Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Nakao: meta central do Japão é escapar da deflação



07/02/2013 | 05:30


A meta central do relaxamento monetário do Japão é a tirar o país da deflação, afirmou o vice-ministro de Finanças, Takehiko Nakao, nesta quinta-feira.

 

Derrotar a deflação é "o objetivo central desta administração", declarou Nakao, referindo-se a uma nova meta de inflação adotada pelo Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) no mês passado, a pedido do primeiro-ministro Shinzo Abe.

 

Falando em um seminário organizado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), Nakao disse também que a política econômica do novo governo "tem sido até agora bem-sucedida", apontando para os preços das ações em alta e a depreciação do iene, enquanto as taxas de juro de longo prazo permanecem baixas.

 

Ele observou que duas décadas de deflação causaram graves danos à economia japonesa, em termos de queda nas vendas e salários, além de estagnação de investimento e consumo privado.

 

Nakao disse que as taxas de juros não podem ser reduzidas abaixo de zero, enquanto as vendas continuarem caindo em um ambiente deflacionário, tornando-se mais e mais difícil para gerenciar a dívida.

 

"O Japão tem sofrido com a deflação persistente por duas décadas. É devastador", disse ele. "As taxas de juros reais têm sido muito elevadas em comparação com as necessárias taxas de juros menores".

 

Ele ressaltou que as pessoas tendem a adiar o consumo em um ambiente deflacionário sob as expectativas de que as coisas vão ficar mais baratas.

 

Mas o Nakao declarou que confiar no crédito fácil e no estímulo fiscal tem riscos.

 

"Precisamos prestar atenção à saúde fiscal. Caso contrário, vamos perder a credibilidade. Taxas de juros podem aumentar, de repente". As informações são da Dow Jones.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Nakao: meta central do Japão é escapar da deflação


07/02/2013 | 05:30


A meta central do relaxamento monetário do Japão é a tirar o país da deflação, afirmou o vice-ministro de Finanças, Takehiko Nakao, nesta quinta-feira.

 

Derrotar a deflação é "o objetivo central desta administração", declarou Nakao, referindo-se a uma nova meta de inflação adotada pelo Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) no mês passado, a pedido do primeiro-ministro Shinzo Abe.

 

Falando em um seminário organizado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), Nakao disse também que a política econômica do novo governo "tem sido até agora bem-sucedida", apontando para os preços das ações em alta e a depreciação do iene, enquanto as taxas de juro de longo prazo permanecem baixas.

 

Ele observou que duas décadas de deflação causaram graves danos à economia japonesa, em termos de queda nas vendas e salários, além de estagnação de investimento e consumo privado.

 

Nakao disse que as taxas de juros não podem ser reduzidas abaixo de zero, enquanto as vendas continuarem caindo em um ambiente deflacionário, tornando-se mais e mais difícil para gerenciar a dívida.

 

"O Japão tem sofrido com a deflação persistente por duas décadas. É devastador", disse ele. "As taxas de juros reais têm sido muito elevadas em comparação com as necessárias taxas de juros menores".

 

Ele ressaltou que as pessoas tendem a adiar o consumo em um ambiente deflacionário sob as expectativas de que as coisas vão ficar mais baratas.

 

Mas o Nakao declarou que confiar no crédito fácil e no estímulo fiscal tem riscos.

 

"Precisamos prestar atenção à saúde fiscal. Caso contrário, vamos perder a credibilidade. Taxas de juros podem aumentar, de repente". As informações são da Dow Jones.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;