Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Pagamento do 13º injeta R$ 3,6 bi no Grande ABC

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Montante leva em conta o valor recebido pelos trabalhadores formais e aposentados


Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

08/12/2021 | 08:11


O pagamento do 13º salário vai injetar R$ 3,6 bilhões na economia do Grande ABC. O valor foi estimado pela subsecção do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Deste montante, R$ 2,5 bilhões serão pagos aos trabalhadores com carteira assinada e R$ 1,1 bilhão que já foi depositado nas contas dos aposentados e pensionistas da Previdência Social.

Cerca de 1,275 milhão de pessoas recebem o benefício, sendo 769,9 mil trabalhadores com carteira assinada e 504,6 mil beneficiários da Previdência Social. Do total de recursos, 70,2% originam-se do rendimento dos trabalhadores do mercado de trabalho com carteira assinada (com as maiores proporções pagas pelo setor de serviços, indústria de transformação e comércio) e 29,8% dos aposentados e pensionistas.

Somente os trabalhadores da base do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC vão injetar R$ 427,2 milhões. Composta por 69.033 pessoas, com vínculo nas indústrias de São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, e rendimento médio mensal de R$ 6.189, a categoria segue exercendo forte influência na economia regional, uma vez que representa 5,4% do total de pessoas que deverão receber o benefício de fim de ano, mas participa com 12% dos recursos totais a serem pagos em 2021. Quando comparados aos trabalhadores formais da região, constata-se que os metalúrgicos detêm 9 % dos empregos, mas respondem por 16,9% do montante pago aos trabalhadores com carteira de trabalho assinada.

O estudo não leva em conta os assalariados sem registro em carteira, os autônomos ou trabalhadores que possuem outras formas de inserção no mercado de trabalho que, eventualmente, recebam algum recurso a título de abono de fim de ano.

DIVISÃO REGIONAL

Com relação aos municípios, Santo André, São Bernardo,São Caetano e Diadema participam com 88% dos recursos a serem pagos aos trabalhadores formais, aposentados e pensionistas. No outro extremo, Ribeirão Pires (42,4%), Rio Grande da Serra (41,4%) e Mauá (37%) são aquelas em que a parcela dos benefícios do INSS (Instituto Naqcional do Seguro Social) tem os maiores pesos relativos no total de 13º salários pagos naquele município, onde os valores previdenciários equivalem a mais de um terço do montante.

O Grande ABC participa com cerca de 1,6% de todo 13º salário pago no País, estimado em R$ 232,6 bilhões para 2021, de acordo com os cálculos do Dieese.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, chama a atenção para a importância dos recursos relativos ao 13º salário para a economia regional. “São valores que movimentam o comércio, quitam dívidas, são fundamentais para a região. O 13º é um direito do trabalhador desde 1962, resultante da efervescente luta dos sindicatos por esse benefício, e está presente em vários países. Desde que foi instituído se observa uma tentativa incessante para que seja extinto, o que não pode acontecer. É um direito que precisa ser respeitado e preservado”, reforça o dirigente sindical. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;