Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Seguro no Grande ABC é 30% mais caro


Daniel Trielli
Do Diário do Grande ABC

03/08/2007 | 07:15


O motorista do Grande ABC paga caro no seguro automotivo. Uma simulação feita pelo Diário apontou que a diferença entre os valores pagos na região e na Capital chega a 30%.

Nem a alta do faturamento das empresas de seguro (6% no primeiro semestre ante o mesmo período do ano passado) nem as quedas nos índices de criminalidade do Grande ABC parecem ter alguma influência nos preços de seguro. “Continua a mesma coisa”, lamenta a Denise Anasawa, da CRJ Corretora de Seguros.

As seguradoras calculam o valor do pagamento da apólice de acordo com o local. E, como no Grande ABC há muito roubo de carros, as empresas aumentam as taxas na região.

Esse cenário vem mudando. Entre janeiro e setembro de 2006, por exemplo, o número de roubos e furtos de carros caiu 12,18% no Grande ABC em comparação ao mesmo período do ano passado.

No entanto, Ragime Torii, também da CRJ, diz que o argumento das empresas de seguro ainda é a alta criminalidade. Isso é visível na cidade onde o seguro é mais caro no Grande ABC. “São Caetano tem mais carros per capita do que São Bernardo ou Santo André, o que, em tese, aumentaria o número de roubos.”

Para inibir os roubos, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito), baixou uma norma exigindo que todos os carros produzidos a partir de agosto de 2009 venham equipados com um rastreador.

Tal iniciativa já havia sido tomada pela Volkswagen, quando implantou a tecnologia no Golf, a partir de 2005. Naquela época, por conta disso, os preços do seguro desse modelo haviam caído de 15% a 9% do valor do veículo.

Quando o rastreador foi implantado em toda linha Volks em março deste ano, a expectativa era derrubar os custos de seguro em 40%. No entanto, ficou só no planejamento, já que uma “mudança de estratégia” eliminou os rastreadores direto de fábrica um mês depois da implantação.

A montadora havia tomado a frente na medida porque a intercambialidade das peças dos modelos da família Gol (que inclui Parati e Saveiro) causa um sério problema. “Os carros da Volks são os que têm seguro mais caro, por serem os mais visados pelos assaltantes”, conta Denise.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;