Fechar
Publicidade

Domingo, 18 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

No Pacaembu, idosos ficam até 6h em fila do drive-thru

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Secretaria Municipal da Saúde estendeu o horário de funcionamento dos drive-thrus e abertura dos postos também hoje



28/02/2021 | 07:47


Desde às 6 horas deste sábado, 27, uma fila quilométrica de carros ao redor da Praça Charles Miller (Estádio do Pacaembu) provocou um congestionamento incomum, com reflexos que foram sentidos desde a saída do túnel da Avenida Rebouças, Cardoso de Almeida e a região do hospital das Clínicas. Foi o primeiro dia de vacinação para os idosos entre 80 e 84 anos. À tarde, a espera na fila chegou a seis horas.

Em razão da grande procura da população para a vacinação, a Secretaria Municipal da Saúde estendeu o horário de funcionamento dos drive-thrus até as 19h de ontem e anunciou a abertura dos pontos também hoje

Alguns motoristas relataram discussões e tentativas de furar a fila entre os mais exaltados. Idosos que se dirigiram ao posto a pé não foram vacinados - o atendimento foi só drive thru.

Antes de chegar em um dos nove pontos de vacinação (3 na praça e outros 6 já na entrada do estádio), os carros passavam por uma triagem, onde os idosos confirmavam seus registros de vacinação ou eram registrados. Alguns motoristas, estressados pelo tempo de espera, consideraram o número de pontos de vacinação insuficientes.

"Acho um absurdo uma cidade como São Paulo ter só cinco drive-thrus e poucas tendas para triagem. Estamos há mais de seis horas na fila, sem comer nem ir ao banheiro", reclamou a pedagoga Ana Miller, de 61 anos, que levava a mãe, a musicista Maria Cecília, de 81 anos, para ser imunizada. "Viemos no primeiro dia porque ficamos com medo de ficar sem a vacina."

Otimismo

Na maioria dos carros, a irritação pelo tempo de espera e pelo trânsito era substituído pelo otimismo. O casal Napoleone, por exemplo, não via a hora de sentir a agulha no braço. "Estou quase um ano sem sair de casa. Tudo o que quero é a vacina", disse Marceline Napoleone, 83 anos. "Essa espera vai valer a pena", contou Antônio Carlos Napoleone - os dois estão casados há 58 anos.

Quem desistiu do Pacaembu teve mais sorte em outros endereços de vacinação na capital. Na UBS Humaitá, na Bela Vista, o atendimento era quase imediato. "Nós passamos quase quatro horas no Pacaembu. Já estava passando mal. Aí tive a ideia de vir aqui na UBS. Levou um minuto", contou Leandra Antunes, 82 anos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

No Pacaembu, idosos ficam até 6h em fila do drive-thru

Secretaria Municipal da Saúde estendeu o horário de funcionamento dos drive-thrus e abertura dos postos também hoje


28/02/2021 | 07:47


Desde às 6 horas deste sábado, 27, uma fila quilométrica de carros ao redor da Praça Charles Miller (Estádio do Pacaembu) provocou um congestionamento incomum, com reflexos que foram sentidos desde a saída do túnel da Avenida Rebouças, Cardoso de Almeida e a região do hospital das Clínicas. Foi o primeiro dia de vacinação para os idosos entre 80 e 84 anos. À tarde, a espera na fila chegou a seis horas.

Em razão da grande procura da população para a vacinação, a Secretaria Municipal da Saúde estendeu o horário de funcionamento dos drive-thrus até as 19h de ontem e anunciou a abertura dos pontos também hoje

Alguns motoristas relataram discussões e tentativas de furar a fila entre os mais exaltados. Idosos que se dirigiram ao posto a pé não foram vacinados - o atendimento foi só drive thru.

Antes de chegar em um dos nove pontos de vacinação (3 na praça e outros 6 já na entrada do estádio), os carros passavam por uma triagem, onde os idosos confirmavam seus registros de vacinação ou eram registrados. Alguns motoristas, estressados pelo tempo de espera, consideraram o número de pontos de vacinação insuficientes.

"Acho um absurdo uma cidade como São Paulo ter só cinco drive-thrus e poucas tendas para triagem. Estamos há mais de seis horas na fila, sem comer nem ir ao banheiro", reclamou a pedagoga Ana Miller, de 61 anos, que levava a mãe, a musicista Maria Cecília, de 81 anos, para ser imunizada. "Viemos no primeiro dia porque ficamos com medo de ficar sem a vacina."

Otimismo

Na maioria dos carros, a irritação pelo tempo de espera e pelo trânsito era substituído pelo otimismo. O casal Napoleone, por exemplo, não via a hora de sentir a agulha no braço. "Estou quase um ano sem sair de casa. Tudo o que quero é a vacina", disse Marceline Napoleone, 83 anos. "Essa espera vai valer a pena", contou Antônio Carlos Napoleone - os dois estão casados há 58 anos.

Quem desistiu do Pacaembu teve mais sorte em outros endereços de vacinação na capital. Na UBS Humaitá, na Bela Vista, o atendimento era quase imediato. "Nós passamos quase quatro horas no Pacaembu. Já estava passando mal. Aí tive a ideia de vir aqui na UBS. Levou um minuto", contou Leandra Antunes, 82 anos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;