Fechar
Publicidade

Setecidades

Publicado em terça-feira, 18 de julho de 2017 às 07:00 Histórico

Defesa de tatuador afirma que vai recorrer de decisão

 A defesa do tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos, acusado de lesão corporal grave, constrangimento e ameaça por tatuar a inscrição ‘eu sou ladrão e vacilão’ na testa de adolescente de 17 anos, em São Bernardo, prepara-se para recorrer da negação do pedido de liberdade. Conforme o advogado Marco Antonio dos Santos, a previsão é que a decisão, que ele diz conhecer, seja publicada hoje.

Segundo Santos, essa foi a primeira negativa ao pedido de liberdade, iniciada pela Defensoria Pública, mas finalizada pelo escritório. “A decisão foi apegada à gravidade do delito. Não consideraram que ele é réu primário e tem bons antecedentes, por exemplo”, explicou.

O advogado também cita outras questões, como a denúncia do Ministério Público, que livrou Maycon e o pedreiro Ronildo Moreira de Araújo, 29, responsável por gravar o vídeo do adolescente sendo tatuado, do crime de tortura. “O delito da lesão corporal é crime afiançável. Não é apenas a primariedade, ele também é proprietário de duas empresas e vai permanecer na cidade para responder ao processo”, afirmou ele, para quem a decisão é “equivocada”.

No caso de Ronildo, defendido por outro advogado, o pedido de liberdade já foi indeferido pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça). No habeas corpus, a defesa alegou inexistência de elementos concretos que justifiquem a manutenção do cárcere provisório e apontou possibilidade de aplicação de medidas cautelares distintas da prisão.

A ministra Laurita Vaz, que analisou o pedido liminar, lembrou que a Justiça de São Paulo, ao indeferir o primeiro pedido de revogação da prisão, ressaltou a gravidade concreta dos crimes, além de destacar que as imagens veiculadas nas redes sociais evidenciaram incapacidade de resistência do adolescente. A primeira audiência do processo, que corre em segredo de Justiça, está marcada para 12 de setembro. Os acusados estão presos em Tremembé.

Segundo a mãe do jovem tatuado, que está internado em clínica para se recuperar do vício das drogas, o filho está calmo e sereno. Ele já passou por uma sessão para remoção a laser da inscrição na testa. A previsão é de que ela o veja no próximo fim de semana, já que em decorrência do tratamento, ele deveria ficar a primeira semana sem visitas. “Eu perdoo os dois rapazes. Todos os dias rezo por eles, que erraram, mas também são filhos de Deus. As mães deles também devem estar sofrendo.”



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC