Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Jogadores minimizam empate e miram lista de Felipão



25/04/2013 | 00:26


Ao final do empate por 2 a 2 com o Chile, nesta quarta-feira, os jogadores da seleção brasileira tentavam, em vão, encontrar explicações para o fraco desempenho no Mineirão. Um dos jogadores mais pressionados foi Ronaldinho Gaúcho. A expectativa em cima dele era muito grande, por ser capitão e principal estrela do time brasileiro.

 

O meia culpou a falta de entrosamento para explicar o motivo da má atuação. "É difícil. Treinamos uma vez juntos e só. A gente tenta se superar, mas temos uma competição importante agora. Sabíamos que ia ser difícil, mas vamos com confiança (para a Copa das Confederações)", disse o jogador, que desconversou sobre uma eventual disputa com Kaká na seleção. "Fica a critério do treinador. O que ele decidir, será o melhor para a seleção."

 

Outro que também saiu de campo sob muitas vaias foi Neymar. Apesar do gol, o jogador admitiu que não conseguiu ter uma atuação convincente. "Acontece, né? Tem dia que você é vaiado e em outros aplaudido. Ninguém é perfeito. Quem está de fora acha que é fácil, mas estamos dando o máximo", garantiu o santista, que minimizou as dores musculares apresentadas ao fim do jogo. "Foi mais o cansaço. É só colocar um gelinho que está tudo bem."

 

Alexandre Pato, um dos que disputam as últimas vagas na seleção, acredita que o jogo não serviu de parâmetro para Felipão decidir os últimos convocados. "Esse jogo não foi aquilo que a gente esperava. Corremos até o final e eles tiveram mérito de buscar o resultado. Agora é trabalhar no Corinthians e esperar pela convocação", disse o atacante.

 

O corintiano Paulinho, nome praticamente certo na lista, destacou a necessidade de se fazer boas atuações para conseguir atrair a torcida novamente. "Temos de trazer o nosso torcedor para o nosso lado, é chato ser vaiado. Nosso time deveria ter agredido mais o Chile, ter tido mais posse de bola e chutado mais."

 

Na defesa, a briga também promete ser quente. Réver, um dos que estão disputando a posição, marcou um gol nesta quarta, mas, mostrando humildade, acredita que não conseguirá convencer Felipão apenas com isso. "Fazer gols não significa nada. Vamos continuar disputando posição até o fim."



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;