Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Pesquisador de cinema e escritor Antonio Leão, de São Bernardo, morre aos 63 anos

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Apaixonado pela história do audiovisual, há um ano lançou enciclopédia dedicada a vida e obra de Mazzaropi


Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

19/11/2020 | 10:00


Poucas pessoas sabiam sobre a história do cinema brasileiro como o morador de São Bernardo Antonio Leão da Silva Neto. Apaixonado pelo audiovisual, dedicou grande parte de sua vida a pesquisar essa trajetória, cujo trabalho foi registrado em seus livros, o último Enciclopédia Mazzaropi de Cinema, lançado há um ano. Mas ontem, após luta contra o câncer, Leão se foi, aos 63 anos.

Em sua última obra, o autor colocou suas curiosidade e paciência para prestar homenagem a 900 pessoas que ajudaram a transformar o ator e cineasta Amácio Mazzaropi (1912-1981) em figura icônica dentro da sétima arte brasileira, além de explanar sobre verbetes conectados ao universo movimentado pelo artista ao longo do tempo, como nomes de personagens, publicações informativas e documentários temáticos.

“Mazzaropi chegou na Vera Cruz em 1951. Logo após a saída de Alberto Cavalcanti (ex-diretor-geral) e a chegada de Fernando de Barros havia a intenção de fazer filmes populares, de baixo custo. E Mazzaropi caiu como uma luva nessa ideia, trazendo ótimos resultados financeiros para a companhia”, falou Neto ao Diário há um ano, em reportagem sobre o lançamento do livro, feito de forma independente. “Nunca tive facilidades na edição dos meus livros, principalmente por eles não possuírem uma temática comercial que interesse às editoras.”

Diaulas Ullysses, cineasta de São Bernardo, que prepara obra sobre a história da Companhia da Vera Cruz, lembra com carinho de Leão. "No ano passado o convidei para falarmos dos Estúdios Vera Cruz e ele ficou muito honrado. Sua participação na mesa de conversa da memória da cidade foi um sucesso. Ele me agradeceu muito, era uma gentileza de pessoa", diz. 

A primeira publicação do pesquisador foi Astros e Estrelas do Cinema Brasileiro: Dicionário de atrizes e Atores, com mais de 1400 biografias, em 1998. Ele também escreveu Dicionário de Filmes Brasileiros – Longa-Metragem (2002), além do Dicionário dos Fotógrafos do Cinema Brasileiro e uma obra dedicada a produção em Super 8. Leão deia a mulher, Sonia Prado, e três filhos.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pesquisador de cinema e escritor Antonio Leão, de São Bernardo, morre aos 63 anos

Apaixonado pela história do audiovisual, há um ano lançou enciclopédia dedicada a vida e obra de Mazzaropi

Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

19/11/2020 | 10:00


Poucas pessoas sabiam sobre a história do cinema brasileiro como o morador de São Bernardo Antonio Leão da Silva Neto. Apaixonado pelo audiovisual, dedicou grande parte de sua vida a pesquisar essa trajetória, cujo trabalho foi registrado em seus livros, o último Enciclopédia Mazzaropi de Cinema, lançado há um ano. Mas ontem, após luta contra o câncer, Leão se foi, aos 63 anos.

Em sua última obra, o autor colocou suas curiosidade e paciência para prestar homenagem a 900 pessoas que ajudaram a transformar o ator e cineasta Amácio Mazzaropi (1912-1981) em figura icônica dentro da sétima arte brasileira, além de explanar sobre verbetes conectados ao universo movimentado pelo artista ao longo do tempo, como nomes de personagens, publicações informativas e documentários temáticos.

“Mazzaropi chegou na Vera Cruz em 1951. Logo após a saída de Alberto Cavalcanti (ex-diretor-geral) e a chegada de Fernando de Barros havia a intenção de fazer filmes populares, de baixo custo. E Mazzaropi caiu como uma luva nessa ideia, trazendo ótimos resultados financeiros para a companhia”, falou Neto ao Diário há um ano, em reportagem sobre o lançamento do livro, feito de forma independente. “Nunca tive facilidades na edição dos meus livros, principalmente por eles não possuírem uma temática comercial que interesse às editoras.”

Diaulas Ullysses, cineasta de São Bernardo, que prepara obra sobre a história da Companhia da Vera Cruz, lembra com carinho de Leão. "No ano passado o convidei para falarmos dos Estúdios Vera Cruz e ele ficou muito honrado. Sua participação na mesa de conversa da memória da cidade foi um sucesso. Ele me agradeceu muito, era uma gentileza de pessoa", diz. 

A primeira publicação do pesquisador foi Astros e Estrelas do Cinema Brasileiro: Dicionário de atrizes e Atores, com mais de 1400 biografias, em 1998. Ele também escreveu Dicionário de Filmes Brasileiros – Longa-Metragem (2002), além do Dicionário dos Fotógrafos do Cinema Brasileiro e uma obra dedicada a produção em Super 8. Leão deia a mulher, Sonia Prado, e três filhos.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;