Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 5 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Manifestantes e PM entram em confronto próximo ao Maracanã

Ato contra gastos públicos na Copa termina com prisões e mobilização nas redes sociais


das Agências

17/06/2013 | 07:00


O que era para ser ato pacífico virou guerra durante jogo entre México e Itália pela Copa das Confederações na tarde de ontem, no Rio de Janeiro. Grupo com cerca de 1.000 pessoas protestava perto do Maracanã quando foi contido pela Polícia Militar.

Após serem dispersados, manifestantes reagruparam-se no acesso à Quinta da Boa Vista. Gritando ‘Violência não’, foram atingidos por bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo. Ao final do tumulto foram contabilizados, pelo menos, seis manifestantes detidos. Enquanto isso, milhares de internautas compartilharam informações do protesto. Também convocaram greve geral para o dia 26 com a intenção de parar a PEC 37. Segundo eles, o movimento vai ser em memória à primeira greve geral do Brasil, em 1917.

Hoje, a partir das 17h, deve acontecer o chamado ‘Quinto Grande Ato contra o Aumento das Passagens’ no Largo da Batata, em São Paulo. Foi compartilhado nas redes sociais manual de conduta para quem vai participar do protesto, com dicas e conselhos práticos, como roupas que ajudam a proteger a pele do gás lacrimogêneo. Também há um pedido para que os próprios participantes denunciem manifestações violentas.

Ontem, durante entrevista coletiva, o secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, descartou o uso da Tropa de Choque no protesto marcado para hoje.

FORA DO PAÍS
Na manhã de ontem, cerca de 2.000 brasileiros que vivem em Dublin, na Irlanda, organizaram ato de apoio aos protestos. A manifestação foi autorizada pela polícia irlandesa. Ação parecida também aconteceu ontem em Berlim, na Alemanha. Ato simultâneo em, ao menos, 15 cidades no Exterior está marcado para amanhã.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;