Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Venda em informática cresce 201% entre 2004 e 2008



19/01/2008 | 07:05


As vendas de artigos de informática no comércio varejista dispararam nos últimos quatro anos e não há sinais de arrefecimento. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o grupo de equipamentos de escritório, informática e comunicação (no qual se destacam os artigos de informática) registrou crescimento acumulado de 201% entre janeiro de 2004 e novembro do ano passado, mais de cinco vezes acima da média de expansão das vendas do varejo no período (38%).

O diretor de marketing da Positivo Informática, César Aymoré, disse que a penetração de computadores no mercado brasileiro ainda é pequena e o potencial de expansão, gigantesco. Ele exemplifica que enquanto 20% dos domicílios do País têm computador, nos Estados Unidos a fatia chega a 60% e nos países escandinavos, a 80%. "Há uma grande oportunidade ainda de atender os municípios brasileiros", afirmou.

O maior potencial de demanda, segundo ele, está nas classes C e D e nas regiões Norte e Nordeste. Mas há também um mercado adicional, e não menos poderoso, de reposição de computadores - o tempo médio que o consumidor permanece com uma máquina é de quatro a cinco anos - e aquisição de notebooks nas classes A e B.

Somente na Positivo, as vendas de notebook cresceram quase 500% de janeiro a setembro do ano passado ante igual período de 2006, passando de 22 mil (nove meses de 2006) para 113 mil (mesmo período de 2007).

Aymoré, assim como o técnico de serviços e comércio do IBGE, Nilo Lopes, atribui a extraordinária expansão dos artigos de informática nos últimos anos a uma conjunção de fatores que inclui, sobretudo, a oferta de crédito, o câmbio e os incentivos fiscais do governo. Lopes cita também "a crescente essencialidade" desses artigos no cotidiano das famílias.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Venda em informática cresce 201% entre 2004 e 2008


19/01/2008 | 07:05


As vendas de artigos de informática no comércio varejista dispararam nos últimos quatro anos e não há sinais de arrefecimento. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o grupo de equipamentos de escritório, informática e comunicação (no qual se destacam os artigos de informática) registrou crescimento acumulado de 201% entre janeiro de 2004 e novembro do ano passado, mais de cinco vezes acima da média de expansão das vendas do varejo no período (38%).

O diretor de marketing da Positivo Informática, César Aymoré, disse que a penetração de computadores no mercado brasileiro ainda é pequena e o potencial de expansão, gigantesco. Ele exemplifica que enquanto 20% dos domicílios do País têm computador, nos Estados Unidos a fatia chega a 60% e nos países escandinavos, a 80%. "Há uma grande oportunidade ainda de atender os municípios brasileiros", afirmou.

O maior potencial de demanda, segundo ele, está nas classes C e D e nas regiões Norte e Nordeste. Mas há também um mercado adicional, e não menos poderoso, de reposição de computadores - o tempo médio que o consumidor permanece com uma máquina é de quatro a cinco anos - e aquisição de notebooks nas classes A e B.

Somente na Positivo, as vendas de notebook cresceram quase 500% de janeiro a setembro do ano passado ante igual período de 2006, passando de 22 mil (nove meses de 2006) para 113 mil (mesmo período de 2007).

Aymoré, assim como o técnico de serviços e comércio do IBGE, Nilo Lopes, atribui a extraordinária expansão dos artigos de informática nos últimos anos a uma conjunção de fatores que inclui, sobretudo, a oferta de crédito, o câmbio e os incentivos fiscais do governo. Lopes cita também "a crescente essencialidade" desses artigos no cotidiano das famílias.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;