Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Lula lança Marinho e evita citar Haddad

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em ato no Sindicato dos Metalúrgicos, ex-prefeito de São Bernardo dá pontapé inicial ao Estado


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

02/12/2017 | 07:00


Em evento com pompas de convenção partidária realizado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lançou o pupilo Luiz Marinho (PT), ex-prefeito de São Bernardo e atual presidente do PT paulista, como futuro candidato do partido ao Palácio dos Bandeirantes na eleição do ano que vem.

No ato em que várias lideranças da sigla no Estado estavam presentes, com exceção do ex-prefeito da Capital Fernando Haddad (PT), Lula sequer comentou a tese defendida internamente por caciques do partido de apostar em Haddad como o cabeça da chapa petista que disputará a sucessão do governador Geraldo Alckmin (PSDB). O evento iniciou justamente com a divulgação de rápida mensagem de Haddad em apoio a Marinho.

Lula, que foi o último a falar e discursou por cerca de meia hora, chegou a afirmar que Marinho é o que tem “mais condições” de vencer o pleito na comparação com todos os nomes que o PT apostou para o cargo desde a eleição de 1982, quando o ex-presidente foi candidato ao cargo – a legenda nunca governou o Palácio dos Bandeirantes e em quase todas as eleições trocou o candidato a governador de São Paulo. “Eu sou mais idoso que vocês. Tive o prazer de conhecer vários governadores de São Paulo e tenho a certeza que Marinho é mais preparado que todos eles”, falou Lula a um público formado, inclusive, por Alexandre Padilha, que foi o candidato do PT ao governo paulista no pleito de 2014 – ficou em terceiro lugar.

Já em seu discurso, Marinho evitou críticas diretas a Alckmin e resolveu mirar a legenda do governador. “O PSDB está governando São Paulo há 24 anos diretos e qual foi o legado que o partido deixou na Educação e na Segurança?”, questionou, ao emendar que o Estado vive “verdadeiro processo de extermínio da juventude, sobretudo negra”, e “perseguição à população LGBT (Lésbicas Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros)”.

O ato reuniu diversos quadros do partido no Grande ABC, como os ex-prefeitos Oswaldo Dias, Donisete Braga (ambos de Mauá) e José de Filippi Júnior (Diadema), além de vereadores da legenda e dos deputados estaduais petistas com base na região Luiz Fernando Teixeira, Ana do Carmo, Luiz Turco, Teonílio Barba e Vicentinho.

CANDIDATURA
No início do discurso, Lula chegou a garantir que não falaria sobre candidatura, mas depois de exaltar Marinho, concentrou-se em críticas ao governo do presidente Michel Temer (PMDB) e, para a alegria de centenas de militantes presentes, novamente cravou que será candidato à Presidência no ano que vem. “Eu acordo cedo todo dia, vou para a academia e malho. Estou me preparando para derrotá-los na urna.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados