Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Torcedores abusam da criatividade

Thiago Bassan/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ingleses e uruguaios trazem clima de Carnaval para toda a região da Arena Corinthians


Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

20/06/2014 | 07:00


Nem parecia que se tratava de jogo decisivo para duas importantes seleções na Copa do Mundo. O clima de festa que tomou conta dos arredores da Arena Corinthians antes da partida entre Uruguai e Inglaterra mostrava que a rivalidade entre duas potências do futebol mundial ficou mesmo para dentro das quatro linhas.

Torcedores de diversas partes do planeta mostravam muita criatividade na hora de torcer, como, por exemplo, as máscaras de gladiadores usadas por Peny Aldred, empresário de 50 anos, que veio de Liverpool com o amigo Sthepen Dilan, 56, ambos vestido com armaduras impecáveis, sendo alvos constantes da tietagem de outros torcedores. “Viemos para vencer. Não tem outra alternativa. A Inglaterra precisa reagir. Não é qualquer equipe que possui Gerrard e Rooney”, disse Aldred.

O casal Adrian Forber, 52, e Gorete Siqueira, 41, era um dos mais animados. Eles moram nos Estados Unidos e vieram ao País só para a Copa. “Está sendo maravilhoso. Tivemos problemas para comprar ingressos, mas a festa supera”, disse ela.

A tradição de craques uruguaios que atuaram no São Paulo foi o que motivou o comerciante Marcos Silva, 32, a torcer pela Celeste. “Estou triste pela ausência do Lugano. O São Paulo sempre teve grandes jogadores uruguaios, como Pedro Rocha e Dario Pereira, que nos trouxeram muita sorte”.

Sorte, porém, é o que não teve o grupo de uruguaios Michel Levinque, 44, Marcelo Levinque 45, e sua mulher, Gabriela Perez, 47, que perdeu o ingresso quando vinha ao estádio. “Não consegui achar até agora. Se eu não entrar, ele (Marcelo) também não vai. As brasileiras são muito bonitas”, brincou a torcedora.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Torcedores abusam da criatividade

Ingleses e uruguaios trazem clima de Carnaval para toda a região da Arena Corinthians

Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

20/06/2014 | 07:00


Nem parecia que se tratava de jogo decisivo para duas importantes seleções na Copa do Mundo. O clima de festa que tomou conta dos arredores da Arena Corinthians antes da partida entre Uruguai e Inglaterra mostrava que a rivalidade entre duas potências do futebol mundial ficou mesmo para dentro das quatro linhas.

Torcedores de diversas partes do planeta mostravam muita criatividade na hora de torcer, como, por exemplo, as máscaras de gladiadores usadas por Peny Aldred, empresário de 50 anos, que veio de Liverpool com o amigo Sthepen Dilan, 56, ambos vestido com armaduras impecáveis, sendo alvos constantes da tietagem de outros torcedores. “Viemos para vencer. Não tem outra alternativa. A Inglaterra precisa reagir. Não é qualquer equipe que possui Gerrard e Rooney”, disse Aldred.

O casal Adrian Forber, 52, e Gorete Siqueira, 41, era um dos mais animados. Eles moram nos Estados Unidos e vieram ao País só para a Copa. “Está sendo maravilhoso. Tivemos problemas para comprar ingressos, mas a festa supera”, disse ela.

A tradição de craques uruguaios que atuaram no São Paulo foi o que motivou o comerciante Marcos Silva, 32, a torcer pela Celeste. “Estou triste pela ausência do Lugano. O São Paulo sempre teve grandes jogadores uruguaios, como Pedro Rocha e Dario Pereira, que nos trouxeram muita sorte”.

Sorte, porém, é o que não teve o grupo de uruguaios Michel Levinque, 44, Marcelo Levinque 45, e sua mulher, Gabriela Perez, 47, que perdeu o ingresso quando vinha ao estádio. “Não consegui achar até agora. Se eu não entrar, ele (Marcelo) também não vai. As brasileiras são muito bonitas”, brincou a torcedora.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;