Fechar
Publicidade

Setecidades

Publicado em domingo, 14 de maio de 2017 às 07:07 Histórico

Protesto em prol de filho autista mobiliza rede

Nario Barbosa  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Por amor aos filhos, mães são capazes de qualquer sacrifício e sempre estão dispostas a enfrentar tudo e a todos para vê-los felizes. A dona de casa Adelaide Manfre Hipólito, 36 anos, é uma mãe que conquistou a internet ao fazer protesto no início de maio em frente ao Fórum de São Bernardo. O motivo: ela luta para que o filho, autista, conquiste o direito de voltar a estudar.

A foto de Adelaide em frente ao fórum fez tanto sucesso que já teve 2.000 compartilhamentos nas redes sociais. Ela e a família moram no bairro Rudge Ramos. O filho Júlio César Manfre, 8, possui grau severo do autismo. Ele tem episódios de comportamentos agressivos, ausência da comunicação verbal e interações sociais comprometidas. A condição de Júlio o impede de frequentar escola de ensino regular.

O valor de uma instituição clínica, especializada no atendimento a pessoas com autismo, varia de R$ 6 mil a R$ 9 mil, e a família não tem recursos financeiros para custear tais gastos. “Estas escolas são importantes porque ajudam os autistas a ter vida independente. Elas possuem psicólogos, terapeutas e fonoaudiólogos. Se o Júlio conseguir entrar em uma escola clínica, a qualidade de vida dele vai melhorar 100%”, diz.

Adelaide entrou na Justiça para que o filho tenha o direito de receber suporte do governo estadual, pois faz um ano que Júlio está fora da escola e ela teve de sair do emprego para cuidar do garoto. A juíza responsável pelo caso concedeu parecer favorável à família, mas o Estado vem recorrendo.

A mãe de Júlio ficou seis horas com cartaz em frente ao fórum com os dizeres: “o Judiciário soltou José Dirceu e companhia que roubaram milhões do Brasil. Só que o Judiciário não solta o meu filho, que está há mais de um ano sem tratamento. Sabe qual o crime que meu filho cometeu? Nasceu autista.” Ela conta ter chegado ao local sozinha e que um grupo de mães de crianças autistas começou a aparecer após ela tirar foto e postar na internet. “Em poucas horas outras mães estavam lá para me incentivar. Fiquei muito honrada. Faço tudo o que for preciso pelo meu filho. Ele precisa de mim. Como ele não se comunica, eu sou a voz dele”, afirmou, emocionada.

A Procuradoria Geral informou, por nota, que o Estado de São Paulo vem recorrendo porque a entidade em que Adelaide pretende matricular o filho não tem autorização de funcionamento. 



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC