Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Hipismo: Vicente Neto está a um passo de Sydney


Do Diário do Grande ABC

27/05/2000 | 12:59


Os resultados positivos conquistados pelo cavaleiro mineiro Vicente Araújo Neto, 33 anos, no Concurso Completo de Equitaçao (CCE) vieram a galope. Disputando a modalidade há um ano e meio, Vicente precisa apenas completar uma prova da Copa Banco Rural de CCE para garantir sua vaga nas Olimpíada de Sydney, em setembro.

"Nao preciso vencer, nem disputar posiçao. Basta terminar a prova sem cometer nenhuma falta", explica o cavaleiro, sem esconder a ansiedade de estar a um passo de disputar sua primeira competiçao internacional. A próxima etapa da seletiva será realizada de 1º a 4 de junho, no Centro Hípico Júnia Rabello, em Lagoa Santa, regiao metropolitana da capital mineira.

Considerado o azarao da categoria por dirigentes e colegas, Vicente diz nao acreditar em sorte. Para ele, seus bons resultados em 2000 devem à sua experiência no hipismo rural, categoria exclusivamente brasileira que disputou por 22 anos. Empresário de profissao - Vicente é dono de uma transportadora em Belo Horizonte -, ele se diz um apaixonado por cavalos "desde que nasceu", por isso conquistou inúmeros títulos no hipismo rural. "Nao existia mais título no Brasil para mim. Estava sem horizontes'", diz, justificando sua escolha pelo CCE.

De acordo com Vicente, o hipismo rural é a base do CCE e garante agilidade e experiência ao cavaleiro. Por ser um esporte novo no país - tem menos de 10 anos -, o CCE ainda é muito confundido com o hipismo rural e com o salto clássico. Em três dias de competiçao, o conjunto participa de provas de saltos, adestramento clássico (exibiçao de técnicas) e cross-country (provas que avaliam a resistência do cavalo na estrada e na pista de salto).

Por exigir muito do animal, Vicente deve participar da Olimpíada com dois cavalos: Leite Pap Tévere e Leite Pap Grafite. Em julho, onze atletas brasileiros embarcam para a Inglaterra, onde seus cavalos se submetem a um período de quarentena.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Hipismo: Vicente Neto está a um passo de Sydney

Do Diário do Grande ABC

27/05/2000 | 12:59


Os resultados positivos conquistados pelo cavaleiro mineiro Vicente Araújo Neto, 33 anos, no Concurso Completo de Equitaçao (CCE) vieram a galope. Disputando a modalidade há um ano e meio, Vicente precisa apenas completar uma prova da Copa Banco Rural de CCE para garantir sua vaga nas Olimpíada de Sydney, em setembro.

"Nao preciso vencer, nem disputar posiçao. Basta terminar a prova sem cometer nenhuma falta", explica o cavaleiro, sem esconder a ansiedade de estar a um passo de disputar sua primeira competiçao internacional. A próxima etapa da seletiva será realizada de 1º a 4 de junho, no Centro Hípico Júnia Rabello, em Lagoa Santa, regiao metropolitana da capital mineira.

Considerado o azarao da categoria por dirigentes e colegas, Vicente diz nao acreditar em sorte. Para ele, seus bons resultados em 2000 devem à sua experiência no hipismo rural, categoria exclusivamente brasileira que disputou por 22 anos. Empresário de profissao - Vicente é dono de uma transportadora em Belo Horizonte -, ele se diz um apaixonado por cavalos "desde que nasceu", por isso conquistou inúmeros títulos no hipismo rural. "Nao existia mais título no Brasil para mim. Estava sem horizontes'", diz, justificando sua escolha pelo CCE.

De acordo com Vicente, o hipismo rural é a base do CCE e garante agilidade e experiência ao cavaleiro. Por ser um esporte novo no país - tem menos de 10 anos -, o CCE ainda é muito confundido com o hipismo rural e com o salto clássico. Em três dias de competiçao, o conjunto participa de provas de saltos, adestramento clássico (exibiçao de técnicas) e cross-country (provas que avaliam a resistência do cavalo na estrada e na pista de salto).

Por exigir muito do animal, Vicente deve participar da Olimpíada com dois cavalos: Leite Pap Tévere e Leite Pap Grafite. Em julho, onze atletas brasileiros embarcam para a Inglaterra, onde seus cavalos se submetem a um período de quarentena.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;