Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Fiat Argo 1.0: foco no consumo

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Gabriel Russini
Especial para o Diário

03/07/2017 | 14:02


Para você que tem grana sobrando e pretende comprar um carro popular, o compacto Argo, da Fiat, é boa opção. Na última semana, a montadora italiana promoveu o primeiro test-drive da versão de entrada do veículo – Drive, com motor 1.0 Firefly. Aliás, este propulsor já se encontra nos irmãos Mobi e Uno. A novidade chega para concorrer, principalmente, com a dupla Onix LT e HB20 Comfort Plus.

O modelo com motorização 1.0 de três cilindros sai das concessionárias por R$ 46,8 mil e já traz de série ar-condicionado, direção elétrica progressiva, cinto de três pontos para os cinco ocupantes, comando elétrico para travas e vidros (dianteiros), banco com regulagem de altura e sistema Start&Stop (que desliga o motor em breves paradas a fim de economizar combustível), além de retrovisores elétricos, monitoramento da pressão de pneus, volante multifuncional e entrada USB na parte de trás do habitáculo.

As rodas são de aço cobertas por calotas (14”) e há apenas predisposição para som. A central multimídia Uconnect, com tela de 7” touch screen – que possui o kit parking (sensor de ré para estacionamento) – é opcional e sai por R$ 1.990.

Falando em mecânica, o Argo Drive 1.0 tem torque máximo de 10,9 mkgf (etanol). Para base de comparação, o Onix tem 9,8 mkgf, enquanto o HB20 Comfort Plus entrega 10,2 quilos. No âmbito economia, o novato da Fiat não decepciona. Sua melhor média (com gasolina, na estrada) emplaca 15,1 km/l.

IMPRESSÕES
O Diário dirigiu a versão com câmbio manual de cinco marchas. O motor tem bom desempenho e, em ladeiras, o torque dá conta do recado. O hatch também tem agilidade e certa dose de esperteza nas retomadas. O isolamento acústico recebe ponto positivo.

Porém, os velhos problemas dos Fiat (feitos no Brasil) persistem: alavanca do câmbio longa e imprecisão nos engates.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados