Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Moraes: comunicado pró-Lula de comitê da ONU não tem efetividade jurídica alguma



21/08/2018 | 15:09


O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse na tarde desta terça-feira, 21, que a posição do Comitê de Direitos Humanos da ONU a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não possui "efetividade jurídica alguma" e não representa a opinião da ONU, e sim de um "subcomitê do comitê".

Na última sexta-feira, 17, o comitê emitiu um comunicado "solicitando ao Brasil que tome todas as medidas necessárias para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva possa desfrutar e exercer seus direitos políticos, enquanto esteja na prisão, como candidato para as eleições presidenciais".

No comunicado, o órgão solicita que esse direito "inclua o acesso apropriado à imprensa e membros de seu partido político".

"Primeiro, não é uma manifestação da ONU, é um 'subcomitê do comitê'. Segundo, não tem nenhuma vinculação. Terceiro: é como uma manifestação do IBCCrim Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, não tem efetividade jurídica alguma", avaliou Alexandre de Moraes nesta terça-feira, ao chegar para a sessão da Primeira Turma.

Ao destacar que o comitê solicita a adoção de "todas as medidas necessárias", Moraes comentou: "Todas as providências sempre foram tomadas, aplicando a legislação. E o TSE Tribunal Superior Eleitoral, que vai analisar o pedido de registro de Lula, vai aplicar a legislação. Como diria minha vó: cada macaco no seu galho."

Ofensiva

Segundo apurou o Estadão/Broadcast, a defesa de Lula na arena eleitoral pretende usar o comunicado a favor do ex-presidente no pedido de registro que tramita no TSE - personalidades do meio jurídico internacional, aliás, estão sendo procuradas por auxiliares do petista.

Conforme informou o Broadcast na última sexta-feira, ministros do STF e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) acreditam que Lula tem chances mínimas de conseguir uma liminar para suspender a inelegibilidade e garantir a candidatura à Presidência da República.

Eles também afirmam que o comunicado do Comitê de Direitos Humanos da ONU solicitando ao Brasil que Lula possa ser candidato não irá interferir na situação jurídica do petista.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;