Economia Titulo Justiça
Brinquedos Gulliver, de São Caetano, vai a leilão

Empresa tem cinco décadas de história e lance mínimo é de R$ 74,8 milhões

Nilton Valentim
17/11/2023 | 12:28
Compartilhar notícia
Divulgação


A fábrica desativada da Brinquedos Gulliver, de São Caetano está sendo leiloada, com lance mínimo de R$ 74.777.511. A empresa tem cinco décadas (foi fundada em 1973) e, ao longo de sua história, produziu brinquedos icônicos, como o Forte Apache, personagens como Batman e Robin, Super-Homem, Mulher-Maravilha, Homem-Aranha, Hulk, Capitão América, Homem de Ferro, além das bonecas Agarradinha, da Turma da Mônica e, mais recentemente, a miniatura do jogador Neymar. Em 2017, já com problemas financeiros, a fábrica havia entrado com pedido de recuperação judicial.

O edital do leilão está no site da Leje (Leilão Virtual Eletrônico) e descreve os dois terrenos da tradicional empresa que estão a venda da seguinte forma: “Imovel I, lote de terreno urbano, em esquina, com área de 4.413,97 m² e área edificada de 8.687,00 m², em dois pavimentos. Imóvel II, lote de terreno urbano com área de 2.864,00 m² e área edificada de 2,864,00 m²”.

Além de detalhar a localização dos imóveis. “Próximo a estabelecimentos comerciais mistos, galpões e nas proximidades do ParkShopping São Caetano e do Centro Médico São Luiz”.

A primeira fase do leilão fica aberta até o dia 18 de dezembro. Se não houver interessados, inicia-se a segunda fase, com lances a partir de R$ 52.337.257,70. O pagamento pode ser à vista ou parcelado, com entrada de 25% + 30 parcelas mensais.

Os valores arrecadados servirão patra quitar dívidas com credores da empresa e o comprador receberá o os imóveis livres de quaisquer ônus. O edital de leilão, assinado pela juíza Daniela Anholeto Valbao Pinheiro Lima, da 6ª Vara Cível da Comarca De São Caetano, foi publicado no dia 14.




HISTÓRIA
A Gulliver foi fundada em 1970 pelos filhos do empresário espanhol Mariano Lavin Ortiz, que na década de 1950 era proprietário de uma fábrica de brinquedos em Madri e que em 1959 se mudou para o Brasil com a família.

Inicialmente, eram brinquedos feitos de PVC, que evoluíram depois para diversos processos de transformação de plásticos, produzindo miniaturas pintadas artesanalmente, baseadas em seriados de TV. 

Nos anos 1980, estabeleceu parcerias com empresas de fora do País e nos anos 1980 passou também a importar brinquedos.

A crise de 2008, com o Real desvalorizado 47% em relação ao dólar, a empresa foi fortemente atingida. O faturamento da empresa despencou de R$ 35 milhões para menos de R$ 8 milhões entre 2011 e 2016. Até que em agosto de 2017 a Gulliver entrou com o pedido de falência.

CHOCOLATES PAN
Esta é a segunda empresa tradicional de São Caetano que vai a leilão neste ano. A Chocolates Pan foi arrematada por R$ 70 milhões pela Cacau Show em setembro.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;