tom da disputa.

Entusiasmados com a conquista do último título mundial, os espanhóis passaram a ser bastante valorizados no futebol mundial. A Fúria tem no elenco os jogadores mais caros somando-se os valores dos concorrentes.

Juntando todo o grupo, a Espanha atinge a marca de 653 milhões de euros (R$ 1,6 bi), o que dá a média de 28,4 milhões de euros (R$ 71,7 milhões) por atleta.

Na sequência, aparecem Alemanha (R$ 1,1 bi) e Inglaterra (R$ 984 milhões). Somadas, as três seleções mais valiosas equivalem a 40% do valor total do campeonato. Para se ter uma idéia em comparação ao futebol brasileiro, se a Seleção nacional participasse do torneio, seria o quinto time mais valioso, contando o valor de mercado de 386 milhões de euros (R$ 975,1 milhões).

A Irlanda é a equipe com o menor valor: 72 milhões de euros (R$ 181 milhões), equivalente ao Corinthians, o quarto time mais valioso do Brasil. O Santos, atualmente a equipe mais valiosa do Brasil (R$ 361,2 milhões), tem elenco um pouco inferior ao da Croácia, nona mais valiosa da Euro.


Novos craques esperam gravar nome na história

A Eurocopa já revelou muitos craques que, posteriormente, brilharam com a camisa das seleções. Foi assim com Van Basten (1988), Peter Schmeichel (1992), Pavel Nedved (1996), Francesco Totti (2000), Wayne Rooney (2004) e Xavi e Andrés Iniesta (2008).

Apontar este ou aquele jogador não é fácil. Porém, levando-se em consideração as últimas atuações por seus países, alguns atletas podem fazer a diferença na competição.

Javi Martinez, da Espanha, vem de ótima temporada no Athletic Bilbao e busca espaço entre as estrelas do time campeão mundial para comprovar a boa fase que passou na última temporada.

Robert Lewandowski (Polônia), autor de 22 gols pelo Borussia Dortmund na Bundesliga, é a esperança de gols dos donos da casa. Seu companheiro de clube na Alemanha, o meia Mario Gotze também pode surpreender atuando pelos germânicos. Titular no Ajax, o jovem dinamarquês Christian Eriksen (20 anos) quer ser o estraga-prazeres dos favoritos Holanda e Alemanha, além de Portugal no Grupo B.

A Inglaterra está longe do futebol que a consagrou como uma das melhores equipes do mundo, mas o meia Ashley Young quer recuperar o prestígio do English Team.

Baixinho, o italiano Sebastian Giovinco, meia que também se arrisca como atacante, mostrou na última temporada que tem tudo para brilhar na Eurocopa. Apesar de ainda não ser titular da Azzurra, o jogador pode ser a esperança da equipe quando entrar em campo.

A Croácia não deve ir longe na competição, mas o atacante Mario Mandzukic é outro que vive bom momento em seu clube (Wolfsburg - Alemanha) e quer repetir o sucesso com a camisa do seu país.

A França não foi nada bem na Copa do Mundo de 2010. E o insucesso se repetiu nas últimas atuações da equipe. Mas para mudar de vez, o time tem em Yohan Cabaye a esperança de dias melhores.

Desde o primeiro ano pelo Newcastle (Inglaterra), o jogador chama atenção por causa da habilidade com a bola nos pés. E aos 26 anos, quer despontar na Eurocopa para alcançar ainda mais espaço no cenário mundial.

Se os garotos entram com força total, por outro lado, os veteranos querem mostrar que não estão por baixo e ainda tem muita lenha para queimar.

São os casos dos atacantes Klose (Alemanha) e Shevchenko (Ucrânia), os meias Xavi (Espanha) e Pirlo (Itália), além do volante Mark van Bommel e o zagueiro Ricardo Costa (Portugal). A revelação russa, o meia Alan Dzagoev também entra na disputa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;