Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Claudinho acusa Maranhão de desperdiçar R$ 1,6 mi

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeito sustenta que antecessor abandonou maquinários e até ambulâncias compradas


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

09/02/2021 | 00:23


O prefeito de Rio Grande da Serra, Claudinho da Geladeira (Podemos), acusou o governo do antecessor Gabriel Maranhão (Cidadania) de abandonar veículos oficiais e maquinários cujos valores somados e atualizados chegam a R$ 1,6 milhão.

Claudinho publicou ontem nas redes sociais vídeo no qual mostra diversos veículos deteriorados, empilhados e nitidamente sucateados. Os automóveis incluem ambulâncias, Kombis e micro-ônibus que atenderiam ao transporte escolar e à própria rede de saúde da cidade. Metade dos veículos é de modelos fabricados nos anos em que Maranhão esteva à frente do Paço, mas há automóveis mais antigos, como o carro oficial destinado ao prefeito: Chevrolet Vectra modelo 2010, avaliado em R$ 79,8 mil.

Também há maquinários, como escavadeira, retroescavadeira e motoniveladora modelos 2010, 2015 e 2013, respectivamente. Somadas, só as máquinas totalizam R$ 1,1 milhão.

Sem citar nominalmente Maranhão, Claudinho publicou as imagens e fez críticas a gestões anteriores. “Como nosso maior objetivo é manter a transparência junto à nossa população, venho novamente mostrar a situação gravíssima que encontramos os veículos e máquinas de nossa cidade. É dinheiro público jogado no lixo, falta de administração e de cuidado com a população. Quem perde somos nós, que poderíamos estar em outra realidade se o dinheiro fosse bem utilizado.”

Metade dos equipamentos foi identificada com ano de fabricação anteriores aos das gestões de Maranhão como prefeito. Contudo, antes de ser eleito prefeito de Rio Grande, o hoje ex-chefe do Paço ocupou o posto de secretário de Obras do governo do ex-prefeito Adler Kiko Teixeira (PSDB).

Não é a primeira denúncia de Claudinho sobre a gestão do antecessor. Na semana passada, o atual prefeito utilizou as redes sociais para acusar o governo Maranhão de deixar vencer centenas de medicamentos e de acumular 1.700 testes para detecção da Covid-19 que estão prestes a perder a validade. Os materiais foram encontrados em salas de UBS (Unidade Básica de Saúde) da cidade. O atual governo também apontou o registro de materiais de enfermagem armazenados de forma inadequada e molhados devido a goteiras nos equipamentos. Segundo o prefeito, os casos foram relatados ao MP (Ministério Público).

Maranhão não retornou aos contatos.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Claudinho acusa Maranhão de desperdiçar R$ 1,6 mi

Prefeito sustenta que antecessor abandonou maquinários e até ambulâncias compradas

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

09/02/2021 | 00:23


O prefeito de Rio Grande da Serra, Claudinho da Geladeira (Podemos), acusou o governo do antecessor Gabriel Maranhão (Cidadania) de abandonar veículos oficiais e maquinários cujos valores somados e atualizados chegam a R$ 1,6 milhão.

Claudinho publicou ontem nas redes sociais vídeo no qual mostra diversos veículos deteriorados, empilhados e nitidamente sucateados. Os automóveis incluem ambulâncias, Kombis e micro-ônibus que atenderiam ao transporte escolar e à própria rede de saúde da cidade. Metade dos veículos é de modelos fabricados nos anos em que Maranhão esteva à frente do Paço, mas há automóveis mais antigos, como o carro oficial destinado ao prefeito: Chevrolet Vectra modelo 2010, avaliado em R$ 79,8 mil.

Também há maquinários, como escavadeira, retroescavadeira e motoniveladora modelos 2010, 2015 e 2013, respectivamente. Somadas, só as máquinas totalizam R$ 1,1 milhão.

Sem citar nominalmente Maranhão, Claudinho publicou as imagens e fez críticas a gestões anteriores. “Como nosso maior objetivo é manter a transparência junto à nossa população, venho novamente mostrar a situação gravíssima que encontramos os veículos e máquinas de nossa cidade. É dinheiro público jogado no lixo, falta de administração e de cuidado com a população. Quem perde somos nós, que poderíamos estar em outra realidade se o dinheiro fosse bem utilizado.”

Metade dos equipamentos foi identificada com ano de fabricação anteriores aos das gestões de Maranhão como prefeito. Contudo, antes de ser eleito prefeito de Rio Grande, o hoje ex-chefe do Paço ocupou o posto de secretário de Obras do governo do ex-prefeito Adler Kiko Teixeira (PSDB).

Não é a primeira denúncia de Claudinho sobre a gestão do antecessor. Na semana passada, o atual prefeito utilizou as redes sociais para acusar o governo Maranhão de deixar vencer centenas de medicamentos e de acumular 1.700 testes para detecção da Covid-19 que estão prestes a perder a validade. Os materiais foram encontrados em salas de UBS (Unidade Básica de Saúde) da cidade. O atual governo também apontou o registro de materiais de enfermagem armazenados de forma inadequada e molhados devido a goteiras nos equipamentos. Segundo o prefeito, os casos foram relatados ao MP (Ministério Público).

Maranhão não retornou aos contatos.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;