Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Papai-Noel.com

Com correria de fim de ano, tem quem acredite que jeito
mais fácil é falar com o Bom-Velhinho pelo computador


Bruna Gonçalves
Do Diário do Grande ABC

23/12/2012 | 07:00


Falta pouco para o Natal! Além da casa enfeitada, família reunida e comidas gostosas, chegou a tão esperada hora de abrir os presentes deixados pelo Papai-Noel. Para ter certeza de que os pedidos foram atendidos tem quem acredite que a melhor forma é entrar em contato com o Bom-Velhinho pelo computador (por e-mail, redes sociais ou sites).

Com a correria de fim de ano, Bernardo Silva Simões, 5 anos, ficou com medo de que sua carta não chegasse a tempo. "Já pedi figurinhas para um álbum e demorou bastante para receber. Imagina como vai ser até chegar lá perto do Polo Norte", diz.

Por isso, decidiu enviar um e-mail. "Pedi ajuda da minha mãe. Escrevi que queria um balde de dinossauros, porque gosto muito dos animais. Também perguntei se poderia conhecer a casa dele", conta. Além disso, agradeceu a chegada da irmãzinha.

Como ganha muitos brinquedos nesta época, Bernardo tem um combinado com os pais: sempre separa aquilo que não brinca mais para dar para outras crianças. "Levo para a campanha da escola", conta o garoto.

Quem também aproveitou a tecnologia foi Lucca Patrocinio, 9, que mandou por um site o que deseja ganhar. Ele acredita que é uma maneira mais fácil de o Bom-Velhinho ler. "Imagine o quanto de carta que ele recebe, muitas nem devem chegar antes do Natal", explica o menino, que pediu um videogame com um jogo.

Lucca não ganha tudo que pede, mas mesmo assim gosta de mandar. "Acho que é importante escrever para o Papai-Noel, porque aproveito e agradeço o que recebi no ano anterior."

 

Saiba mais

A campanha Papai-Noel dos Correios, em que as crianças mandam cartinhas com o que gostariam de ganhar, recebeu mais de 65 mil pedidos só da região metropolitana de São Paulo (incluindo o Grande ABC).

O Papai-Noel tem uma residência oficial em Rovaniemi, região da Lapônia, na Finlândia - país perto do Polo Norte, vizinho da Suécia, Noruega e Rússia. Lá é bem frio, a temperatura média anual é de 5ºC. A casa existe desde 1992 e é cercada por montanhas. Mais no site www.santaclauslive.com (em inglês).

O Papai-Noel também tem duas casas no Brasil. Uma delas fica em Penedo, no Rio de Janeiro, localizada no parque Pequena Finlândia, que reproduz uma cidadezinha europeia. A outra fica em Gramado, no Rio Grande do Sul. Conhecido como Aldeia do Papai-Noel, o lugar é cheio de atrações e aberto para visitas. Quem está longe pode conhecer e se comunicar com o Bom-Velhinho pelo site www.papainoel.com

 

Consultoria da psicóloga clínica Silvana Martani.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;