Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dieese: Demissoes na Ford sao efeito da política recessiva


Do Diário do Grande ABC

06/01/1999 | 08:55


O coordenador técnico do Dieese, Reginaldo Muniz Barreto, disse nesta quarta-feira que as demissoes recém-anunciadas pela Ford sao apenas um exemplo dos efeitos da política recessiva do governo brasileiro. Na opiniao de Barreto, num cenário de crise, como o atual, as empresas procuram a via mais fácil para proteger suas finanças, que é o corte de pessoal. Segundo ele, para piorar a situaçao, a Ford nao quis negociar as demissoes, diferente do que fez a Volkswagen no ano passado.

Segundo o técnico do Dieese, o setor metal-mecânico foi o que mais perdeu nos últimos anos e por isso precisa de uma atençao especial do governo, com a criaçao de uma política do emprego. Ele disse que na última década o setor de serviços nao conseguiu compensar em qualidade e quantidade os postos de trabalho extintos pela indústria, o que normalmente ocorria no passado. De acordo com Barreto, a queda sofrida pelo setor de serviços no ano passado só vem piorar ainda mais o quadro para o ano de 99.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dieese: Demissoes na Ford sao efeito da política recessiva

Do Diário do Grande ABC

06/01/1999 | 08:55


O coordenador técnico do Dieese, Reginaldo Muniz Barreto, disse nesta quarta-feira que as demissoes recém-anunciadas pela Ford sao apenas um exemplo dos efeitos da política recessiva do governo brasileiro. Na opiniao de Barreto, num cenário de crise, como o atual, as empresas procuram a via mais fácil para proteger suas finanças, que é o corte de pessoal. Segundo ele, para piorar a situaçao, a Ford nao quis negociar as demissoes, diferente do que fez a Volkswagen no ano passado.

Segundo o técnico do Dieese, o setor metal-mecânico foi o que mais perdeu nos últimos anos e por isso precisa de uma atençao especial do governo, com a criaçao de uma política do emprego. Ele disse que na última década o setor de serviços nao conseguiu compensar em qualidade e quantidade os postos de trabalho extintos pela indústria, o que normalmente ocorria no passado. De acordo com Barreto, a queda sofrida pelo setor de serviços no ano passado só vem piorar ainda mais o quadro para o ano de 99.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;