Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 16 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Mais de 2.400 morrem no Iraque em junho, diz ONU



01/07/2014 | 04:02


Mais de 2.400 pessoas foram mortas no Iraque em junho, que se tornou o mês mais mortal para o país neste ano, afirmou a Organização das Nações Unidas (ONU).

A missão da ONU no Iraque informou em comunicado que ao menos 2.417 pessoas foram mortas no país em atos de terrorismo e violência. O número inclui 1.531 civis e 886 membros das forças de segurança do Iraque. Outros 2.287 iraquianos foram feridos. Essa contagem não inclui as vítimas na província de Anbar, que é amplamente controlada pelos militantes sunitas.

Em junho o grupo radical sunita Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL, na sigla em inglês) intensificou o combate ao governo iraquiano, assumindo o controle de várias cidades e marchando em direção à capital Bagdá.

Durante o fim de semana, o EIIL, que controla territórios na Síria e no Iraque, declarou formalmente a criação de um califado islâmico. Eles exigiram fidelidade de muçulmanos em todo o mundo. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mais de 2.400 morrem no Iraque em junho, diz ONU


01/07/2014 | 04:02


Mais de 2.400 pessoas foram mortas no Iraque em junho, que se tornou o mês mais mortal para o país neste ano, afirmou a Organização das Nações Unidas (ONU).

A missão da ONU no Iraque informou em comunicado que ao menos 2.417 pessoas foram mortas no país em atos de terrorismo e violência. O número inclui 1.531 civis e 886 membros das forças de segurança do Iraque. Outros 2.287 iraquianos foram feridos. Essa contagem não inclui as vítimas na província de Anbar, que é amplamente controlada pelos militantes sunitas.

Em junho o grupo radical sunita Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL, na sigla em inglês) intensificou o combate ao governo iraquiano, assumindo o controle de várias cidades e marchando em direção à capital Bagdá.

Durante o fim de semana, o EIIL, que controla territórios na Síria e no Iraque, declarou formalmente a criação de um califado islâmico. Eles exigiram fidelidade de muçulmanos em todo o mundo. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;