Memória
Memória
Memória
Artesão e artesanato. De São Caetano a São Vicente. De Montevideo a Buenos Aires. Salve, salve, o nosso artesão.

“A palavra-chave sempre se esconde”. Ledo Ivo, Cabeça Ativa, 2014. Em abril de 2002, a Fundação Pró-Memória de São Caetano desenvolveu o projeto “Caminhos da Memória” e escolheu como foto-tema uma porta que pertenceu ao Externato Santo Antonio e que, em 2002, encontrava-se instalada em uma casa comercial da Rua Conde Francisco Matarazzo. Em 2014 os editores Cláudia Brino & Vieira Vivo, com ilustração de Neli Vieira, elegerem a [Leia mais]

04/03/2024 08:00
Notícias mais recentes |
Memória
Dílson de Oliveira Nunes. O adeus em forma de memória. O jardim da velha escola. A colaboração dos amigos. O pensamento final.

A revista eletrônica que Dílson de Oliveira Nunes criou, número de março de 2024, saiu como edição especial comemorativa ao quinto aniversário do informativo. No total, 1.236 páginas de informações, memórias, entrevistas, fotos maravilhosas de hoje e de ontem, receita culinária, poesia e aula de matemática... O pensamento voltado a Deus saiu na última página. Na apresentação, um agradecimento do querido Dílson: “Agradecemos a quem acredita, [Leia mais]

03/03/2024 08:00
Memória
Padre José Mahon. Operário francês. Trabalhava na fábrica... ...e ali evangelizava.

A história do padre Mahon é tão bonita que ganhou um livro com 157 páginas, “Uma voz em defesa dos pobres e trabalhadores”, escrita por Leonardo Campos (Santo André, Coopacesso, 2020). Leonardo fala do padre e do livro no “Memória na TV”, do Diário desta semana. “Padre Mahon nunca escondeu que os melhores anos de sua vida foram vividos no Brasil”, escreve Leonardo na capa do livro dedicado ao sacerdote. “Ícone contra a ditadura” (Raphael [Leia mais]

02/03/2024 08:00
Memória
97 poetas. 224 poemas publicados. Autores de 19 cidades... ...e seis Estados da Federação. 17 livros postados em Santo André.

A cidade que me recebeu Tenho orgulho de nela habitar. A contribuição valeu Pelo magnifico olhar. Anita dos Santos Grego, “Poemas da Cidade”. São Paulo: Suprema Assessoria Editorial, 2014. Leonardo José Dutra Campos é o entrevistado. Poeta ele próprio. Escritor e animador cultural. Conta a história da Coopacesso que não só publica livros como revela novos autores, de todas as idades. A economia solidária está presente na Coopacesso e [Leia mais]

29/02/2024 08:00
Memória
A festa da Ítalo. A emoção de Vicenzo Roma. A lembrança de Sandro Pellini. A memória da Pirelli

Dos novos amigos de Memória, o casal Salvatore Corrieri e Silvana Speranza Corrieri. Eles moram no Ipiranguinha. Vieram recém-casados ao Brasil – e a Santo André. Era 1961. A ideia era retornar à Itália. Estão aqui até hoje. O homenageado da noite, Vicenzo Roma, demonstrou muita felicidade e emoção. Sandro Pellini, que fez história na Pirelli, foi lembrado, 30 anos após a sua partida. E esta página Memória iniciou o repasse das coleções da [Leia mais]

28/02/2024 22:30
Memória
O Pentágono andreense. O Liceu do Cachoeiro. Uma ponte neste Sudeste. O amor à escola de cada um...

“Fiquei feliz e triste ao mesmo tempo ao ler a “Memória” de domingo. Feliz por ver que a turma de Química do Pentágono de 1981 se reúne periodicamente; triste, pois o contato com a turma de 1974, na qual eu e a Leni fizemos parte, se perdeu com o tempo”. Vanderlei Retondo, autor do livro “Crônicas de uma vida feliz”, lançado sexta-feira à noite numa noite gloriosa na Câmara Municipal de Santo André. “Tema de escola sempre rende excelentes [Leia mais]

27/02/2024 08:00
Memória
Do Pentágono em 1981... ...aos acadêmicos de 1863. Gerações extremamente diferentes... Mas, os sonhos, estes são semelhantes.

