Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Direto do túnel do tempo


Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

16/04/2009 | 07:00


Para quem gosta de antiguidades, o centro do Rio de Janeiro é um prato cheio. Além das lojas de antiguidades, principalmente na Rua da Lapa, prédios antigos, em sua grande maioria preservada, são alguns dos vários pontos que chamam a atenção em um rápido passeio. É uma verdadeira viagem ao túnel do tempo.

Na Rua do Lavradio, próxima aos arcos, é feita a Feira Rio Antigo, criada há 12 anos e realizada uma vez ao mês. Objetos de antiquários, espelhos entalhados e armários no estilo colonial são algumas das raridades encontradas por lá. Embora nem todos estejam em bom estado, uma pequena reforma pode fazer essas peças valerem muito.

Não só objetos mas também casarões antigos integram o cenário. Um dos principais é o Palácio do Catete, antes chamado de Palácio das Águias, devido às estátuas da ave de bronze na fachada. A construção foi sede da República de 1897 a 1960 e palco do suposto suicídio do então presidente Getúlio Vargas, em 1954.

No local hoje funciona o Museu da República, das 12h às 17h durante a semana e das 14h às 18h aos sábados, domingos e feriados.

As instalações contam com um jardim para as pessoas passearem, além de café, livraria e cinema. O ingresso custa R$ 6. Às quartas e domingos a entrada é gratuita.

IMPÉRIO - Se quiser conhecer a história que antecedeu a fase em que o Rio foi sede da República, o Paço Imperial é uma boa opção. O prédio abrigou o governo imperial a partir de 1808, ano que Dom João chegou com toda corte de Portugal. O local, onde hoje funciona um centro cultural, uma livraria e até um bistrô, foi palco da nomeação de Dom João VI como rei de Portugal, do Dia do Fico e da assinatura da Lei Áurea.

Um centro cultural

Na Cinelândia, um dos pontos mais culturais do Rio de Janeiro, é possível parar e admirar a beleza da arquitetura local. Basta fazer um giro de 360 graus na Praça Floriano Peixoto para visualizar o Teatro Municipal (que passou por reforma), o Museu Nacional Belas-Artes e a Biblioteca Nacional.

Em outro ponto, inaugurado em 1926, está o Cine Odeon, que ainda é palco de grandes lançamentos do cinema. Hoje o local possui duas salas de exibição.

Além desse prédio, outros que merecem destaque são o Palácio Pedro Ernesto, sede da Câmara dos Vereadores e o Centro Cultural da Justiça Federal.

Se a ideia for sair do cinema e procurar um lugar legal para comer, o bar Amarelinho, no Edifício Mozart, fundado em 1921, é um dos mais tradicionais. Além do delicioso chope, a codorna recheada e a feijoada são alguns dos pratos mais pedidos na casa. Hoje é um dos mais avançados prédios do centro do Rio.

NO CAMINHO DA ÍNDIA - Próximo à Cinelândia está o Monumento Histórico Mahatma Gandhi, de onde é possível avistar o Pão de Açúcar. A estátua, doada pela Índia em 1964, fica próxima ao Passeio Público. Gandhi ganhou notoriedade devido ao movimento pela paz e pela descolonização da Ásia e África, antes dominadas pelo Império Britânico.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;