Fechar
Publicidade

Domingo, 25 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar avança com influência externa e tem máximas a R$ 5,52

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


23/09/2020 | 10:01


A manhã desta quarta-feira é marcada pela alta do dólar, refletindo a pressão que vem do exterior, onde a divisa americana sobe ante praticamente todas as moedas de países emergentes e exportadores de commodities, num sinal de que o investidor busca posições defensivas.

No cenário externo, o dia é mais positivo para os mercados de ações, uma vez que os PMIs da zona do euro vieram melhores que o esperado, mostrando ainda fraqueza no setor de serviços, mas força no setor industrial. Mas as incertezas do cenário internacional, incluindo risco de segunda onda da covid-19 e tensão comercial entre Estados Unidos e China, mantêm as chamadas "moedas de risco" em rota de desvalorização.

Hoje as atenções estão voltadas ao segundo dia de testemunho do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, no Congresso americano e pronunciamentos de outros dirigentes do Fed. Além disso, às 10h45 serão conhecidos os dados preliminares do índice dos gerentes de compras (PMI) de setembro dos Estados Unidos.

Às 9h55, o dólar à vista era cotado a R$ 5,5022, em alta de 0,61%, depois de ter registrado máxima em R$ 5,5287. No mercado futuro, a divisa para liquidação em outubro subia 0,58%, a R$ 5,5030.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dólar avança com influência externa e tem máximas a R$ 5,52


23/09/2020 | 10:01


A manhã desta quarta-feira é marcada pela alta do dólar, refletindo a pressão que vem do exterior, onde a divisa americana sobe ante praticamente todas as moedas de países emergentes e exportadores de commodities, num sinal de que o investidor busca posições defensivas.

No cenário externo, o dia é mais positivo para os mercados de ações, uma vez que os PMIs da zona do euro vieram melhores que o esperado, mostrando ainda fraqueza no setor de serviços, mas força no setor industrial. Mas as incertezas do cenário internacional, incluindo risco de segunda onda da covid-19 e tensão comercial entre Estados Unidos e China, mantêm as chamadas "moedas de risco" em rota de desvalorização.

Hoje as atenções estão voltadas ao segundo dia de testemunho do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, no Congresso americano e pronunciamentos de outros dirigentes do Fed. Além disso, às 10h45 serão conhecidos os dados preliminares do índice dos gerentes de compras (PMI) de setembro dos Estados Unidos.

Às 9h55, o dólar à vista era cotado a R$ 5,5022, em alta de 0,61%, depois de ter registrado máxima em R$ 5,5287. No mercado futuro, a divisa para liquidação em outubro subia 0,58%, a R$ 5,5030.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;