“O poeta da turma e da geração era Fagundes Varella, que, embora nômade, eterno caminheiro, seguiu regularmente o curso até o terceiro ano”. Cf. Almeida Nogueira, “Tradições e Reminiscências da Academia de São Paulo – a turma de 1863-67”, in O Estado de S. Paulo, 2-2-1909”. O reencontro deste mês de uma antiga turma de ex-alunos do Pentágono em Santo André, ontem focalizado aqui em Memória, inspirou a página a buscar outros modelos de [Leia mais]

26/02/2024 08:00
Memória
Os químicos se reencontram... ...numa amizade de 43 anos. É possível ir além. Memória cita dois casos.

"Amigos são como diamantes, raros e preciosos". Autor desconhecido, citado por Paulo Silotti. Prontos Texto: Paulo Silotti Nesta foto temos representados nossos diamantes. Turma de 1981, formados no curso técnico de química, pelo Colégio Pentágono de Santo André. São 43 anos de amizade pura e sincera, que teve uma breve pausa por conta da vida particular de cada um. Até que em 2022, pós-pandemia, com muito cuidado começamos a nos [Leia mais]

25/02/2024 08:00
Memória
Dalila. Ela fala da sua maior criação. Aquela casa que respira poesia. Faz história. Mexe e provoca sentimentos.

Seguimos Texto: Dalila Teles Veras O Alpharrabio foi criado em 1992 porque era necessário existir um lugar no Grande ABC para as pessoas se encontrarem, trocarem ideias, falarem de poesia dentro e fora dos livros, compartilharem suas artes e lutas, seus afetos e sonhos. Hoje, 32 anos depois, a existência desse lugar nos parece ainda mais imprescindível: por tudo que foi feito até aqui, por tudo que ainda há de ser feito. É muito bonito [Leia mais]

24/02/2024 08:00
Memória
O nascente foot-ball. O livro do Vanderlei Retondo. Troca de camisas. Viagem gastronômica. Um crime em Ribeirão Pires.

“Certo dia, ao ler uma de minhas crônicas, um amigo me questionou se eu gostaria de voltar a viver no passado. Refleti por alguns momentos e respondi que não, pois o maior presente que Deus nos deu é o presente e é nele que devemos viver. Do passado devemos guardar boas recordações, mas que não voltam mais”. Vanderlei Retondo, na apresentação do seu primeiro livro de crônicas, a ser lançado esta noite na Câmara Municipal de Santo André. [Leia mais]

23/02/2024 08:00
Memória
Vincenzo Roma. O italianinho andreense. Estudou no Singular... ...e na Fefisa. Esta noite é só dele.

“Vai reunir-se a seu marido, Gennaro Roma, residente em São Paulo”. De uma das anotações no passaporte coletivo da jovem senhora Angelina Cappuccio Roma e filho Vincenzo, emitido em 1953 pelo Consulado do Brasil em Nápoles. Mãe e filho desembarcaram no Porto de Santos em 2 de dezembro de 1954. Iniciava-se a segunda parte de uma história familiar a ser vivida em Santo André – a primeira parte, claro, aconteceu na Itália sacudida pelos horrores da [Leia mais]

22/02/2024 08:00
Memória
Italianidade festeja. 21 de fevereiro... ...Dia do Imigrante Italiano. São 150 anos de história.

“A duas pátrias serviram sob o signo do amor e do trabalho, fundindo o espírito de Roma com a vocação cordial da terra brasileira”. Frase do jurista Miguel Reale (pai) para o monumento ao Imigrante Italiano de Santo André, inaugurado em 1973. O 21 de fevereiro se transformou, oficialmente, no Dia do Imigrante Italiano, data instituída em 2008 (projeto do ex-senador Gerson Camata - 1941-2018). Outras datas são citadas. Em 1975, o [Leia mais]

21/02/2024 08:00
Memória
Uma campanha regional. Quem vai cuidar desta avenida? Uma contagem retroativa foi criada. E todo mundo foi cobrado.

