Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Anderson Lima revê Azulão
com a consciência tranquila


Anderson Fattori(br)Marco Borba(br)

28/06/2011 | 07:54


Anderson Lima irá experimentar hoje o estranho gosto de enfrentar grandes amigos. Campeão Paulista pelo São Caetano em 2004, o então lateral-direito marcou época no clube e hoje, como auxiliar técnico de Jorginho, na Portuguesa, reencontra o ex-time sem demonstrar peso na consciência. O duelo será às 19h30, no Estádio do Canindé, em São Paulo.

Em três anos de Azulão - de 2004 a 2007 - Anderson Lima colecionou não apenas títulos, mas amigos. Resolveu mudar para São Caetano e sempre que pode acompanha treinos e jogos da equipe. "Deixei as portas abertas lá. Gosto de todo mundo, tenho grandes amigos no clube, mas sou profissional e não encaro esse jogo com rivalidade maior por conta dessa aproximação com o São Caetano", comenta ele.

Experiente, o ex-jogador garante saber separar a razão da emoção. "Será bem tranquilo. Não vejo nada de anormal e nem diferente reencontrar o São Caetano. Sei que sou o oitavo maior artilheiro do clube (com 24 gols), mas isso tudo fica no passado. Quando a bola rola só penso em conseguir bons resultados para minha equipe", explica.

Apesar da proximidade com São Caetano, desde que deixou o clube em 2007, nunca mais teve a oportunidade de retornar. "Não surgiu a possibilidade. Quando parei de jogar, em 2010, o Jorginho me convidou para ser auxiliar e aceitei. Desde então não houve nenhum contato com o São Caetano", enfatiza.

Entre os grandes amigos que fez no Azulão, Anderson Lima destaca o ex-vice-presidente Luiz de Paula, o Batata, morto há uma semana. "Foi um choque para mim. Era uma pessoa próxima e que eu respeitava demais. Tanto que sou muito ligado à família e aos filhos dele. Senti muito. Foi uma pena e será perda irreparável para o São Caetano."

Boleiro, Anderson Lima não perde a oportunidade de entrar em campo. Ontem, ele participou de forma incisiva do rachão da Portuguesa e demonstrou a mesma habilidade nos chutes e cruzamentos.

Ex-jogador destaca título com Azulão

Revelado no Juventus em 1992, Anderson Lima acumula 18 anos de experiência no futebol profissional. Com passagens por Santos, São Paulo e Grêmio, o ex-lateral ressalta a importância na carreira do título do Paulista conquistado pelo São Caetano, em 2004.

"Não gosto de fazer comparações entre as equipes que atuei. Para mim, time inesquecível é o que ganha e em 2004 foi assim. Conseguimos o único título de expressão do São Caetano em toda a história, então para mim se tornou inesquecível", explica.

Na galeria de troféus, Anderson Lima conta com Torneio Rio-São Paulo e Conmebol, pelo Santos, Copa do Brasil e Campeonato Gaúcho, pelo Grêmio, além da Série B do Brasileiro pelo Coritiba.

Mesmo reconhecendo que o Azulão não tem hoje a mesma força de anos atrás, o agora auxiliar técnico da Lusa recomenda cuidado. "O São Caetano sempre monta bons times e será uma partida dificílima, não tenha dúvidas. Conheço bem a equipe deles e por isso posso garantir que será complicado", avalia.

São Caetano arrisca dia de Corinthians diante da Portuguesa

O São Caetano é cauteloso e evita comparações, mas no confronto de hoje diante do líder da Série B do Campeonato Brasileiro (13 pontos), a Portuguesa, no Canindé, espera ter o seu dia de Corinthians. É que pelo Brasileirão, o time do Parque São Jorge surpreendeu ao golear o invicto e também primeiro colocado São Paulo no Pacaembu, mesmo não sendo apontado como favorito no confronto.

"Não dá para igualar. Mas é um clássico e já existe uma rivalidade normal entre as equipes. É uma competição (Série B) em que se vive o momento. Temos consciência de que a Portuguesa vive bom momento, mas tenho plena confiança no meu grupo. Sei de seu potencial e estamos bastante confiantes", analisou o técnico Márcio Goiano, referindo-se à goleada que o Azulão aplicou no Duque de Caxias (4 a 2) na rodada anterior, na quarta-feira, no Estádio Anacleto Campanella.

O São Caetano busca, além dos três pontos para se aproximar dos líderes - está em 11º lugar, com nove pontos -, a segunda vitória seguida na competição.

Na opinião de Goiano, no confronto desta noite é imprescindível que o São Caetano tire pontos do adversário. "Uma vitória pode fazer com que nossa equipe embale. Seria muito importante, porque já começamos a entrar numa fase diferente no torneio, em que começam a se destacar quem fica entre os primeiros e os últimos colocados."

O treinador está confiante em sua nova dupla de ataque, formada por Antonio Flávio e Geovane, mesmo tendo perdido Eduardo, artilheiro da equipe no Paulistão com oito gols, para o Partizan Belgrado, da Sérvia. A concretização da venda de 70% dos direitos do atleta foi confirmada ontem pelo São Caetano, que ainda manteve 30%.

Geovane, que faz a segunda partida como titular, diz não incomodar o fato de a Lusa vir de duas goleadas, sobre o Goiás (4 a 1) e o Bragantino (5 a 0). "Fizemos quatro no Duque e isso nos dá mais confiança também. Não estamos preocupados com eles". (Marco Borba)

Além da Lusa, quatro times têm chance de dormir na ponta

Rodada completa na noite de hoje pelo Campeonato Brasileiro da Série B. E a liderança pode ter novo dono ou dona. Isso porque, devido ao equilíbrio do torneio, além da Portuguesa, que já ostenta a posição, outros quatro times têm condições de terminar na ponta. Ponte Preta, Paraná, Americana e ABC-RN vão secar a Lusa contra o Azulão/CW.

Embalado pelas vitórias sobre Guarani e Salgueiro, o Americana visita o Grêmio Barueri, às 19h30, na Arena Barueri. Com os mesmos 14 pontos da líder Portuguesa, tem chances de dormir no topo em caso de combinação de resultados. Já o adversário, do técnico Sérgio Soares, busca se distanciar da zona de rebaixamento e deixar para trás a derrota para o Boa, por 2 a 0.

Também fora de casa, o Paraná enfrenta o Vitória, às 21h50, no Barradão. A equipe paranista do técnico Roberto Fonseca é outra que soma 14 pontos e mira a ponta. Um pouco mais abaixo na classificação, os baianos (sétimos, com 11) veem o G-4 próximo.

Outra que joga como visitante é a Ponte Preta (vice-líder, com 14 pontos), que encara o Salgueiro, às 21h50, no Estádio Ademir Cunha.

Já o ABC-RN visita o Sport, na Ilha do Retiro (às 19h30). Depois de vencer o Náutico, a ordem é passar por outro pernambucano em busca da liderança (soma 13 pontos).

Outros: às 19h30, Duque de Caxias x Sport e Guarani x Vila Nova (que ontem anunciou Hélio dos Anjos); às 21h50, Criciúma x Bragantino, Icasa x ASA, e Goiás x Boa. (Do Diário do Grande ABC)

Anderson Marques pede solidariedade ao ataque

Solidariedade na marcação. Esse é ingrediente, segundo o zagueiro Anderson Marques, capaz de ajudar a defesa do São Caetano a parar o ataque da Portuguesa, melhor da Série B com 20 gols, e que só nos dois últimos jogos fez nove: 5 a 0 sobre o Bragantino e 4 a 1 no Goiás.

"Não tem segredo. Para segurar um ataque que vem se mostrando eficiente, só mesmo marcação muito forte. Diante do Icasa, em que atuamos fora de casa, o ataque deu contribuição muito grande e conseguimos segurar o empate (0 a 0). Se repetirmos isso, creio que podemos obter bom resultado", avalia o zagueiro.

Para Anderson Marques, que reconquistou a titularidade após ter ido para a reserva no início da Série B com a chegada do técnico Márcio Goiano, é até melhor para o São Caetano atuar com um time que vem confiante por conta dos dois resultados expressivos. "É bom, porque quando uma equipe vem de derrota a cobrança é maior. Eles estão mais confiantes agora, e isso pode ser algo positivo para a gente. Temos consistência defensiva, mas como já disse, é essencial que todos se dediquem à marcação quando estivermos sem a bola."

O alerta do zagueiro se deve ao fato de a Portuguesa atuar com três atacantes, número que pode chegar a seis, conforme o próprio técnico Márcio Goiano apontou por causa do apoio dos dois volante e um dos laterais.

O São Caetano busca hoje a segunda vitória seguida na competição, algo que para Anderson Marques pode ser um divisor de águas para a equipe na sequência da Série B. "Se vencermos, podemos dar uma arrancada no torneio. A vitória daria mais força e moral ao grupo, até porque em seguida temos outro compromisso difícil em casa, diante do Sport (sábado)."

