Política Titulo São Caetano
‘Trator’ de Auricchio atropela oposição na votação do orçamento

Sem discutir emendas de opositores, Câmara de S.Caetano aprovou proposta de R$ 2,4 bilhões para 2024, após discussões e bate-boca

Por Gabriel Rosalin
Especial para o Diário
29/11/2023 | 07:00
Compartilhar notícia
Claudinei Plaza/DGABC 28/03/20


O rolo compressor do governo do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) marcou presença novamente na sessão de ontem à tarde na Câmara de São Caetano, na qual a bancada de situação aprovou orçamento de R$ 2,4 bilhões para 2024, sem sequer apreciar emendas apresentadas pela oposição. Em meio a discussões e desentendimentos, 16 vereadores votaram a favor da peça orçamentária para o ano que vem.

A oposição, composta pelos vereadores Edison Parra (Podemos) e Bruna Biondi, do mandato coletivo das Mulheres por Mais Direito (Psol), declarou voto contrário. Os parlamentares alegaram que o projeto não atende os reais interresses da população. 

Foram 11 emendas rejeitas pela Comissão de Finanças e Orçamento, sendo quatro executadas por Parra e sete pela psolista.

Durante a sessão, Parra ironizou os argumentos utilizados pela Casa. “Segundo a comissão, a peça está tão perfeita que não cabe emenda. Não pode tirar dinheiro da publicidade para reformar UBS, pois está perfeito e não expliquei direito”, afirmou. Em três emendas, o parlamentar pediu para que parte da verba destinada para publicidade e propaganda da cidade fosse remanejada para outros setores, como ampliação das unidades de saúde e melhoria da drenagem urbana. 

Para a vereadora Bruna Biondi, o orçamento para 2024 é uma cópia dos anos anteriores. “As emendas não vieram para a tribuna. Precisamos que a peça orçamentária responda, de fato, a necessidade do município. O orçamento não tem uma rubrica para combater as enchentes, que é um problema crônico na cidade”, ressaltou.

“Uma Câmara que nunca aprova emenda em projeto do Executivo, por mais que beneficie a população, é porque só diz amém ao prefeito. Não tem outra palavra e nem meia palavra. A peça orçamentária é o maior exemplo disso, o orçamento não pode ser feito apenas pelo Executivo, é uma junção com o Legislativo”, completou Bruna. 

Já o lado da base de sustentação defendeu que o projeto está adequado às necessidades do município. O vereador Gilberto Costa (Avante), líder do governo na Câmara, rebateu a oposição, defendendo o governo de Auricchio. “Agradecer aos vereadores pela votação a favor, entenderam que o caminho está correto. Uma pena que tenha pessoas que apresentam emendas e votam contra. Falo amém, pois as coisas estão certas”, disse.

Os setores com as maiores verba para o ano que vem serão as secretarias de Educação e de Saúde, com R$ 518 milhões e R$ 470 milhões orçados, respectivamente.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;