A história da Avenidas dos Estados, entre Mauá e São Caetano, passando por Santo André e por espaços importantes como Capuava e Utinga, está toda nas páginas do Diário . Uma avenida que nasceu sem um planejamento racional, cada trecho ao sabor das necessidades de momento. Em 1994, a pista no sentido Mauá-São Paulo, em São Caetano, teve a faixa expressa levada pela enchente. A rachadura engoliu o guard rail (mureta de proteção). Sucederam-se os [Leia mais]

20/02/2024 08:00
Memória
Lá vai a santinha. Por água e terra. Mantendo a tradição.

Riacho Grande manteve a tradição das antigas barcaças, batelões ou alvarengas que, pelo Rio Grande, conduziam toras de madeira, lenha e carvão entre São Bernardo e Santo Amaro. Época em que havia transporte fluvial no então futuro Grande ABC. Com a formação da Represa Billings, na década de 1920, esse tipo de transporte foi até ampliado, pois a cidade agora produzia móveis e precisava da madeira abundante da antiga Linha Rio Grande, do Núcleo [Leia mais]

19/02/2024 08:00
Memória
Vila Euclides. O velho estádio reformado. Faz 30 anos. Tinha nome de marechal. E iria ser Primeiro de Maio.

Era sábado de Carnaval. Memória estava lá. Tiramos fotos e guardamos o canhoto do ingresso. Em campo, o EC São Bernardo recebia o Rio Preto EC. O “Esporte” de 1928, não o Tigre dos dias atuais. Não ia bem o velho Esporte, tanto que perdeu por 2 a 1. Gilson, atacante do Rio Preto, marcou os dois primeiros gols do novo e revitalizado estádio. Nas novas arquibancadas, pouco ocupadas, a torcida ‘Inferno Jovem’ protestava pela má campanha do São [Leia mais]

18/02/2024 08:00
Memória
Histórias de amor. Histórias construídas. Uma temática quase apagada... ...revivida pela historiadora de Ribeirão Pires

Italiana La mia vita oggi sei tu Io te voglio tanto bene Partiremo due insieme Ti lasciar non posso più Vicente Celestino A canção de Vicente Celestino nasceu de uma constatação do cantor, no desembarque de soldados brasileiros que voltavam da Segunda Guerra em 1945. Num clima de muita alegria, aquele agora ex-combatente estava triste, isolado num canto, pensando na namorada que deixara grávida na Itália. Iole, “La [Leia mais]

17/02/2024 08:00
Memória
Laços de guerra. Além do front. Waldemar Cerezoli... ...um dos 35 brasileiros prisioneiros de guerra

Ela fala do seu novo livro, baseado no diário do cabo Waldemar Reinaldo Cerezoli, pracinha de Ribeirão Pires, mas vai além. Cristina dedica-se à pesquisa e escritas sobre imigração de gênero, amores e casamentos em tempo de guerra. Faz o que se pode chamar de “a nova história”. Sua preocupação maior, como historiadora sensível que é, volta-se ao cotidiano do ser humano. Desde 2013 é pesquisadora do Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, [Leia mais]

16/02/2024 08:00
Memória
C A M P E Ã S União das Vilas em São Bernardo. Ocara em Santo André... ...mas foi no sufoco! Já no tempo dos préstitos...

Há 30 anos acontecia um fato inédito no Carnaval de Rua do Grande ABC: a UESA (União das Escolas de Samba de Santo André) preside a apuração, mas diante da objeção da terceira colocada, suspende a premiação. O Ocara caminhava para festejar o quinto título andreense consecutivo, quando a Leões do Vale “melou” a festa ao alegar irregularidade na lacração das urnas com os votos dos jurados. A proclamação da vencedora foi suspensa. NO TAPETÃO, [Leia mais]

15/02/2024 08:00
Memória
C A M P E Ã S Unidos da Vila em Diadema. Unidos do Silvia Maria em Mauá. Rosas de Ouro em São Paulo. Imperatriz Leopoldinense no Rio.

Em Diadema, Unidos da Vila foi a campeã. Já havia vencido em 1990 e 1992. Em 1994, o tri: obteve dos jurados nota 10 em quase todos os quesitos. Festa no Parque Sete de Setembro e na Rua Carlos Spera, chamada de “a rua do samba”. Se no bairro Serraria o resultado foi recebido com tristeza, em Eldorado houve festa como no Parque Sete de Setembro, já que a estreante Império surpreendeu classificando-se em terceiro lugar. E O LP? Em Mauá, [Leia mais]

14/02/2024 08:00
Memória
1 9 9 4 Terça-feira gorda. O organizado Grande ABC. Apoteose. Alegria. E expectativa... ...quem vai ganhar o Carnaval?

