Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Brandão: não observamos ainda uso da cota de importação de arroz com taxa zero

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


03/11/2020 | 16:00


O subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Herlon Brandão, destacou nesta terça-feira, 3, que o crescimento das importações de arroz em outubro ocorreu com origem em países do Mercosul, que já tinham tarifa zero para o produto. Para tentar conter o preço do arroz no mercado doméstico, o governo liberou a importação com taxa zero de até 400 mil toneladas do produto até o fim do ano.

De acordo com dados da pasta, houve um aumento de 114% nas compras de arroz sem casca em outubro, na comparação com o mesmo mês de 2019, passando de 69,9 mil toneladas para 102 mil toneladas. As principais origens do grão foram Paraguai, Argentina e Uruguai.

"São países do Mercosul que já tinham tarifa zero. Portanto, não observamos ainda uso da cota de importação de arroz com taxa zero", apontou.

Ainda em outubro, houve queda de 54% nas importações arroz com casca. O tipo de grão, porém, é residual dentro das compras do exterior, com volume pequeno 2,5 mil toneladas no mês passado, ante 10,4 mil toneladas em outubro de 2019.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Brandão: não observamos ainda uso da cota de importação de arroz com taxa zero


03/11/2020 | 16:00


O subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Herlon Brandão, destacou nesta terça-feira, 3, que o crescimento das importações de arroz em outubro ocorreu com origem em países do Mercosul, que já tinham tarifa zero para o produto. Para tentar conter o preço do arroz no mercado doméstico, o governo liberou a importação com taxa zero de até 400 mil toneladas do produto até o fim do ano.

De acordo com dados da pasta, houve um aumento de 114% nas compras de arroz sem casca em outubro, na comparação com o mesmo mês de 2019, passando de 69,9 mil toneladas para 102 mil toneladas. As principais origens do grão foram Paraguai, Argentina e Uruguai.

"São países do Mercosul que já tinham tarifa zero. Portanto, não observamos ainda uso da cota de importação de arroz com taxa zero", apontou.

Ainda em outubro, houve queda de 54% nas importações arroz com casca. O tipo de grão, porém, é residual dentro das compras do exterior, com volume pequeno 2,5 mil toneladas no mês passado, ante 10,4 mil toneladas em outubro de 2019.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;