Márcio Goiano não adiantou, mas Thiago Martinelli deve ser mantido ao lado de Anderson Marques no lugar de Eli Sabiá, que cumpriu suspensão diante do Duque de Caxias. (Marco Borba)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Anderson Lima revê Azulão
com a consciência tranquila

Anderson Fattori(br)Marco Borba(br)

28/06/2011 | 07:54


Anderson Lima irá experimentar hoje o estranho gosto de enfrentar grandes amigos. Campeão Paulista pelo São Caetano em 2004, o então lateral-direito marcou época no clube e hoje, como auxiliar técnico de Jorginho, na Portuguesa, reencontra o ex-time sem demonstrar peso na consciência. O duelo será às 19h30, no Estádio do Canindé, em São Paulo.

Em três anos de Azulão - de 2004 a 2007 - Anderson Lima colecionou não apenas títulos, mas amigos. Resolveu mudar para São Caetano e sempre que pode acompanha treinos e jogos da equipe. "Deixei as portas abertas lá. Gosto de todo mundo, tenho grandes amigos no clube, mas sou profissional e não encaro esse jogo com rivalidade maior por conta dessa aproximação com o São Caetano", comenta ele.

Experiente, o ex-jogador garante saber separar a razão da emoção. "Será bem tranquilo. Não vejo nada de anormal e nem diferente reencontrar o São Caetano. Sei que sou o oitavo maior artilheiro do clube (com 24 gols), mas isso tudo fica no passado. Quando a bola rola só penso em conseguir bons resultados para minha equipe", explica.

Apesar da proximidade com São Caetano, desde que deixou o clube em 2007, nunca mais teve a oportunidade de retornar. "Não surgiu a possibilidade. Quando parei de jogar, em 2010, o Jorginho me convidou para ser auxiliar e aceitei. Desde então não houve nenhum contato com o São Caetano", enfatiza.

Entre os grandes amigos que fez no Azulão, Anderson Lima destaca o ex-vice-presidente Luiz de Paula, o Batata, morto há uma semana. "Foi um choque para mim. Era uma pessoa próxima e que eu respeitava demais. Tanto que sou muito ligado à família e aos filhos dele. Senti muito. Foi uma pena e será perda irreparável para o São Caetano."

Boleiro, Anderson Lima não perde a oportunidade de entrar em campo. Ontem, ele participou de forma incisiva do rachão da Portuguesa e demonstrou a mesma habilidade nos chutes e cruzamentos.

Ex-jogador destaca título com Azulão

Revelado no Juventus em 1992, Anderson Lima acumula 18 anos de experiência no futebol profissional. Com passagens por Santos, São Paulo e Grêmio, o ex-lateral ressalta a importância na carreira do título do Paulista conquistado pelo São Caetano, em 2004.

"Não gosto de fazer comparações entre as equipes que atuei. Para mim, time inesquecível é o que ganha e em 2004 foi assim. Conseguimos o único título de expressão do São Caetano em toda a história, então para mim se tornou inesquecível", explica.

Na galeria de troféus, Anderson Lima conta com Torneio Rio-São Paulo e Conmebol, pelo Santos, Copa do Brasil e Campeonato Gaúcho, pelo Grêmio, além da Série B do Brasileiro pelo Coritiba.

Mesmo reconhecendo que o Azulão não tem hoje a mesma força de anos atrás, o agora auxiliar técnico da Lusa recomenda cuidado. "O São Caetano sempre monta bons times e será uma partida dificílima, não tenha dúvidas. Conheço bem a equipe deles e por isso posso garantir que será complicado", avalia.

São Caetano arrisca dia de Corinthians diante da Portuguesa

O São Caetano é cauteloso e evita comparações, mas no confronto de hoje diante do líder da Série B do Campeonato Brasileiro (13 pontos), a Portuguesa, no Canindé, espera ter o seu dia de Corinthians. É que pelo Brasileirão, o time do Parque São Jorge surpreendeu ao golear o invicto e também primeiro colocado São Paulo no Pacaembu, mesmo não sendo apontado como favorito no confronto.

"Não dá para igualar. Mas é um clássico e já existe uma rivalidade normal entre as equipes. É uma competição (Série B) em que se vive o momento. Temos consciência de que a Portuguesa vive bom momento, mas tenho plena confiança no meu grupo. Sei de seu potencial e estamos bastante confiantes", analisou o técnico Márcio Goiano, referindo-se à goleada que o Azulão aplicou no Duque de Caxias (4 a 2) na rodada anterior, na quarta-feira, no Estádio Anacleto Campanella.

O São Caetano busca, além dos três pontos para se aproximar dos líderes - está em 11º lugar, com nove pontos -, a segunda vitória seguida na competição.

