Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 14 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

IPC-S acelera a 0,67% na 1ª quadrissemana de março, de 0,54% em fevereiro



08/03/2021 | 08:23


O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) da primeira quadrissemana de março apresentou alta de 0,67% ante taxa de 0,54% no fechamento de fevereiro, informou nesta segunda-feira, 8, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Considerando a nova divulgação, o IPC-S acumulou alta de 5,76% nos últimos 12 meses.

Quatro das oito categorias que compõem o indicador apresentaram aceleração nas suas taxas de variação. A mais relevante delas veio de Transportes (2,29% para 2,69%), com destaque para o comportamento do item gasolina, cuja taxa acelerou de 6,90% para 7,68%.

Também ganharam tração os grupos Habitação (0,08% para 0,24%), Alimentação (0,09% para 0,24%) e Vestuário (0,03% para 0,08%). Nestes grupos, os destaques foram, respectivamente, os itens tarifa de eletricidade residencial (-0,88% para -0,49%), hortaliças e legumes (-2,43% para -1,38%) e roupas femininas (-0,43% para -0,33%).

No sentido oposto, decresceram as taxas dos grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,29% para 0,19%), Comunicação (-0,07% para -0,15%), Educação, Leitura e Recreação (0,12% para 0,05%) e Despesas Diversas (0,24% para 0,23%). Os respectivos destaques destes grupos foram serviços de cuidados pessoais (0,59% para 0,26%), mensalidade para internet (-0,81% para -1,10%), cursos formais (0,63% para 0,25%) e alimentos para animais domésticos (1,57% para 1,05%).

Influências individuais

Os itens que mais puxaram para cima o IPC-S da primeira quadrissemana de março foram gasolina, etanol (5,01% para 6,78%), plano e seguro de saúde (0,82% para 0,83%), gás de bujão (2,58% para 2,74%) e automóvel novo (0,74% para 0,87%).

Já os itens que mais puxaram para baixo o indicador foram tomate (-12,16% para -11,24%), leite tipo longa vida (-4,43% para -4,67%), batata-inglesa (-8,47% para -11,35%), tarifa de eletricidade residencial e maçã (-6,09% para -8,40%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

IPC-S acelera a 0,67% na 1ª quadrissemana de março, de 0,54% em fevereiro


08/03/2021 | 08:23


O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) da primeira quadrissemana de março apresentou alta de 0,67% ante taxa de 0,54% no fechamento de fevereiro, informou nesta segunda-feira, 8, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Considerando a nova divulgação, o IPC-S acumulou alta de 5,76% nos últimos 12 meses.

Quatro das oito categorias que compõem o indicador apresentaram aceleração nas suas taxas de variação. A mais relevante delas veio de Transportes (2,29% para 2,69%), com destaque para o comportamento do item gasolina, cuja taxa acelerou de 6,90% para 7,68%.

Também ganharam tração os grupos Habitação (0,08% para 0,24%), Alimentação (0,09% para 0,24%) e Vestuário (0,03% para 0,08%). Nestes grupos, os destaques foram, respectivamente, os itens tarifa de eletricidade residencial (-0,88% para -0,49%), hortaliças e legumes (-2,43% para -1,38%) e roupas femininas (-0,43% para -0,33%).

No sentido oposto, decresceram as taxas dos grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,29% para 0,19%), Comunicação (-0,07% para -0,15%), Educação, Leitura e Recreação (0,12% para 0,05%) e Despesas Diversas (0,24% para 0,23%). Os respectivos destaques destes grupos foram serviços de cuidados pessoais (0,59% para 0,26%), mensalidade para internet (-0,81% para -1,10%), cursos formais (0,63% para 0,25%) e alimentos para animais domésticos (1,57% para 1,05%).

Influências individuais

Os itens que mais puxaram para cima o IPC-S da primeira quadrissemana de março foram gasolina, etanol (5,01% para 6,78%), plano e seguro de saúde (0,82% para 0,83%), gás de bujão (2,58% para 2,74%) e automóvel novo (0,74% para 0,87%).

Já os itens que mais puxaram para baixo o indicador foram tomate (-12,16% para -11,24%), leite tipo longa vida (-4,43% para -4,67%), batata-inglesa (-8,47% para -11,35%), tarifa de eletricidade residencial e maçã (-6,09% para -8,40%).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;