Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 25 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Gasolina e passagem aérea tiveram maior pressão sobre IPCA de dezembro



10/01/2018 | 11:16


O encarecimento das passagens aéreas e da gasolina puxaram a alta de 1,23% nas despesas das famílias com Transportes em dezembro, segundo os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As tarifas aéreas subiram 22,28%, o equivalente a um impacto de 0,09 ponto porcentual sobre a alta de 0,44% no IPCA do mês. A gasolina ficou 2,26% mais cara, também com contribuição de 0,09 ponto porcentual sobre a inflação.

Os dois itens lideraram o ranking de maiores pressões sobre o IPCA de dezembro. Juntos, gasolina e passagens aéreas responderam por 41% da inflação do mês, o equivalente a 0,18 ponto porcentual.

O etanol também aumentou em dezembro, 4,37%, o equivalente a uma contribuição de 0,04 ponto porcentual sobre a inflação.

Energia elétrica

A tarifa de energia elétrica ficou 3,09% mais barata em dezembro, principal impacto negativo sobre a inflação do mês. O item deu uma contribuição de -0,12 ponto porcentual para a taxa de 0,44% do IPCA de dezembro.

A partir de 1º de dezembro, a bandeira tarifária vermelha patamar 1, com custo adicional nas tarifas de R$ 0,03 por cada kWh consumido, substituiu a cobrança extra da bandeira vermelha patamar 2, que implicava em um custo adicional de R$ 0,05 por cada kWh. Apesar da cobrança extra menor, houve reajuste de 29,60% em uma das concessionárias de energia de Porto Alegre, em vigor desde 21 de dezembro.

Com a conta de luz mais barata, a despesa com o grupo Habitação caiu 0,40% em dezembro.

Houve aumentos, porém, na taxa de água e esgoto (1,19%) e no gás de botijão (1,09%). A taxa de água e esgoto sofreu reajustes de 7,89% em São Paulo, de 5,25% no Rio de Janeiro, e de 8,43% em Belém.

O encarecimento do gás de botijão reflete o reajuste médio de 8,90% no preço do gás de cozinha vendido em botijões de 13 kg, autorizado pela Petrobras nas refinarias a partir de 5 de dezembro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados