Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Novos casos de Aids sobem 7,2% na região

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Variação ocorreu de 2005 a 2013; índice é menor que aumento nacional apontado pela ONU


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

28/07/2014 | 07:00


O índice de novos infectados pelo vírus HIV/Aids no Grande ABC subiu 7,2% entre 2005 e 2013, menos que em todo o País, que registrou aumento de 11% no mesmo período. Os dados fazem parte de levantamento divulgado neste mês pela Unaids, programa das Nações Unidas sobre a enfermidade. Em 2005, eram 607 novos casos nas redes de Saúde de seis das sete cidades da região (Rio Grande da Serra não informou os números). No ano passado, foram contabilizados 651; ao longo dos nove anos, sugiram 4.844 casos.

Para o professor responsável pela disciplina de Infectologia da Faculdade de Medicina do ABC, Hélio Vasconcellos Lopes, a média do Grande ABC, se comparada a do Brasil, é menor por causa dos cuidados com prevenção, que são maiores que em outros lugares do País. “Neles incluímos campanhas, atuação em períodos de maior risco, como o Carnaval, e mais facilidade na realização de testes. São medidas mais adequadas do que as que existem em Cacha-Prego (vilarejo da Bahia), por exemplo.”

Portadores de HIV são aqueles que tiveram a presença do vírus comprovada, mas sem manifestação da doença. Nos pacientes com Aids ela já se manifestou e estão sendo medicados com antirretrovirais (fármacos usados para o tratamento de infecções por retrovírus, principalmente o HIV).

A Aids teve picos avassaladores de mortes na década de 1980 e início dos anos 1990. Com o surgimento do tratamento com antivirais, que melhorou muito as condições de vida dos infectados, as pessoas deixaram de se preocupar com o vírus. “A infecção passou a ser considerada benigna, então, houve relaxamento nas precauções, porque os pacientes passam a achar que a Aids não é algo tão ameaçador quanto era antigamente”, diz o especialista.

O médico destaca ainda que há aumento nas infecções adquiridas nas relações sexuais entre homens. Em Ribeirão Pires, por exemplo, em 2009, o Ambulatório de Infectologia registrou 16 novos casos de portadores do vírus, sendo cinco entre homens que se relacionam com pessoas do mesmo sexo, com idades entre 18 e 30 anos. Em 2013, o número dobrou: de 19 casos, dez aconteceram nas mesmas circunstâncias. “O aumento tem sido considerável entre esse público.

Tanto que a última decisão dos consensos brasileiros acrescentou a recomendação de tratamento para casais discordantes, ou seja: o João tem HIV, o Antônio não, então, a indicação de tratamento é para este que não tem, para reduzir o risco de transmissão”, explica Lopes.

De acordo com o relatório da Unaids, a quantidade de casos no mundo caiu 27,5%; de 2,9 milhões, em 2005, para 2,1 milhões, em 2013.


Ações visam prevenção da doença e outras enfermidades

Durante todo o ano, as prefeituras do Grande ABC atuam no reforço à prevenção do vírus HIV/Aids.

Em Ribeirão Pires, um dos trabalhos é feito com grupo de adolescentes do grêmio da EE Leiko Akaishi, que será retomado com a volta às aulas.

Desde o ano passado, as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de São Bernardo disponibilizam teste rápido de Aids e fazem distribuição de preservativos masculinos.

Em Santo André, além das UBSs, a coleta de sangue para exames laboratoriais (sífilis, HIV e hepatites B e C) também ocorre no Centro de Testagem e Aconselhamento, na Vila Guiomar. Mais informações pelo telefone 4433-3055.

Em Mauá, o CRS (Centro de Referência em Saúde) – DST/Aids e Hepatites Virais, localizado na Rua Dr. Benedito Meirelles Freire, 193, na Vila Vitória, realiza, de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, pré e pós teste. O objetivo é orientar a população quanto aos métodos de prevenção em DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis) e Aids, assim como oferecer insumos preventivos.

Em São Caetano, o Programa Municipal de DST/HIV/Aids e Hepatites Virais atende na Avenida Dr. Rodrigues Alves, 93, bairro Fundação.

Já o Centro de Referência de Diadema funciona durante a semana, das 7h às 21h, na Rua Oriente Monti, 28, Centro. O departamento também realiza ações educativas e itinerantes. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;