Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Morre aos 93 anos poeta Patativa do Assaré


Do Diário OnLine

08/07/2002 | 20:30


O poeta popular Antônio Gonçalves da Silva, o Patativa do Assaré, morreu às 18h30 desta segunda-feira em sua casa em Assaré, na região do Cariri, no Ceará. Aos 93 anos, o poeta estava com pneumonia e, desde sábado, respirava com ajuda de aparelhos. Patativa será enterrado nesta terça-feira, mas o horário ainda não foi definido por sua família.

O estado de saúde do poeta havia piorado nos últimos anos — ele já não reconhecia familiares. Em fevereiro deste ano, ele foi internado no Hospital São Francisco, no Crato, com infecção na vesícula e insuficiência respiratória. Recebeu alta em março, a fim de comemorar o aniversário de 93 anos em casa. Muito debilitado, ele não teve condição de participar da festa.

Semi-analfabeto, o poeta era cego do olho esquerdo desde os quatro anos. Suas letras, que retratavam a realidade nordestina, foram cantadas por Fagner e Luiz Gonzaga.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Morre aos 93 anos poeta Patativa do Assaré

Do Diário OnLine

08/07/2002 | 20:30


O poeta popular Antônio Gonçalves da Silva, o Patativa do Assaré, morreu às 18h30 desta segunda-feira em sua casa em Assaré, na região do Cariri, no Ceará. Aos 93 anos, o poeta estava com pneumonia e, desde sábado, respirava com ajuda de aparelhos. Patativa será enterrado nesta terça-feira, mas o horário ainda não foi definido por sua família.

O estado de saúde do poeta havia piorado nos últimos anos — ele já não reconhecia familiares. Em fevereiro deste ano, ele foi internado no Hospital São Francisco, no Crato, com infecção na vesícula e insuficiência respiratória. Recebeu alta em março, a fim de comemorar o aniversário de 93 anos em casa. Muito debilitado, ele não teve condição de participar da festa.

Semi-analfabeto, o poeta era cego do olho esquerdo desde os quatro anos. Suas letras, que retratavam a realidade nordestina, foram cantadas por Fagner e Luiz Gonzaga.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;