Esportes Titulo
Sabalenka ganha jogo interrompido pela chuva de Rybakina e pega Swiatek na semifinal do Finals
Por
04/11/2023 | 00:24
Compartilhar notícia


Sabalenka ganha jogo interrompido pela chuva de Rybakina e pega Swiatek na semifinal do Finals

As semifinais do WTA Finals estão confirmadas após a realização de três jogos nesta sexta-feira, na qual a chuva que vem castigando Cancún nos últimos dias também deu as caras e interrompeu momentaneamente o duelo entre Iga Swiatek e Ons Jabeur. Com as vitórias do dia, ficou definido que a líder do ranking, Aryna Sabalenka, terá a polonesa, número 2 do mundo, pela frente neste sábado. O outro duelo será entre as americanas Jessica Pegula e Cori Gauff.

Sabalenka avançou em segundo ao desbancar Elena Rybakina em três sets (6/2, 3/6 e 6/3) no jogo que começou na noite de quinta-feira e foi interrompido pelo dilúvio em Cancún. Já Iga Swiatek fechou a campanha perfeita com triunfo sobre a tunisiana Ons Jabeurs, com 6/1 e 6/2, ajudando Gauff a ficar com o segundo lugar da chave após grande virada diante de Marketa Vondrousova, por 5/7, 7/6 (7/4) e 6/3. Pegula já havia vencido seus três compromissos.

Líder do ranking, Sabalenka ganhava por 5 a 1 quando sua partida com a casaque Rybakina foi suspensa por causa de um dilúvio que castigou Cancún. Nesta sexta, sob sol e com enorme apoio das arquibancadas, a belarrussa precisou de três sets para evitar a eliminação.

No retorno da partida, ela confirmou sem problemas o primeiro set, com 6/2. Ocorre que também valia vaga para a casaque e a reação veio na parcial seguinte, com 6/3 - com três vitória, Jessica Pegula avançou em primeiro no grupo.

A definição da última vaga da chave foi ao terceiro set e com mais de uma hora de disputa. Para confirmar o saque e abrir 1 a 0, por exemplo, precisou salvar dois break points e só fechou na sétima vantagem. Depois, quebrou para abrir 3 a 1, mas foi quebrada na sequência. Voltou a pressionar o serviço da rival e abriu 4 a 2.

A partir daí, com total apoio dos mexicanos e dos presentes, não permitiu mais que Rybakina reagisse e fechou com 6/3 para celebrar muito a torcida das arquibancadas. "Gente! Oh meu Deus... vocês são os melhores. Gostaria que as condições fossem melhores, mas gostaria de poder trazer todos vocês comigo em cada torneio que estou jogando. Eu realmente precisava desse apoio no US Open. Se vocês estivessem lá eu definitivamente ganharia aquele Slam", afirmou Sabalenka, espantada com tanto carinho e também satisfeita por tanto carinho.

"Quando eles me chamam de número 1 do mundo, sempre sinto arrepios. É um sonho desde nem me lembro quando. É simplesmente inacreditável que eu consegui me tornar o número 1 do mundo e ser uma das lendas dessa lista. É algo inacreditável", prosseguiu.

No segundo jogo do dia, antes de a chuva chegar, Cori Gauff precisou lutar muito para buscar a virada diante da checa Marketa Vondrousova e encaminhar a classificação - bastava Jabeur não fazer 2 a 0 em Iga Swiatek no jogo suspenso pela chuva. O alívio veio depois de longa espera, com a volta da partida e com a segunda do ranking fazendo 6 a 1 no primeiro set.

Voudrousova começou bem o jogo, abriu logo 3 a 0 e fechou com 7 a 5. Na segunda parcial, depois de ficar com 4 a 1 de desvantagem, a checa virou e teve o serviço para fechar o jogo com 6 a 5, mas acabou quebrada. A americana fez 7 a 4 no tie-break. E garantiu o triunfo com duas quebras e 6 a 3 no set desempate.

Depois de arrasar Jabeur no primeiro set, com fáceis 6 a 1, Swiatek teve um pouco mais trabalho na segunda parcial, até perdendo o serviço no começo. Mas fechou com 6/2 para encontro semifinal que era previsto somente para a decisão, entre as melhores do planeta nos últimos anos.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;