Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 12 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

80 anos do Capitão América

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Icônico personagem da Marvel Comics chama a atenção até hoje em dia


Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

11/04/2021 | 00:01


O herói mais patriota de todos os tempos já é um veterano. Entre aventuras em guerras, investigações de espionagem, confrontos interplanetários e duelos com outros super-heróis, o Capitão América acaba de completar 80 anos. Ele nasceu nos quadrinhos (veja mais ao lado) e também ganhou forma em desenhos animados, videogames e filmes, se mantendo popular hoje em dia.

As primeiras HQs surgiram na década de 1940. O objetivo era o de que o personagem fosse símbolo do soldado ideal, tendo maior força e sendo mais ágil que pessoas normais depois que um soro especial foi colocado no franzino Steve Rogers. As histórias de guerra ficaram para trás quando ele foi congelado, sendo revivido tempos depois, já em uma época mais moderna.

Ele voltou a chamar a atenção quando a Marvel Studios apostou na adaptação de seu universo para o cinema, onde foi interpretado pelo ator norte-americano Chris Evans e protagonizou três longas-metragens: O Primeiro Vingador (2011), O Soldado Invernal (2014) e Guerra Civil (2016). Também se tornou uma das figuras principais nos quatro filmes dos Vingadores. 

“Vi em filmes e no jogo de videogame do Lego. Gosto mais dele nos filmes, pois consigo ver ele com mais perfeição”, diz Henrique Celso Gonçalves Alves, 9 anos. “É um supersoldado. Não envelhece (normalmente), é muito rápido e resistente.”

O fã de São Bernardo explica que conheceu o personagem justamente em uma dessas produções de Hollywood, na companhia de um tio, quando tinha 6 anos. Henrique o acompanha desde então. “Ele é o primeiro ‘vingador’ e não tem poderes tradicionais”, conta o menino, que acredita que exista um Capitão América no mundo real e revela que toparia assumir o icônico escudo se fosse preciso. 

Herói nasceu para lutar na Segunda Guerra Mundial

A jornada de aventuras do Capitão América é uma das mais populares das histórias em quadrinhos. Ele surgiu como símbolo contra os vilões de uma guerra e se tornou figura respeitada por outros heróis.

O Super Soldado é uma criação conjunta entre o roteirista e desenhista Joe Simon e o ilustrador Jack Kirby. Eles pensaram em Steve Rogers, que ganha poderes (como resistência, agilidade e velocidade sobre-humanas) depois de servir em experimento com soro especial. O rapaz ajuda os Estados Unidos e o grupo dos países Aliados (que incluía ainda Reino Unido, União Soviética, entre outros) a vencer a Segunda Guerra Mundial contra o Eixo (liderado por Alemanha, Itália e Japão).

A primeira edição da HQ Captain America, nome do personagem em inglês, foi publicada tendo os dizeres march n°1 (março número 1) na capa, mas ela chegou nas bancas de jornais em dezembro de 1940. Apesar da estratégia comercial, março é tido como o mês de aniversário do herói pela editora responsável.

Sua busca por justiça e a sua experiência no controle de tropas em missões fizeram com que fosse a melhor escolha para liderar os Vingadores. O supergrupo inclui figuras como Homem de Ferro, Thor e Hulk, mas todos respeitam o Capitão América – mesmo que alguns sejam mais poderosos que ele. 

Como uma das formas de comemorar o legado de seus 80 anos, a Marvel anunciou uma nova revista. É a The United States of Captain America (Os Estados Unidos do Capitão América, em tradução), com o escudo sendo roubado e passando na mão de diferentes pessoas. A primeira edição será lançada no Exterior em junho, tendo Aaron Fischer assumindo o papel e sendo o primeiro Capitão América gay da história.

