Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 16 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Projeção para IPCA 2023 no cenário de referência está em 4,0%, aponta RTI



30/06/2022 | 08:51


O Banco Central (BC) manteve suas estimativas de inflação para anos de 2022 a 2024 no cenário de referência, que utiliza juros conforme o Relatório de Mercado Focus e câmbio atualizado de acordo com a Paridade do Poder de Compra (PPC).

Este cenário indica um IPCA de 8,8% para este ano, 4,0% no próximo e 2,7% em 2024. Essas projeções constaram na ata e no comunicado do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom). O cenário, porém, não considera o efeito das medidas tributárias propostas pelo governo para baixar os preços de itens essenciais, como combustíveis e energia. No mercado, a aprovação da limitação da cobrança de ICMS para esses produtos a 17% ou 18% tem provocado revisão de baixa forte para 2022, mas de alta para 2023.

As informações constam no Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado nesta quinta-feira, 30. A publicação, originalmente, deveria ter sido feita no dia 23, mas, devido à greve dos servidores do BC, foi adiada para hoje, prazo final. No dia 23, o diretor de Política Econômica, Diogo Guillen, antecipou alguns números do RTI em coletiva de imprensa.

A estimativa para 2022 encontra-se muito acima da margem de tolerância da meta (3,50%, com 1,50 ponto porcentual de banda para mais ou menos), enquanto, para 2023, está no meio do caminho entre o centro (3,25%) e o teto (4,75%). Para 2024, a meta é de 3,00%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 1,75% a 4,75%).

Segundo as estimativas divulgadas pelo BC no comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom), as medianas do Boletim Focus estavam em torno de 8,5% para 2022, 4,7% para 2023 e 3,25% para 2024, considerando como data de referência o dia 10 de junho.

O Banco Central também divulgou no RTI suas projeções de inflação de curto prazo, que abarcam os meses de junho a agosto. A previsão do BC para o IPCA (o índice oficial de inflação) para junho é de 0,81%. Já a projeção para julho é de 0,84% e, para agosto, de 0,33%. As informações já constavam na apresentação feita pelo diretor de Política Econômica, Diogo Guillen, na quinta-feira passada (23), que antecipou alguns dados do RTI.

Estouro do teto da meta

O Banco Central informou hoje que, em seu cenário de referência, a probabilidade de a inflação de 2023 ficar acima do teto da meta, de 4,75%, está em 29%. Já a probabilidade de a inflação ficar abaixo do piso da meta em 2023, de 1,75%, é de 5%.

Para este ano, a probabilidade de estouro do teto de 5,00% da meta é de 100%. Já a possibilidade de estouro do piso de 2,00% da meta é inexistente, de acordo com o documento.

Em horizontes mais longos, o BC calcula para 2024, a probabilidade de estouro do teto de 4,50% da meta é de 10%. Já a possibilidade de estouro do piso de 1,50% da meta é maior, de 19%.

Para 2022, a meta de inflação perseguida pelo BC é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 2,00% a 5,00%). Para 2022, a meta é de 3,25%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 1,75% a 4,75%). Já para 2024, o objetivo é de 3,0%, com tolerância de 1,5% a 4,5%. As informações constam do RTI.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;