Na opinião de Goiano, no confronto desta noite é imprescindível que o São Caetano tire pontos do adversário. "Uma vitória pode fazer com que nossa equipe embale. Seria muito importante, porque já começamos a entrar numa fase diferente no torneio, em que começam a se destacar quem fica entre os primeiros e os últimos colocados."

O treinador está confiante em sua nova dupla de ataque, formada por Antonio Flávio e Geovane, mesmo tendo perdido Eduardo, artilheiro da equipe no Paulistão com oito gols, para o Partizan Belgrado, da Sérvia. A concretização da venda de 70% dos direitos do atleta foi confirmada ontem pelo São Caetano, que ainda manteve 30%.

Geovane, que faz a segunda partida como titular, diz não incomodar o fato de a Lusa vir de duas goleadas, sobre o Goiás (4 a 1) e o Bragantino (5 a 0). "Fizemos quatro no Duque e isso nos dá mais confiança também. Não estamos preocupados com eles". (Marco Borba)

Além da Lusa, quatro times têm chance de dormir na ponta

Rodada completa na noite de hoje pelo Campeonato Brasileiro da Série B. E a liderança pode ter novo dono ou dona. Isso porque, devido ao equilíbrio do torneio, além da Portuguesa, que já ostenta a posição, outros quatro times têm condições de terminar na ponta. Ponte Preta, Paraná, Americana e ABC-RN vão secar a Lusa contra o Azulão/CW.

Embalado pelas vitórias sobre Guarani e Salgueiro, o Americana visita o Grêmio Barueri, às 19h30, na Arena Barueri. Com os mesmos 14 pontos da líder Portuguesa, tem chances de dormir no topo em caso de combinação de resultados. Já o adversário, do técnico Sérgio Soares, busca se distanciar da zona de rebaixamento e deixar para trás a derrota para o Boa, por 2 a 0.

Também fora de casa, o Paraná enfrenta o Vitória, às 21h50, no Barradão. A equipe paranista do técnico Roberto Fonseca é outra que soma 14 pontos e mira a ponta. Um pouco mais abaixo na classificação, os baianos (sétimos, com 11) veem o G-4 próximo.

Outra que joga como visitante é a Ponte Preta (vice-líder, com 14 pontos), que encara o Salgueiro, às 21h50, no Estádio Ademir Cunha.

Já o ABC-RN visita o Sport, na Ilha do Retiro (às 19h30). Depois de vencer o Náutico, a ordem é passar por outro pernambucano em busca da liderança (soma 13 pontos).

Outros: às 19h30, Duque de Caxias x Sport e Guarani x Vila Nova (que ontem anunciou Hélio dos Anjos); às 21h50, Criciúma x Bragantino, Icasa x ASA, e Goiás x Boa. (Do Diário do Grande ABC)

Anderson Marques pede solidariedade ao ataque

Solidariedade na marcação. Esse é ingrediente, segundo o zagueiro Anderson Marques, capaz de ajudar a defesa do São Caetano a parar o ataque da Portuguesa, melhor da Série B com 20 gols, e que só nos dois últimos jogos fez nove: 5 a 0 sobre o Bragantino e 4 a 1 no Goiás.

"Não tem segredo. Para segurar um ataque que vem se mostrando eficiente, só mesmo marcação muito forte. Diante do Icasa, em que atuamos fora de casa, o ataque deu contribuição muito grande e conseguimos segurar o empate (0 a 0). Se repetirmos isso, creio que podemos obter bom resultado", avalia o zagueiro.

Para Anderson Marques, que reconquistou a titularidade após ter ido para a reserva no início da Série B com a chegada do técnico Márcio Goiano, é até melhor para o São Caetano atuar com um time que vem confiante por conta dos dois resultados expressivos. "É bom, porque quando uma equipe vem de derrota a cobrança é maior. Eles estão mais confiantes agora, e isso pode ser algo positivo para a gente. Temos consistência defensiva, mas como já disse, é essencial que todos se dediquem à marcação quando estivermos sem a bola."

O alerta do zagueiro se deve ao fato de a Portuguesa atuar com três atacantes, número que pode chegar a seis, conforme o próprio técnico Márcio Goiano apontou por causa do apoio dos dois volante e um dos laterais.

O São Caetano busca hoje a segunda vitória seguida na competição, algo que para Anderson Marques pode ser um divisor de águas para a equipe na sequência da Série B. "Se vencermos, podemos dar uma arrancada no torneio. A vitória daria mais força e moral ao grupo, até porque em seguida temos outro compromisso difícil em casa, diante do Sport (sábado)."

Márcio Goiano não adiantou, mas Thiago Martinelli deve ser mantido ao lado de Anderson Marques no lugar de Eli Sabiá, que cumpriu suspensão diante do Duque de Caxias. (Marco Borba)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;