Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Reforma de Alckmin abre
vaga em outra secretaria

Atual gestor de Logística e Transporte, Saulo de Castro
Abreu Filho é cotado para integrar Gabinete no Estado


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

17/12/2012 | 07:00


A reforma no primeiro escalão do Palácio dos Bandeirantes deve abrir mais uma vaga no secretariado do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Atual gestor da Pasta de Logística e Transporte, Saulo de Castro Abreu Filho é o mais cotado para gerenciar a secretaria que ficará responsável por administrar as ações do Executivo.

Alckmin pretende dividir em duas a Casa Civil após a saída de Sidney Beraldo (PSDB). O tucano foi indicado para ser conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e já foi substituído pelo deputado federal licenciado Edson Aparecido (PSDB).

Ex-secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Aparecido ficará encarregado de dialogar com a Assembleia Legislativa depois da repartição da Casa Civil. Por ser deputado, é considerado de perfil mais político, com trânsito entre parlamentares estaduais.

Saulo de Castro tem conduta mais técnica. Promotor de Justiça, é conhecido pela rigidez e cobrança no trabalho. Alckmin tende a indicá-lo para que ações diretamente ligadas ao Gabinete do governador não sejam prejudicadas por costura política para a eleição de 2014. Essas negociações devem ficar sob responsabilidade de Edson Aparecido.

Caso a especulação se confirme, serão duas secretarias estaduais sem comandante (Transporte e Desenvolvimento Metropolitano). Fato que reacenderia debates sobre a preferência do governador por algumas regiões metropolitanas.

Quarto maior PIB (Produto Interno Bruto) do País e com 2,6 milhões de habitantes, o Grande ABC segue longe das tratativas para indicação de secretários. Interlocutores próximos de Alckmin dizem que o objetivo do tucano é, agora, contemplar quadros ligados ao ex-governador José Serra (PSDB) para não causar cisão no bloco governista às vésperas da briga pela reeleição.

Serra não se eleger prefeito de São Paulo, perdendo para Fernando Haddad (PT), mas conseguiu aglutinar o PSD, sigla que tem como principal expoente o atual chefe do Executivo paulistano, Gilberto Kassab. Alckmistas acreditam que o apoio do PSD será essencial para o pleito de 2014 contra o candidato petista.

 

ISOLADO

O único nome ventilado para compor o secretariado de Alckmin é o do prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PV). Mesmo assim, de forma bastante tímida.

Volpi é ligado ao tucanato, foi deputado estadual pela sigla e esteve na linha de frente do governo de Mário Covas (morto em 2001). Sua nomeação seria surpresa nos corredores do Palácio dos Bandeirantes.

Apesar de toda força econômica, o Grande ABC não tem representante no primeiro escalão do governo do Estado desde 2007, quando Fernando Longo ocupou a Pasta de Turismo na gestão de Serra.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;