Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Câmara avaliza Celma Dias na ouvidoria

Com voto favorável, Manoel Lopes reclama que a indicada deveria ter se apresentado à Casa


Gustavo Pinchiaro
Do Diário do Grande ABC

23/04/2014 | 07:00


A Câmara de Mauá aprovou ontem, por unanimidade, a indicação da ex-secretária de Assistência Social e mulher do ex-prefeito Oswaldo Dias (PT), Celma Dias (PT), para chefiar a ouvidoria municipal. O nome da petista já havia sido avalizado por entidades sociais cadastradas no município.

Apesar da aprovação, o vereador Manoel Lopes (DEM) questionou o trâmite adotado pelo Paço para chancelar a indicação. “Deveria ter vindo à Câmara para dialogar com os vereadores e se apresentar. Já havia sugerido isso quando o ex-vereador Chico do Judô foi indicado para ser o ouvidor na administração passada. Mas o governo prefere sempre encaminhar as demandas no afogadilho”, reclamou. Em contrapartida, o democrata exaltou o currículo e disse ter muito respeito por Celma. “Ela já trabalhou por muito tempo no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e foi secretária de Serviço Social. Sabemos da capacidade dela. Mas não descartaria a presença dela no Legislativo.”

Rômulo Fernandes (PT), que deixou a Secretaria de Relações Institucionais na quinta-feira para assumir mandato de vereador, rebateu o discurso de Manoel. “Você já aprovou a indicação dela destacando o currículo e a capacidade. E não existe nenhuma lei que exija a presença do indicado para ouvidoria na Câmara.”

Atualmente Celma está lotada como coordenadora de projetos na administração do prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT). A ouvidoria é um cargo cobiçado entre os petistas por servir como termômetro dos problemas da cidade.

A indicação da mulher de Oswaldo ocorreu em meio a pressão de Donisete para desistência da pré-candidatura a deputado estadual do vereador José Luiz Cassimiro (PT).

Posteriormente, o parlamentar optou por apoiar projeto do mandatário do PT andreense, Luiz Turco, em conquistar cadeira na Assembleia Legislativa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmara avaliza Celma Dias na ouvidoria

Com voto favorável, Manoel Lopes reclama que a indicada deveria ter se apresentado à Casa

Gustavo Pinchiaro
Do Diário do Grande ABC

23/04/2014 | 07:00


A Câmara de Mauá aprovou ontem, por unanimidade, a indicação da ex-secretária de Assistência Social e mulher do ex-prefeito Oswaldo Dias (PT), Celma Dias (PT), para chefiar a ouvidoria municipal. O nome da petista já havia sido avalizado por entidades sociais cadastradas no município.

Apesar da aprovação, o vereador Manoel Lopes (DEM) questionou o trâmite adotado pelo Paço para chancelar a indicação. “Deveria ter vindo à Câmara para dialogar com os vereadores e se apresentar. Já havia sugerido isso quando o ex-vereador Chico do Judô foi indicado para ser o ouvidor na administração passada. Mas o governo prefere sempre encaminhar as demandas no afogadilho”, reclamou. Em contrapartida, o democrata exaltou o currículo e disse ter muito respeito por Celma. “Ela já trabalhou por muito tempo no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e foi secretária de Serviço Social. Sabemos da capacidade dela. Mas não descartaria a presença dela no Legislativo.”

Rômulo Fernandes (PT), que deixou a Secretaria de Relações Institucionais na quinta-feira para assumir mandato de vereador, rebateu o discurso de Manoel. “Você já aprovou a indicação dela destacando o currículo e a capacidade. E não existe nenhuma lei que exija a presença do indicado para ouvidoria na Câmara.”

Atualmente Celma está lotada como coordenadora de projetos na administração do prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT). A ouvidoria é um cargo cobiçado entre os petistas por servir como termômetro dos problemas da cidade.

A indicação da mulher de Oswaldo ocorreu em meio a pressão de Donisete para desistência da pré-candidatura a deputado estadual do vereador José Luiz Cassimiro (PT).

Posteriormente, o parlamentar optou por apoiar projeto do mandatário do PT andreense, Luiz Turco, em conquistar cadeira na Assembleia Legislativa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;