Palavra do Bispo Titulo
Alerta Climático
Por Dom Pedro Carlos Cipollini
30/11/2023 | 10:30
Compartilhar notícia


Estamos enfrentando uma onda de calor intenso que não é normal nesta época. O clima está alterado, ninguém nega mais este fato. À contínua aceleração das mudanças na humanidade e no planeta, junta-se, hoje, a intensificação dos ritmos de vida e trabalho. Em meio a isto, aumenta a poluição que afeta diariamente as pessoas. A terra emite sinais de alerta!


A tecnologia, ligada ao mundo financeiro, pretende ser a única solução dos problemas, porém, é incapaz de ver o mistério da relação que existe entre todos os seres do planeta. A Terra, nossa casa comum, parece transformar-se cada vez mais em um imenso depósito de lixo: resíduos domésticos e comerciais, detritos de demolições, resíduos clínicos, eletrônicos e industriais, tóxicos e radioativos.

A situação está chegando no limite. Ou se tomam atitudes para reverter esta situação de agressão contínua ao planeta, ou estaremos numa escalada de destruição que vai ficando incontrolável.

A criação é obra amorosa de Deus, nos ensina a Bíblia. Cuidar da criação é a tarefa que Deus deu ao ser humano. Estamos, porém, destruindo mais do que cuidando. “Os cristãos têm consciência de que, no seio da criação, seus deveres para com a preservação da natureza fazem parte de sua fé” (cf. papa Francisco in Laudato si n. 64).

Para ajudar a refletir no sentido de achar uma solução que convença os grandes poluidores do planeta a suspenderem esta escalada perigosa, haverá um encontro que pode ajudar a reverter esta situação.<TB>

Mais de 70 mil delegados de diferentes países vão a Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, neste início de dezembro para participar da COP28, a conferência das Nações Unidas sobre o clima. Pela primeira vez um papa vai participar do evento. 

Está previsto um pronunciamento inédito do papa Francisco, em 2 de dezembro, além de alguns encontros bilaterais com líderes de outros países. Francisco vai oficialmente representar a Santa Sé como chefe de Estado, mas fala também como autoridade religiosa. A Santa Sé formalizou seu envolvimento na COP desde 2015, após a publicação da encíclica Laudato si, do papa Francisco. 

Também ratificou as diretrizes para a mudança climática produzidas pelas Nações Unidas em 2022 e, desse modo, se apresenta na conferência em nível de paridade com outros países. No início de outubro, Francisco publicou outro documento importante, a exortação apostólica Laudate Deum, retomando as preocupações e fazendo um novo alerta para o cuidado da casa comum, o planeta Terra, inclusive com atenção especial aos mais pobres, os que mais sofrem com as mudanças climáticas. 

Claramente decepcionado com a falta de comprometimento das autoridades com a causa ambiental, desta vez o papa resolveu ir até a conferência pessoalmente. Outros líderes religiosos, entre muçulmanos, budistas e zoroastristas, também comparecerão à COP28, para mostrar o esforço partilhado das religiões na proteção do ambiente. Um ‘Pavilhão da Fé’ os reunirá durante a conferência. Um dos objetivos da COP28 é revisar os objetivos do Acordo de Paris, assinado em 2015, que não estão sendo rigorosamente cumpridos.

Precisamos urgente de uma ecologia integral que nos ensine o cuidado com a natureza a fim de preservarmos a vida sobre a Terra.

Ainda é tempo!



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;