Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Interior chama voluntário para dar aula professores



17/02/2017 | 08:59


Graças à professora Débora Buranelo, de 38 anos, na quarta-feira, 15, foi um dia normal de aula na Creche Municipal Padre Geraldo, em Rio das Pedras, no interior paulista. Aos pequenos alunos, entre 2 e 3 anos, ela contou histórias, falou sobre alimentação correta e ensinou noções básicas de higiene.

Débora não é professora contratada pelo município. Ela se apresentou à escola para atender a um apelo do prefeito Carlos Defavari (PSDB), transmitido pelas redes sociais.

A cidade, de 29,5 mil habitantes, iniciou o ano letivo sem o quadro completo de professores na rede municipal. O contrato com os docentes venceu na gestão anterior, no fim do ano passado, e não foi renovado.

"O prazo para fazer o processo seletivo, como manda a lei, ficou apertado e as crianças corriam o risco de ficar 15 dias ou mais sem aula", disse. Em vídeo, o prefeito pediu a educadores e estagiários com "a profissão no coração" que procurassem a prefeitura para "ajudar voluntariamente e não deixar nossas crianças sem aula".

Débora foi um dos 21 professores que se apresentaram. "Estou terminando o curso de Pedagogia e já fiz estágio, trabalhando com crianças especiais, então tenho alguma experiência. Tenho filha de 14 anos na escola e sobrinhas em creche. Sei o quanto é duro para as mães não ter um lugar para deixar o filho."

Segundo a secretária municipal de Educação, Glória Manesco, a rede tem 4,9 mil alunos e a maioria poderia ficar sem aula neste mês. "Os voluntários vieram com muita vontade e estão nos ajudando, enquanto o processo seletivo não fica pronto."

O período não deve ser contado como parte do calendário de 200 dias letivos. Mas a ideia é que as crianças fiquem nas escolas, que servem merenda, e adiantem os estudos.

O ex-prefeito Julio Cesar Barros Ayres (PPS) disse que, em razão da crise, não antecipou a contratação de professores para o exercício seguinte. Segundo ele, essa medida poderia ser tomada nos primeiros dias da atual gestão, além de haver quadro de efetivos suficiente para a maioria das escolas.

Nova convocação. Segundo a prefeitura, para a composição do quadro oficial do magistério, estão sendo chamados professores já aprovados em processo seletivo anterior, mas muitos desistiram de assumir os postos. O novo processo ainda está com as inscrições abertas e, na melhor das hipóteses, os novos contratados vão assumir em meados de março.

Outro voluntário foi o operador de guindaste Vitório Natalino, de 48 anos. Mesmo não sendo professor, ele foi com sua roçadeira para uma escola. "De manhã e à tarde, enquanto a voluntária dava aula, rocei todo o mato alto, que era um perigo para as crianças." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados