Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Produção de veículos tem alta de 23,4%

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Aumento foi registrado no acumulado de janeiro
a maio; este é o primeiro crescimento desde 2013


Gabriel Russini
Especial para o Diário

07/06/2017 | 07:17


A produção de veículos registrou aumento de 23,4% nos primeiros cinco meses deste ano na comparação com a temporada anterior. É a primeira alta para o período desde 2013 (desde então, só houve queda, conforme exibido no gráfico ao lado), ano em que as montadoras atingiram o ápice de sua operação.

À época, o total produzido atingiu a marca de 1,56 milhão de unidades entre janeiro e maio. No mesmo intervalo neste ano, foi somado 1,03 milhão, superando 2016, com 840 mil veículos fabricados. Os dados, divulgados ontem em pesquisa da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), incluem carros de passeio, comerciais leves (picapes, furgões e utilitários), caminhões e ônibus.

Levando em consideração apenas os números de maio, houve aumento de 25,1% na produção de veículos em relação a abril – 237,1 mil veículos, contra 189,5 mil. Na comparação com o mesmo período em 2016, constatou-se crescimento de 33,8% na produção, passando de 177,2 mil para 237,1 mil unidades.

Para se ter ideia, em maio de 2013 saíram das fábricas 348 mil veículos, o que significa 483 unidades feitas a cada hora. No mês passado, a proporção foi menor, atingindo 329 unidades/hora. Entretanto, na comparação com o ano anterior, o número teve melhora – a cada 60 minutos, 246 veículos deixavam as linhas de produção, em média.

As vendas seguiram pelo mesmo caminho. Segundo a Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores), o número de licenciamentos cresceu 24,63% em maio frente a abril, indo de 156.917 para 195.568 comercializações.

Para o economista e professor da Fipecafi (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras), Silvio Paixão, o que sustenta o resultado são as exportações. “O mercado interno está fraco e o desemprego, alto. Em tempos de crise, os contratos de exportação são sempre bem-vindos.” Nos primeiros cinco meses deste ano, na comparação com 2016, as exportações cresceram 61,8%, passando de 190,1 mil para 307,6 mil unidades enviadas.

No dia 24, a montadora sueca Scania, com sede em São Bernardo, anunciou a contratação de 500 colaboradores para atender o mercado externo, que corresponde a 70% do que é produzido pela companhia. Na opinião do superintendente do Sincodiv-SP (Sindicato dos Concessionários e Distribuidores do Estado de São Paulo), Octavio Vallejo, o maior número de dias úteis em maio influenciou no resultado. “Foram quatro dias a mais e não houve greve, como em abril.” Porém, apesar da melhora da economia, o cenário pode mudar. “A turbulência política prejudica ainda mais o ambiente interno”, complementou. Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, a tendência é que 2017 seja um ano de retomada. “Se as reformas forem aprovadas (trabalhista e previdenciária), o próximo passo é voltar a crescer.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.