Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Lidando com as mudanças e o futuro


Cíntia Bortotto

25/09/2017 | 07:27


Como comentei aqui na semana passada, vou trazer nesta coluna alguns aspectos mais relevantes do estudo das tendências do capital humano da Deloitte que, em 2017, chega à sua quinta edição. De acordo com a pesquisa, as empresas precisam trabalhar para trazer componentes-chave de uma estrutura organizacional cada vez mais flexível para todas as áreas da organização.

À medida em que as novas formas de organização do trabalho vão tomando conta das estruturas, o trabalho em equipe provavelmente se tornará cada vez mais uma norma nos negócios, e o dinamismo será o grande salto organizacional das companhias. A tarefa dos líderes será cada vez mais organizar e motivar as equipes, e os softwares poderão ser grandes aliados neste sentido. Oferecer oportunidades dinâmicas de desenvolvimento para os funcionários será muito importante. As organizações mais ágeis terão certas vantagens, e as mais bem-sucedidas serão aquelas que conseguirem manter o ritmo ao construir ecossistemas e parcerias mais fortes, capazes de ampliar a sua força de trabalho e maximize capacidades

Seguem algumas dicas para gestores lidarem com tantas mudanças.


Abrace a velocidade da mudança: pense com cuidado sobre as formas em que o digital exige
mudança do modelo de operação tradicional, que é consideravelmente mais lento, para um modelo mais acelerado. Compreenda isso como uma estratégia, pois clientes e pools de talentos estão todos mudando como parte da transformação digital;

Faça da mobilidade dos talentos um valor central: faça com que os executivos mudem de função para função, assim eles podem entender este novo modelo de carreira mais ágil. Construa processos para dar suporte à fluidez da equipe, assim, os integrantes do time podem retornar rapidamente para sua base ou se mudarem para uma equipe diferente, uma vez que um projeto esteja terminado.

Forme um grupo de desempenho organizacional: peça ao grupo para entrevistar, analisar e estudar como equipes de alto desempenho, projetos e programas realmente funcionam. Ao examinar os cargos da empresa, sistemas de recompensa e caminhos de carreira, esse grupo pode ajudar a traçar as bases para um modelo mais ágil, de baixo para cima para unidades de negócios;

Examine novas ferramentas de comunicação: considere tecnologias como Workplace, Slack, Basecamp, Asana, Trello, Workboard e outros.

Em seguida, padronize e implemente-os como um complemento dos sistemas já implantados na empresa.

Adote um gerenciamento contínuo de performance baseado em feedback: feedback regular empodera as pessoas a redefinirem seus objetivos continuamente, mudar projetos e se sentirem recompensado por seu trabalho.

Pesquisas com os funcionários são ferramentas importantes que dão aos gestores uma visão também sobre sua própria performance. Gostou das dicas?

Siga confiante e boa sorte! 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados