Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Em 15 dias de janeiro, região já supera mortes do mês de outubro

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Grande ABC vai chegar a 4.000 óbitos por Covid ainda neste mês caso média diária continue em 20


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

16/01/2021 | 00:01


Em apenas 15 dias no mês de janeiro, o Grande ABC já tem mais mortes causadas pela Covid-19 do que em todo mês de outubro. Até ontem, foram 243 vítimas fatais no mês, ante 232 perdas registradas no décimo mês de 2020. Além disso, apenas nesta semana epidemiológica, que termina hoje, são 151 óbitos, o maior número desde o período entre os dias 12 e 18 de julho, pico da pandemia, quando 157 vidas foram ceifadas em sete dias.

Atualmente, a média móvel de mortes é de 20 registros por dia. Caso os números sejam mantidos, o Grande ABC deve atingir a marca de 4.000 vítimas fatais da pandemia até o fim do mês. A projeção, feita pelo sociólogo Marcos Soares, um dos idealizadores da plataforma ABCDados, considera os números desta semana até quinta-feira, quando a região registrava 3.692 falecimentos. 

Se a projeção se confirmar em 31 de janeiro, o quarto milhar será atingido 64 dias após o registro de 3.000 óbitos, em 28 de novembro, que ocorreu 99 dias depois de as sete cidades terem contabilizado 2.000 vidas ceifadas pelo vírus, em 19 de agosto. O primeiro milhar foi computado em 23 de junho, 101º dia desde o início da pandemia, em março.

Os números refletem os descuidos nas festas de fim de ano, conforme publicado ontem pelo Diário. Em 14 dias, a confirmação de óbitos em razão da Covid-19 cresceu 30,9% em comparação ao período imediatamente anterior, de 162 para 212 mortes. Considerando os novos casos no mesmo período, o acréscimo foi de 21,3%, saltando de 5.215 para 6.328 diagnósticos.

PANORAMA

No total, o Grande ABC contabiliza 3.723 falecimentos causados pela Covid, sendo 916 em Santo André, 1.276 em São Bernardo, 336 em São Caetano, 592 em Diadema, 453 em Mauá, 121 em Ribeirão Pires e 29 em Rio Grande da Serra. São 106.156 casos positivos e 87.156 pessoas recuperadas da doença. Aguardam diagnóstico pelo menos 114.183 pessoas.

O Estado de São Paulo registra 49,6 mil óbitos e 1.605.845 pacientes infectados, dos quais 1.378.152 estão recuperados. A taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) é de 67,5% considerando os 645 municípios paulistas.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil soma 8.393.492 casos, 208.246 mortes e 7.361.379 pessoas recuperadas da Covid.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em 15 dias de janeiro, região já supera mortes do mês de outubro

Grande ABC vai chegar a 4.000 óbitos por Covid ainda neste mês caso média diária continue em 20

Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

16/01/2021 | 00:01


Em apenas 15 dias no mês de janeiro, o Grande ABC já tem mais mortes causadas pela Covid-19 do que em todo mês de outubro. Até ontem, foram 243 vítimas fatais no mês, ante 232 perdas registradas no décimo mês de 2020. Além disso, apenas nesta semana epidemiológica, que termina hoje, são 151 óbitos, o maior número desde o período entre os dias 12 e 18 de julho, pico da pandemia, quando 157 vidas foram ceifadas em sete dias.

Atualmente, a média móvel de mortes é de 20 registros por dia. Caso os números sejam mantidos, o Grande ABC deve atingir a marca de 4.000 vítimas fatais da pandemia até o fim do mês. A projeção, feita pelo sociólogo Marcos Soares, um dos idealizadores da plataforma ABCDados, considera os números desta semana até quinta-feira, quando a região registrava 3.692 falecimentos. 

Se a projeção se confirmar em 31 de janeiro, o quarto milhar será atingido 64 dias após o registro de 3.000 óbitos, em 28 de novembro, que ocorreu 99 dias depois de as sete cidades terem contabilizado 2.000 vidas ceifadas pelo vírus, em 19 de agosto. O primeiro milhar foi computado em 23 de junho, 101º dia desde o início da pandemia, em março.

Os números refletem os descuidos nas festas de fim de ano, conforme publicado ontem pelo Diário. Em 14 dias, a confirmação de óbitos em razão da Covid-19 cresceu 30,9% em comparação ao período imediatamente anterior, de 162 para 212 mortes. Considerando os novos casos no mesmo período, o acréscimo foi de 21,3%, saltando de 5.215 para 6.328 diagnósticos.

PANORAMA

No total, o Grande ABC contabiliza 3.723 falecimentos causados pela Covid, sendo 916 em Santo André, 1.276 em São Bernardo, 336 em São Caetano, 592 em Diadema, 453 em Mauá, 121 em Ribeirão Pires e 29 em Rio Grande da Serra. São 106.156 casos positivos e 87.156 pessoas recuperadas da doença. Aguardam diagnóstico pelo menos 114.183 pessoas.

O Estado de São Paulo registra 49,6 mil óbitos e 1.605.845 pacientes infectados, dos quais 1.378.152 estão recuperados. A taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) é de 67,5% considerando os 645 municípios paulistas.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil soma 8.393.492 casos, 208.246 mortes e 7.361.379 pessoas recuperadas da Covid.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;