Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sama prorroga por 30 dias apuração sobre ligações clandestinas de água

Presidida por ex-assessor de Atila Jacomussi, comissão pede dilação de prazo


Gustavo Pinchiaro
Do Diário do Grande ABC

28/04/2014 | 06:45


O superintendente da Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá), Paulo Sérgio Pereira (PRP), prorrogou por mais 30 dias – até dia 18 de maio – os trabalhos da Comissão Especial de Sindicância que investiga os responsáveis por ligações clandestinas de água feitas supostamente pela autarquia na Viela Kossap, no Jardim Itapeva. Moradores do local apontaram o ex-comandante da empresa pública e pré-candidato a deputado estadual Atila Jacomussi (PCdoB) de oferecer o fornecimento ilegal de água, sem cobrança, em troca de votos.

A sindicância – instaurada em 18 de março – é presidida por Israel Aleixo de Melo, assessor parlamentar de Atila quando o comunista foi vereador. De acordo com nota da Sama, ao longo dos primeiros 30 dias de atividades o grupo levantou informações, examinou documentos e fez outras diligências. Apesar disso, o prazo não foi o suficiente para conclusão da investigação dada a “complexidade do assunto”.

No dia 10 de março o Diário esteve na Viela Kossap e constantou que as residências contavam com cavaletes sem hidrômetros, o que impossibilita a cobrança de água. Moradores disseram à equipe de reportagem que, antes de a Sama fazer as ligações, Atila fez reunião no local para explicar que iria fornecer água de maneira irregular, porém provisória, e teria se apresentado como candidato a deputado estadual. Além das ligações, foi relatado que a pavimentação do local com concreto teria sido executada recentemente pela autarquia.

O comunista negou as acusações e instaurou a sindicância interna. A Arsae (Agência Reguladora dos Serviços de Água e Esgoto) de Mauá também abriu procedimento para apurar o caso. O Ministério Público do município também instaurou inquérito para apurar o ato da Sama.

A denúncia do Diário causou indignação no meio político. Os presidentes municipais do PMDB, José Carlos Orosco Júnior, e PR, Diniz Lopes, acionaram a Justiça.

Mesmo diante da denúncia, o prefeito Donisete Braga (PT) optou pela manutenção de Atila no comando da Sama. O comunista só deixou o posto para atender aos prazos da lei eleitoral e poder disputar cadeira na Assembleia Legislativa. O atual superintendente, Paulo Sérgio Pereira, é aliado de primeira hora do clã Jacomussi e preside o PRP. O vereador e pai do ex-chefe da autarquia, Admir Jacomussi, é filiado ao partido.

O comando da empresa pública deve ficar nas mãos do grupo até 2016, por conta de acordo entre a família e Donisete. A participação na gestão do petista é uma retribuição do apoio dado no segundo turno da eleição de 2012 ao prefeito. Atila disputou o Paço pelo PPS e ficou em terceiro lugar. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;