Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Tarifa de ônibus em São Paulo não vai aumentar em 2022, afirma Ricardo Nunes

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


30/06/2022 | 19:28


As tarifas de transporte em São Paulo não vão aumentar este ano, segundo o prefeito Ricardo Nunes (MDB) disse nesta quinta-feira, 30. Ele afirmou que os preços das passagens não serão corrigidos em 2022, apesar do aumento do valor dos combustíveis e reajustes de salários dos motoristas e cobradores em 12,47%. De acordo com Nunes, a Prefeitura poderá arcar com R$ 4 bilhões em subsídios para garantir o congelamento dos preços e não repassar o aumento dos custos ao consumidor.

A manutenção dos valores das tarifas do transporte municipal foi assegurada no mesmo dia em que o governador do Estado e pré-candidato à reeleição, Rodrigo Garcia (PSDB), informou que as passagens de Metrô e trens (CPTM) também não vão aumentar até o final de 2022. A mesma estratégia será usada para os pedágios das rodovias paulistas. O governador justificou as medidas com a crise econômica e o aumento de preços que atingem o bolso dos brasileiros.

"Conversei ontem com o governador Rodrigo Garcia. Ele não vai aumentar (a tarifa do) trem e metrô, e a Prefeitura de São Paulo, portanto, também não vai fazer o aumento da tarifa (do transporte municipal) esse ano", afirmou Ricardo Nunes. "Evidentemente, a gente vai ter que aportar mais recursos de subsídios."

Na fala, o chefe do Executivo não definiu a quantia que será repassada da Prefeitura, mas disse que os recursos públicos em subsídios poderá ficar por volta dos R$ 4 bilhões, valor acima dos R$ 3,3 bilhões que foram repassados nos anos anteriores. A passagem dos transportes não é reajustada na capital há dois anos.

"Não tem um número fechado (sobre o quanto vai aumentar de subsídio). Vai depender se o diesel vai aumentar ou cair, do número de passageiros. Estamos em junho, e isso é uma conta diária. Mas hoje, no dia 30 de junho, temos uma previsão de R$ 4 bilhões de reais. Mas pode ser mais ou menos", ponderou o Prefeito.

Segundo Nunes, a decisão de não aumentar a passagem foi tomada com base nas condições econômicas e sociais da população paulistana. "A gente entendeu que é importante fazer essa ação política, pública, porque estamos em uma retomada econômica. São Paulo está gerando empregos, mas há 800 mil desempregados na capital, o que representa 11% do público ativo que está procurando emprego", salientou.

O anúncio foi feito um dia depois de deflagrada a segunda greve de motoristas e cobradores no mês. Na quarta, ambas as categorias paralisaram as atividades por exigirem hora de almoço remunerada, Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e plano de carreira, entre outros benefícios. Mais de 6 mil ônibus deixaram de circular na capital. O protesto foi repudiado pelo prefeito: "O que aconteceu ontem foi uma irresponsabilidade, um desrespeito à cidade e uma falta de compromisso com a cidade".



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;