Fechar
Publicidade

Esportes

Publicado em terça-feira, 18 de abril de 2017 às 08:00 Histórico

Em ótima fase, Chapecoense enfrenta o Nacional-URU precisando da vitória em casa

Reprodução/Facebook Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

A Chapecoense é um dos clubes em melhor fase no futebol brasileiro e precisa fazer este momento refletir em campo nesta terça-feira para seguir forte na briga por uma vaga na próxima fase da Copa Libertadores. No embolado Grupo 7 da competição, a equipe recebe na Arena Condá, em Chapecó (SC), o tradicional Nacional, do Uruguai, e não pode pensar em outro resultado que não seja o triunfo.

Isto porque os quatro integrantes do Grupo 7 encontram-se empatados em número de pontos após duas rodadas, com três, mas o time catarinense leva desvantagem no saldo de gols e ocupa a lanterna. Além disso, fará nesta terça-feira a sua segunda partida em casa, o que significa que em caso de derrota, seguiria na parte de baixo da tabela de classificação e tendo pela frente dois jogos longe de Chapecó, em três rodadas restantes.

Mas o momento é dos mais animadores para a Chapecoense. No último fim de semana, o clube garantiu o título do segundo turno do Campeonato Catarinense com uma vitória por 2 a 0 sobre o Joinville, no sábado. Em oito partidas neste estágio do Estadual, foram sete vitórias e um empate, com 23 gols marcados e apenas quatro sofridos.

Para comemorar a conquista, nada melhor que levantar o troféu que leva justamente o nome do ex-presidente do clube. Após triunfar no último sábado, os jogadores da Chapecoense conquistaram a Taça Sandro Pallaoro, em homenagem ao ex-dirigente, um dos 71 mortos no trágico acidente aéreo na Colômbia, em novembro do ano passado.

A conquista simbolizou a reconstrução desta equipe, que ocorre até de forma mais veloz do que o esperado. E a arrancada se deu justamente após a derrota na segunda rodada da Libertadores, para o Lanús, em plena Arena Condá, no dia 16 de março. De lá para cá, foram oito partidas disputadas pela Chapecoense, com oito vitórias, incluindo uma sobre o Atlético Nacional no jogo de ida da Recopa Sul-Americana.

Para manter o embalo, o técnico Vágner Mancini deve optar pela manutenção do sistema que vem apresentando resultado com Luiz Otávio na defesa, o lateral-direito João Pedro improvisado no meio e Wellington Paulista no comando do ataque. O zagueiro Grolli se recuperou de lesão, mas deve ficar como opção no banco de reservas.

Mas a tarefa da Chapecoense nesta terça não será fácil. O Nacional também vive bom momento e se consolidou na liderança do Campeonato Uruguaio no último fim de semana ao bater o Cerro por 3 a 1. Desfalque nesta partida, Álvaro González está novamente à disposição do técnico Martín Lasarte.

Por outro lado, o Nacional sofrerá com diversas ausências nesta terça-feira, inclusive dois velhos conhecidos do futebol brasileiros: o lateral-direito Fucile, ex-Santos, e o meia Ligüera, ex-Atlético Paranaense e Joinville. Também estão fora por lesão Felipe Carballo, Tabaré Viudez e Sebastián Fernández. Diego Polenta, Diego Arismendi e Rodrigo Aguirre são dúvidas.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC