Fechar
Publicidade

Cena Politica

Publicado em terça-feira, 4 de abril de 2017 às 07:00 Histórico

Enxaqueca de Lauro com o tucanato

Sem prestígio em Diadema, o tucanato rende dor de cabeça a Lauro Michels (PV). Tudo começou com o plano naufragado da ex-vereadora Maridite Cristóvão em ser vice na chapa do verde. Depois disso, a derrota do PSDB na eleição, sem nenhum representante na Câmara. Com resultado pífio, lideranças iniciaram ofensiva para obter cargos no primeiro escalão, além de assegurar mandato ao ex-vereador José Augusto da Silva Ramos (PSDB), titular da Saúde no primeiro mandato. Lauro comprou briga interna no PV para abrir vaga ao tucano, mas a conversa não surtiu, por enquanto. Na sequência, a Azyal Construções, empresa ligada a tucano gerou CPI. Por fim, o mais recente episódio, comissionado tucano do Paço, em horário de expediente, atacando vereadores, na Câmara. Isso em quatro meses de gestão.

BASTIDORES

Briga jurídica
Há expectativa de que o prefeito de Diadema, Lauro Michels, entregue hoje comunicado de saída do município do colegiado do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC. Há quem diga que a intenção do verde vai parar em queda de braço judicial. Isso porque o chefe do Executivo tem convicção de que não necessita de aval do Legislativo, enquanto a entidade regional acredita que a atual legislação do órgão público exige autorização da Câmara. Os vereadores já estão se movimentando para convocar o secretário executivo Fabio Palacio (PR) para esclarecer ações efetivas à cidade.

Questão de agenda
Por falar em Consórcio Intermunicipal, a entidade organizou a primeira capacitação regional sobre os temas de maior impacto para a estruturação de política habitacional. Tema importante. Até aí tudo bem, se não fosse por um mero detalhe. Por questões de agenda, segundo a própria instituição, não havia representantes da entidade presente no evento.

CPIs na pauta
Duas CPIs foram instaladas, recentemente, na Câmara de São Bernardo. Já tem gente criticando que os andamentos das investigações possa travar os trabalhos. O presidente do Legislativo, Pery Cartola (PSDB), afirmou que duvida que este cenário criará obstáculos às sessões. Segundo o tucano, os vereadores terão todo tempo para estudar (a tramitação), “sem atrapalhar” as matérias da Casa”.

Em débito no PT
O apoio ‘dividido’ do ex-vereador José Montoro Filho, o Montorinho, na disputa interna do PT de Santo André tem acirrado ânimos. Enquanto Montorinho anunciou adesão a Zé Paulo Nogueira, aliados se diluíram para o lado de Fabrício França. A situação gerou desconfiança. Surgiu, inclusive, a informação que ele está em débito com as contribuições partidárias, o que, na teoria, o deixaria sem direito a voto no pleito, domingo. É a briga interna.

Tem gente falando
A chapa encabeçada pelo ex-deputado federal Professor Luizinho no PED (Processo de Eleições Diretas) de Santo André fez uma contabilidade dos votos e chegou a conclusão que é possível vencer ainda no primeiro turno do pleito. A confiança é tanta que nesta semana emissários prometem procurar o grupo do vereador Eduardo Leite para fechar um apoio. A conferir.

Fala, companheiro
Ato de entrega de moradias no Jardim Promissão, em Diadema, sábado, provocou constrangimento ao prefeito Lauro Michels (PV). Com a presença do vereador Companheiro Sérgio Ramos da Silva (PSB) no palco – com base eleitoral na região –, parte da plateia pedia fala do parlamentar no microfone, inclusive, durante o discurso de Lauro. Gritavam muito: ‘Fala, Companheiro’. Ficou apenas na expectativa. 



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC