Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Ex-presidente do PT, Salatiel deixa a sigla e dispara críticas

Dirigente reclama de falta de espaço a projeto de militantes e diz que 20 vão acompanhá-lo


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

20/10/2015 | 07:00


Presidente do PT de São Bernardo entre 2008 e 2013, Wanderley Salatiel deixou as fileiras do petismo ontem, depois de quase 20 anos de militância, disparando críticas a lideranças nacionais e municipais da legenda. Ainda integrante direção da sigla são-bernardense, ele sai ao lado de 20 militantes que vão a outro projeto político, segundo ele, ainda não definido.

“Na verdade o atual sistema do PT, não só aqui na cidade, mas em todo o País, me tirou porque não mais permite participação da militância. Existe uma exclusão de pessoas e isso está deixando o partido sem rumo. Não tem hoje uma orientação ou respaldo dos dirigentes em meio a um cenário em que estamos sendo bombardeados”, alegou.

Salatiel evitou criticar nominalmente o prefeito Luiz Marinho (PT) e o presidente do petismo local, Brás Marinho. No entanto, comentou que sua insatisfação se arrastava principalmente após se colocar como pré-candidato a vereador.

“Conversei com o prefeito sobre essa minha angústia e falta de espaço. Ele ficou de me dar um retorno, mas não fez. Assim, tomei meu rumo. Tinha rejeição quanto ao meu projeto para eleição porque no PT parece que você não fazer parte de determinado grupo não tem direito a nada”, atacou.

O dirigente disse que sai “sem ódio”, mas “magoado” e lembrou sua atuação como presidente petista em 2008, quando Marinho reconduziu o partido ao comando do Executivo. “A legenda ficou 16 anos fora do poder na cidade. Foi coletivo que trabalhou muito bem pela vitória, que foi seguida pela reeleição e a conquista de oito cadeiras na Câmara. Quando assumi, tínhamos apenas quatro vereadores. Faltou respeito com a minha história.”

Sem estabelecer prazo, Salatiel sustentou que vai seguir na política. No entanto, garantiu não ter nada apalavrado ou que sua saída foi motivada por possível aproximação de outros partidos. Considerou ainda que não incentivou a saída de outros filiados.“Não tenho absolutamente nada em vista. Apenas cansei de participar de grupo que privilegia poucos. Não dialoga direito. Eu me surpreendi com as outras desfiliações. Fiquei feliz com respeito que demonstraram por mim, mas não incentivei ninguém”, discorreu.

Salatiel é mais uma baixa no petismo da região. Antes dele, deixou a sigla Márcio Chaves, que, em Mauá, migrou para o PSD. Estão de saída o também mauaense Rogério Santana e o Pio Mielo, de São Caetano.

Presidente do PT de São Bernardo, Brás Marinho, de forma ríspida, desconversou saída do correligionário. “Não tenho nada a declarar. Coloca a versão do Salatiel porque ele não falou nada comigo”. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;