Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Ford investe R$ 800 milhões na região

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

26/03/2013 | 07:36


 

A Ford inaugurou ontem a linha de produção do Novo Fiesta hatch na fábrica de São Bernardo, com investimentos de R$ 800 milhões. O modelo se insere na estratégia da empresa de comercializar, até 2015, apenas plataformas globais (ou seja, carros fabricados com praticamente as mesmas características em diversas partes do mundo) no País. E é o primeiro carro global da montadora produzido na região. O EcoSport, com a mesma característica, é fabricado em Camaçari, na Bahia. Outras montadoras com unidades na região têm estratégia semelhante. Volkswagen, com o Focus, Gol e Voyage, e a General Motors, com Agile, Cobalt e Spin, por exemplo, usam o conceito global.

 

Até 2012, o Novo Fiesta era importado do México e passa agora a ter fabricação nacional. Boa parte do montante investido ocorreu em tecnologias para o produto, mas houve aporte de recursos na unidade fabril. A área de carroceria, por exemplo, foi ampliada e a unidade ganhou nova linha de pintura e de prensas.

Por causa do aumento dos processos automatizados na planta, não houve contratações, segundo o vice-presidente de assuntos corporativos da Ford América do Sul, Rogelio Golfarb. Atualmente a fábrica, que tem capacidade produtiva de 100 mil carros (produziu 84 mil em 2012) e 50 mil caminhões por ano, conta com quadro de 4.000 funcionários. A expectativa do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques, é de que até o fim do ano esse contingente suba para 5.000 empregados, com a expectativa de início de produção da versão sedã do modelo e também de um caminhão extrapesado na unidade do Grande ABC.

O Novo Fiesta brasileiro é grande aposta da fabricante, que espera vender de duas a três vezes o volume que vinha do México - em 2012 foram trazidas 31.582 unidades (nas versões hatch e sedã). Golfarb citou ainda que a opção por deixar de importar não se deveu a limitações impostas pela cota fixada para o comércio com aquele país. "Não influiu na decisão, já tínhamos o objetivo de localizar (fabricar localmente) o produto."

 

ESCOLHA

Por sua vez, a escolha de São Bernardo, de acordo com o executivo, destina-se a balancear o nível das unidades produtivas no Brasil. Isso porque a fábrica de Camaçari já havia recebido investimentos para elevar seus padrões e processos e receber a fabricação global do Novo EcoSport.

Golfarb salientou que com a linha de montagem, embora a empresa não receba os incentivos fiscais que o governo baiano oferece, a produção em São Paulo é compensada pela proximidade com fornecedores e com o principal mercado consumidor, na região Sudeste.

Além disso, parte dos R$ 800 milhões é de recursos provenientes do Pro-veículo, programa do governo paulista para acelerar a devolução de créditos de ICMS a que as indústrias têm direito, em contrapartida a investimentos. "De 2005 para cá, a Ford investiu R$ 2,5 bilhões", assinalou o governador Geraldo Alckmin, que marcou presença na inauguração da linha de montagem.

Com o aporte no novo modelo, que chega ao mercado no dia 20, a intenção da empresa é crescer no segmento dos compactos premium. "A Ford oferece (com o Novo Fiesta) o que há de mais avançado em compactos premium", afirmou o presidente da companhia no Brasil, Steven Armstrong. No mundo, o modelo é o carro mais vendido no segmento: o grupo comercializou 700 mil unidades em 2012.

 

Modelo reforça compromisso com o futuro da fábrica

 

O investimento no Novo Fiesta reforça o compromisso da Ford com o futuro da fábrica de São Bernardo, avalia o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques. Para ele, esse é o terceiro ciclo de grandes negociações da entidade com a empresa, para garantir a continuidade dessa unidade fabril.

O primeiro, na avaliação de Marques, ocorreu com a conquista da operação de caminhões, transferida do bairro do Ipiranga, em São Paulo, para São Bernardo, há 12 anos, e de novos investimentos nos veículos de carga. Depois, em 2007, o segundo ciclo, quando a fábrica ganhou reforço na área de automóveis, com a chegada do Novo Ka. A planta produz hoje esse modelo, a picape Courier e agora o Novo Fiesta, além de caminhões.

Para o prefeito Luiz Marinho, essa nova etapa é uma recompensa ao esforço dos trabalhadores, que no passado enfrentaram momentos difíceis, no fim da década de 1990, quando havia a convicção entre especialistas de que a Ford sairia da região.

 

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;