A terça-feira Gorda é um dia festivo, comemorado com festas e desfiles em muitos países cristãos. Ele é o último dia antes da Quarta-Feira de Cinzas, que marca o início da Quaresma. Fonte: blog Contra e Verso. Préstito: conjunto de pessoas que faz uma marcha solene de caráter comemorativo. Cf. Dicionário Priberam de Português. NOTA DA MEMÓRIA – O préstito carnavalesco, na virada do século XIX para o XX, antecedeu, no Brasil, a escola [Leia mais]

13/02/2024 08:00
Memória
1 9 9 4 Segunda-feira de Carnaval... Clube da GM. Chácara 3 Irmãos. Industrial. Independente. Anchieta.

Kao Xangô, Atitô Babá A sua benção, meu pai Oxalá. Vitória Régia, no brilho da lua... ...clareia as águas de Iemanjá. Um lindo boto encantava a índia nua... ...que apaixonou-se em noite de luar. Do samba-enredo da Escola de Samba Beira Rio para o Carnaval 94 em Mauá. Nas cidades deste eixo ao longo da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, só Rio Grande da Serra não anunciava bailes fechados de Carnaval em 1994. [Leia mais]

12/02/2024 08:00
Memória
1 9 9 4 Domingo de Carnaval... Associação. Volkswagen. MESC. E os repórteres do século passado...

Vem minha galera A onda é sambar Eu sou do Serraria Vou sambar e vou sonhar Do samba-enredo da Escola de Samba Unidos da Serraria para o Carnaval 94 em Diadema. Naquele 1994, a Associação dos Funcionários Públicos organizava bailes noturnos, em quatro dias de folias, mais as matinês. Volkswagen Clube não deixou por menos, e automóveis e ônibus levavam multidões para a Vila do Tanque. Do outro lado da cidade, no [Leia mais]

11/02/2024 08:00
Memória
1 9 9 4 Sábado de Carnaval... Quatro bailes no Aramaçan. Matinês no Primeiro de Maio. Mas, cadê as orquestras?

Camisa vem cantar conto de fadas. Fechem os olhos, vamos juntos viajar. De Vermelha e Branca, nossa dança fantasia. Deixe as mágoas, vêm cair na folia. Do samba-enredo da Escola de Samba Camisa Vermelha e Branca para o Carnaval 94 em São Bernardo. Naquele 1994, o Aramaçan foi exceção entre os clubes de Santo André. O chamado “Vermelhinho” promoveu bailes todas as noites e matinês. O Primeiro de Maio não deixou de fazer [Leia mais]

10/02/2024 08:00
Memória
Depois do Carnaval... ...um lindo livro vai chegar. Para divertir. Fazer sonhar. Voltar no tempo. E ajudar uma creche...

São 34 crônicas, cada qual ilustrada, como se observa na capa. Uma edição caprichada da Editora Coopacesso, de Santo André. Custo do livro: 30 reais (valor simbólico). Para falar do livro, do seu lançamento – marcado para 22 de fevereiro, às 19h30, na Câmara Municipal - “Memória na TV” recebe o seu autor. O cenário das 34 crônicas é todo, ou quase todo, andreense. O Parque Central está presente. Tem poesia. Estou com saudade [Leia mais]

09/02/2024 08:00
Memória
Nossos santos. A arte sacra em memória. Um projeto que deu certo. E que completa um ano...

Tempos atrás, em visita à Redação, dom Pedro Cipollini comentou a importância da seção dos santos do dia aqui em Memória. Ficamos felizes. “As publicações da Diocese deveriam também falar mais dos nossos santos”, confidenciou dom Pedro. Lembramos de dom Jorge Marcos de Oliveira, que numa polêmica em torno da “cassação” de santos católicos, não teve duvida em declarar, e o Diário publicou: “Por mim vou sempre rezar pelo meu São Jorginho”. São [Leia mais]

08/02/2024 08:00

;