O conceito dos filmes tem ligação com histórias do universo ‘Marvel Ultimate’, com versões modernizadas dos heróis

Steve Rogers já deixou de ser o Capitão América em algumas oportunidades e assumiu outras identidades heroicas

Consultoria de André Morelli, jornalista especializado em cultura pop e autor do livro Super-Heróis no Cinema e nos Longas-Metragens da TV. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

80 anos do Capitão América

Icônico personagem da Marvel Comics chama a atenção até hoje em dia

Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

11/04/2021 | 00:01


O herói mais patriota de todos os tempos já é um veterano. Entre aventuras em guerras, investigações de espionagem, confrontos interplanetários e duelos com outros super-heróis, o Capitão América acaba de completar 80 anos. Ele nasceu nos quadrinhos (veja mais ao lado) e também ganhou forma em desenhos animados, videogames e filmes, se mantendo popular hoje em dia.

As primeiras HQs surgiram na década de 1940. O objetivo era o de que o personagem fosse símbolo do soldado ideal, tendo maior força e sendo mais ágil que pessoas normais depois que um soro especial foi colocado no franzino Steve Rogers. As histórias de guerra ficaram para trás quando ele foi congelado, sendo revivido tempos depois, já em uma época mais moderna.

Ele voltou a chamar a atenção quando a Marvel Studios apostou na adaptação de seu universo para o cinema, onde foi interpretado pelo ator norte-americano Chris Evans e protagonizou três longas-metragens: O Primeiro Vingador (2011), O Soldado Invernal (2014) e Guerra Civil (2016). Também se tornou uma das figuras principais nos quatro filmes dos Vingadores. 

“Vi em filmes e no jogo de videogame do Lego. Gosto mais dele nos filmes, pois consigo ver ele com mais perfeição”, diz Henrique Celso Gonçalves Alves, 9 anos. “É um supersoldado. Não envelhece (normalmente), é muito rápido e resistente.”

O fã de São Bernardo explica que conheceu o personagem justamente em uma dessas produções de Hollywood, na companhia de um tio, quando tinha 6 anos. Henrique o acompanha desde então. “Ele é o primeiro ‘vingador’ e não tem poderes tradicionais”, conta o menino, que acredita que exista um Capitão América no mundo real e revela que toparia assumir o icônico escudo se fosse preciso. 

Herói nasceu para lutar na Segunda Guerra Mundial

A jornada de aventuras do Capitão América é uma das mais populares das histórias em quadrinhos. Ele surgiu como símbolo contra os vilões de uma guerra e se tornou figura respeitada por outros heróis.

O Super Soldado é uma criação conjunta entre o roteirista e desenhista Joe Simon e o ilustrador Jack Kirby. Eles pensaram em Steve Rogers, que ganha poderes (como resistência, agilidade e velocidade sobre-humanas) depois de servir em experimento com soro especial. O rapaz ajuda os Estados Unidos e o grupo dos países Aliados (que incluía ainda Reino Unido, União Soviética, entre outros) a vencer a Segunda Guerra Mundial contra o Eixo (liderado por Alemanha, Itália e Japão).

A primeira edição da HQ Captain America, nome do personagem em inglês, foi publicada tendo os dizeres march n°1 (março número 1) na capa, mas ela chegou nas bancas de jornais em dezembro de 1940. Apesar da estratégia comercial, março é tido como o mês de aniversário do herói pela editora responsável.

Sua busca por justiça e a sua experiência no controle de tropas em missões fizeram com que fosse a melhor escolha para liderar os Vingadores. O supergrupo inclui figuras como Homem de Ferro, Thor e Hulk, mas todos respeitam o Capitão América – mesmo que alguns sejam mais poderosos que ele. 

Como uma das formas de comemorar o legado de seus 80 anos, a Marvel anunciou uma nova revista. É a The United States of Captain America (Os Estados Unidos do Capitão América, em tradução), com o escudo sendo roubado e passando na mão de diferentes pessoas. A primeira edição será lançada no Exterior em junho, tendo Aaron Fischer assumindo o papel e sendo o primeiro Capitão América gay da história.

O conceito dos filmes tem ligação com histórias do universo ‘Marvel Ultimate’, com versões modernizadas dos heróis

Steve Rogers já deixou de ser o Capitão América em algumas oportunidades e assumiu outras identidades heroicas

Consultoria de André Morelli, jornalista especializado em cultura pop e autor do livro Super-Heróis no Cinema e nos Longas-Metragens da TV. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;